Web Radio Jesus Cristo Gospel: 2016-04-24

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Centro Paula Souza segue ocupado por estudantes Alunos usam prédio em SP para protestarem contra fraude da merenda

Alunos usam prédio em SP para protestarem contra fraude da merenda
Alunos reunidos no Paula Souza na manhã desta sexta-feira (29) / Nelson Antoine/FramePhoto/Estadão ConteúdoAlunos reunidos no Paula Souza na manhã desta sexta-feira (29)


    Durante a noite, pais de alunos foram vistos levando cobertores para os filhos que participam da ocupação.


Por causa do protesto, a CET interditou a Rua dos Andradas, no trecho em frente ao prédio invadido.

Vinculado ao Governo do Estado de São Paulo e à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SDECTI), o Centro Paula Souza administra 219 Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) e 66 Faculdades de Tecnologia (Fatecs). No total, são mais de 283 mil alunos, distribuídos em cerca de 300 municípios. 

Operação da PF apura fraudes no Minha Casa, Minha Vida na Bahia

Foto:A Tarde
A Polícia Federal (PF) desencadeou a Operação Cabala nesta quinta-feira, 28, para investigar uma possível fraude contra a Caixa Econômica Federal (CEF) por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida. De acordo com a PF, construtoras, empregados do banco, contadores, servidores públicos e compradores estariam envolvidos no esquema. Estima-se que o grupo tenha lesado o banco em aproximadamente R$ 220 milhões. A ação é realizada na Bahia, Alagoas, Pernambuco, Sergipe, Paraíba e Rio Grande do Norte. São cumpridos 27 mandados de busca e apreensão e 27 de sequestro de bens. Quarenta pessoas serão levadas para depor. O esquema seria organizado por construtoras que atuam em Teotônio Vilela, em Alagoas. Eles teriam construído quase 2 mil casas no município, que foram vendidas utilizando o subsídio da Minha Casa, Minha Vida. De acordo com a PF, as empresas ofereciam dinheiro para que as pessoas comprassem os imóveis. Essa verba era incluída de forma indevida no valor venal dos imóveis. Os compradores, que não teriam renda suficiente para conseguir os financiamentos, ainda receberam a promessa de ganhar entre R$ 1 mil e R$ 3 mil para a compra das casas. O esquema ainda tinha envolvimento de empregados da Caixa, que liberavam o financiamento mesmo sem os compradores terem o perfil exigido para efetuar a compra. Não há informações sobre a ligação da organização criminosa com a Bahia. Os investigados vão responder pelos crimes de quadrilha, falsidade ideológica, uso de documento falso, corrupção ativa, corrupção passiva e estelionato qualificado. *Com informações do A Tarde

Ministro do TSE manda PT devolver R$ 7 milhões aos cofres públicos

O ministro Luiz Fux, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou nesta quinta-feira (28) que o PT devolva aos cofres públicos R$ 7.013.722,05 milhões por causa de irregularidades na prestação de contas de 2010.
A Corte não analisou os gastos de campanha da presidente Dilma Rousseff, mas somente os recursos recebidos do Fundo Partidário para a manutenção do partido.
Na última terça (26), o TSE também mandou oPSDB devolver R$ 1,109 milhão por problemas na apresentação de notas fiscais dos gastos naquele ano. Foram encontrados documentos ilegíveis e despesas não explicadas, por exemplo, mas sem dolo (intenção de cometer ilícitos).  No caso do PT, o Ministério Público apontou 57 irregularidades na aplicação do Fundo Partidário. As contas foram aprovadas com ressalvas, mas a defesa do partido poderá recorrer da decisão de Fux ao plenário do TSE.

O partido ainda não se manifestou oficialmente. Um dos advogados que representa a legenda na prestação de contas, Breno Bergson, informou que deverá recorrer.

Entre as irregularidades encontradas, está o uso de recursos públicos do Fundo Partidário para quitar uma dívida de R$ 1,3 milhão com o Banco Rural. No julgamento do mensalão, em 2012, ficou provado que o empréstimo contraído do banco pelo partido era “fictício” e foi uma das fontes de recursos para pagar parlamentares em troca de apoio político ao governo.

No caso do PT, o Ministério Público apontou 57 irregularidades na aplicação do Fundo Partidário. A defesa do partido poderá recorrer da decisão de Fux ao plenário do TSE.
No ano passado, o TSE chegou a aplicar multa ao PT no valor de R$ 4,9 milhões, ao desaprovar as contas de 2009 do partido, por irregularidades na arrecadação e nos gastos realizados pelo partido naquele ano.

Dilma estuda reajustar o Bolsa Família antes de deixar gabinete presidencial

Foto:Giro em Ipiaú
Caneta na mão Dilma Rousseff estuda reajustar o Bolsa Família antes de deixar o gabinete presidencial. A medida foi discutida na segunda (25) durante a reunião da petista com os movimentos sociais de apoio ao governo, que cobraram o anúncio. Para líderes dessas entidades, o aumento agradaria à base do PT e tiraria “o doce da boca de Michel Temer”, que promete elevar o valor do benefício ao assumir. Antes do impeachment, o governo programava o reajuste, mas só no segundo semestre.No encontro com CUT, MST e MTST, Dilma não bateu o martelo, mas instruiu sua equipe a fazer cálculos e cenários para elevar o benefício. Entre os desenhos avaliados, está o reajuste “global” de R$ 1 bilhão.O governo planejava decretar o aumento só após a revisão da meta de superavit para não passar a ideia de populismo fiscal.Temer fez um apelo a Renan Calheiros para que acelere a votação da nova meta fiscal, que precisa ser aprovada até 22 de maio para evitar novo contingenciamento.  *Com informações da Folha de São Paulo

Agrigultura Familiar na Bahia

Produtores do baixo sul da Bahia melhoram renda com cacau

Produtores do baixo sul da Bahia melhoram renda com cacau
Pequenos agricultores do Sul da Bahia investem em conhecimento, tornam-se empreendedores e passam a ter lucro em suas lavouras
Oprodutor Jeovan Rocha do Nascimento, 45 anos, dono do sítio Duas Irmãs, em Igrapiúna, município baiano da região conhecida com Baixo Sul, tem motivos de sobra para estampar o sorriso na foto que abre esta reportagem, exibindo a principal cultura de sua propriedade, o cacau. No ano passado, o sítio de cinco hectares rendeu R$ 19,1 mil, dos quais R$ 15 mil foram lucro. Pode parecer pouco, mas, em todo 2012 o produtor tirou de sua terra míseros R$ 1.950. O crescimento nesse período foi de excepcionais 880%. “Antes, eu entregava a arroba de cacau por R$ 130. Na minha última venda consegui R$ 153”, diz Nascimento. O produtor, que antes complementava a renda prestando serviços em outras propriedades da região, atualmente é só alegria.

produção
Além dos ganhos com o cacau, Nascimento também se tornou mais eficiente na produção de mandioca, banana e guaraná, culturas às quais se dedica desde 2002, e agregou novos produtos. Em um hectare, o produtor passou a cultivar também cupuaçu, seringueira e urucum no Sistema Agroflorestal (SAF), no qual são integradas culturas agrícolas com espécies arbóreas. E mais: por sugestão da filha Jaqueline, 17 anos, está investindo na piscicultura.

familia
Negócio de família: a produção do sítio de Santos (centro), agora é vendida para a uma cooperativa. Neste iníco de ano, os preços estão até 8% acima dos valores de 2015
A transformação do sítio Duas Irmãs, em uma propriedade empreendedora, não foi obra do acaso, mas fruto de uma série de iniciativas que estão fazendo de Nascimento um empresário rural que planeja, cumpre metas e mostra resultados. Desde 2012 o produtor participa do Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade (PDCIS), uma iniciativa fomentada pela Fundação Odebrecht, em parceiria com várias instituições. Entre elas estão a Organização de Conservação da Terra (OCT), o Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora), além de empresas, como a rede varejista Walmart. Atualmente, integram o programa 850 agricultores, donos de uma área de cerca de 1,6 mil hectares. Para Graciela Reis, vice-presidente de Organização e Governança da Fundação Odebrecht, a meta é fomentar a economia sustentável em uma região com 11 municípios e uma população de 285 mil pessoas, das quais 22 mil são pequenos agricultores. “Nosso foco é transformar, pelo conhecimento, para que as pessoas possam ser agentes da mudança de seu próprio destino”, diz Graziela. “A agricultura familiar pode ser altamente sustentável.”

mulher
"Nossa intenção é permitir que os produtores se sintam os gestores da paisagem" Ana Paula Matos, do projeto multiplicadores
Para Nascimento, a mais recente conquista, que em dezembro de 2015 completou um ano, foi o certificado da Rede de Agricultura Sustentável (RAS), identificado pelo selo internacional Rainforest Alliance Certified. Concedido no Brasil pelo Imaflora, o selo cobiçado por grandes empresas, entre elas McDonald's e Nestlé, indica que um produto tem comprometimento socioambiental sustentável. Para obter o selo, os produtores precisam seguir uma série de regras de manejo dos cultivos, cuidar da saúde da família e aplicar um rígido controle nas finanças, como ocorre em empresas de alto rendimento operacional. Entre as mudanças estão o controle do uso de defensivos agrícolas e o fim das queimadas como forma de manejo do solo. Para renovar a lavoura do cacau e intensificar a produção, Nascimento, por exemplo, recebeu mudas de plantas resistentes à vassoura-de-bruxa, praga que dizimou os cacaueiros baianos na década de 1990 e que até hoje se reflete na produtividade das plantas que sobreviveram. O uso de clones resistentes à doença permitiu que a produção anual passasse de 15 arrobas de amêndoas por hectare, para 60 arrobas, quatro vezes acima. Na região, as lavouras mais produtivas rendem 150 arrobas.
Para recuperar nascentes de rio, Nascimento se integrou ao programa Carbono Neutro Pratigi, da OCT, que paga R$ 0,50 por árvore semeada. Em 1,7 hectare em recuperação, o produtor está recebendo R$ 1,4 mil livres. Foi essa água renovada que levou a filha Jaqueline a ver na criação de peixe uma oportunidade de negócio. Com o apoio do pai, ela passou a criar tilápias, vendidas para a Cooperativa dos Agricultores de Águas Continentais (Copecon), de Ituberá (BA). “Sempre acreditei na agricultura e na pesca e quero trabalhar para ter meu próprio negócio”, afirma. O tino comercial de Jaqueline foi aperfeiçoado na Casa Rural Familiar, que também faz parte do PDCIS. Nas casas, quatro na região, 300 jovens estudam cooperativismo, manejo de recursos naturais e administração rural por três anos, além de receberem toda a grade curricular do ensino médio.

geandro
Jairo de Souza e Genilda: com mais produtos vendidos, o bem estar da família melhorou
COMUNIDADE De acordo com Ana Paula Matos, responsável pelo projeto Agricultores Multiplicadores de Agricultura Sustentável (Amas), que também é da OCT, a capacitação vem promovendo mudanças profundas nas comunidades. “O objetivo é fazer com que os produtores se sintam os gestores da paisagem”, diz Ana Paula. Foi por estar de olho na qualificação profissional que o casal de agricultores Jairo de Souza, 37 anos, e Ginilda, 25 anos, donos do sítio Boa Esperança, de cinco hectares, buscaram o apoio do programa fomentado pela Odebrecht. Ginilda estudou na Casa Rural de Igrapiúna e Jairo pediu consultoria para formar uma área de SAF em 0,8 hectare de pasto degradado. “Antes, produzíamos apenas para subsistência”, diz Souza. Hoje, o casal cultiva dez produtos: cravo, pupunha, cacau, cupuaçu, banana da terra, cajá, açaí, seringueira, graviola e aipim. No ano passado, o sítio rendeu R$ 14,1 mil, ante R$ 8,2 mil em 2012. A produção, antes vendida a atravessadores, agora é levada para a Feira do Agricultor, a sete quilômetros da propriedade. Com conhecimento e mais dinheiro no bolso, o casal investiu em qualidade de vida. Agora, a residência conta com água encanada e energia elétrica.“O próximo projeto é comprar um veículo utilitário para transportar a produção até a feira”, diz Ginilda.
Para o diretor executivo da Organização de Conservação da Terra, Volney Fernandes, a educação de fato está multiplicando as boas histórias na região. “Esses produtores eram maus gestores de suas áreas apenas por não terem conhecimento” diz Fernandes. A meta até o final do ano é formar um novo grupo, para que casos como o de Marivaldo dos Santos, 52 anos, dono do sítio União, de três hectares, se multipliquem. O certificado da Rainforest Alliance, recebido em 2015, é motivo de orgulho e está pendurado à vista de quem chega na varanda da casa de Santos. “Entendi que a qualidade da produção é importante e passei a ter um padrão que vou trabalhar para manter”, diz o produtor, que cultiva cacau, cupuaçu, cravo e mandioca. “Comecei do zero e agora quero sonhar ainda mais alto.” Em 2015, a renda da propriedade foi de R$ 5,4 mil, 22% acima de 2012, ano em que Santos aderiu ao programa.
A mudança mais significativa para o produtor foi sair da informalidade. A produção, antes vendida a atravessadores, agora vai para a Cooperativa Agrícola do Vale Juliana (Coopervale), também de Ituberá, que negocia o cacau de 140 associados com empresas como a Nestlé e a Barry Callebaut. José Gomes, superintendente da Coopervale, diz que a conscientização dos agricultores sobre as boas práticas de manejo do cacau aumentou a qualidade do produto entregue. Os preços pagos estão entre R$ 150 e R$ 160 a arroba, nesta safra. “Mesmo sem um mercado definido para o cacau certificado, já conseguimos um valor 8% maior sobre 2015”, afirma Gomes. Fonte: Dinheiro Rural 

quarta-feira, 27 de abril de 2016

País registra 1.198 casos de microcefalia em 7 meses

Relatório mostra que Região Nordeste continua com maiores índices. Rio tem 415 notificações


Região Nordeste continua com o maior número de casos da doença
Foto: Daniel Castelo Branco / Agência O Dia






















Brasília - Boletim divulgado nesta terça-feira pelo Ministério da Saúde aponta 1.198 casos confirmados de microcefalia, registrados entre outubro de 2015 e abril de 2016.  Ao todo, 7.228 casos foram notificados no período, sendo que 2.320 já foram descartados e outros 3.710 aiainda estão em investigação.
Até 23 de abril, o ministério também registrou 54 mortes de bebês recém-nascidos ou fetos com microcefalia e/ou alteração do sistema nervoso central. Os 1.198 casos confirmados ocorreram em 435 municípios, localizados em 22 unidades da federação. Só no estado do Rio, foram notificados 415 casos, sendo 42 já confirmados.
De acordo com o boletim epidemiológico do ministério, de fevereiro a abril foram registrados 91.387 casos prováveis de infecção pelo vírus Zika. Entre os afetados, estão 7.584 gestantes.  O diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch, garantiu que uma grande parte dessas grávidas não terá filho com microcefalia, mas que o governo ainda não sabe a proporção de gestantes infectadas para bebês com a malformação. A região Nordeste continua registrando o maior número de casos do país. 

Temer quer cortar reajuste de aposentado

Objetivo é desvincular aumento do mínimo para evitar elevação de tributos. Agora, vice diz que antecipar eleições é golpe

O DIA
Brasília - A equipe que prepara medidas para um eventual governo de Michel Temer estuda proposta para desvincular benefícios — incluindo os da Previdência — dos reajustes concedidos ao salário mínimo. Hoje, a maior parte das aposentadorias tem o aumento vinculado ao do mínimo. A ideia é reduzir as despesas com esses pagamentos e evitar a elevação de impostos.
Os conselheiros de Temer reconhecem que a medida é impopular, porém necessária, e afirmam que o melhor momento para executá-la é no início da gestão, quando o apoio ao governo tende a ser maior. Outro projeto estudado é eliminar as vinculações constitucionais, como gastos obrigatórios com saúde e educação, que engessam o Orçamento federal. Temer promete ainda fazer um corte grande nos ministérios.
Vice-presidente Michel Temer afirmou que ficou muito “bem impressionado” com Henrique Meirelles
Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Nesta terça-feira, o vice-presidente confirmou que seu nome preferido para ocupar o Ministério da Fazenda é Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central no governo Lula. “Das conversas que tive, Meirelles é de fato o mais cotado”, afirmou Temer, a um dos políticos que o visitou ontem em Brasília.
OUTRO LADO
As ideias da equipe de Temer geraram reações positivas na Bolsa de Valores — que subiu mais de 2% ontem — e negativas no governo Dilma. O ministro Miguel Rossetto (Trabalho e Previdência Social) reagiu com indignação à notícia de que Temer vai insistir na proposta de desvincular benefícios - incluindo os da Previdência — dos reajustes ao mínimo. Na avaliação de Rossetto, essa desvinculação é criminosa. “Essa proposta é um crime contra 22 milhões de aposentados urbanos e rurais que conquistaram dignidade a partir dessa vinculação”, analisou Rosseto.
“A vinculação dos pagamentos previdenciários ao reajuste do mínimo é um dos grandes responsáveis pela retirada de famílias da linha da pobreza”, afirmou. A avaliação da equipe de Temer, no entanto, é de que esse caminho é mais viável do que a elevação de tributos nesse momento de recessão. Segundo os assessores do vice-presidente, agora é hora de investir no emprego. “É preciso ter uma política econômica que, daqui seis a oito meses, comece a gerar emprego. É preciso começar a reempregar”, explicou o vice.
GOLPE
Temer chamou ontem de ‘golpe’ a tentativa de antecipação das eleições presidenciais para este ano, proposta de alguns parlamentares. Temer disse que, nos Estados Unidos, “as pessoas ficariam coradas” de apresentar uma proposta como essa.

Comissão elege Anastasia
Uma sessão dominada por discussões acaloradas abriu ontem os trabalhos da comissão especial que analisa o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado. Como já havia sido acertado, o nome do senador Raimundo Lira (PB) foi confirmado para a presidência sem nenhuma contestação de opositores e governantas. Mesmo sendo do PMDB, aliados da presidente consideram que o senador tem bom trânsito com todos e uma postura equilibrada.
A polêmica de mais de duas horas ocorreu com a eleição do relator, senador Antônio Anastasia (PSDB-MG). A confirmação do nome do senador tucano, em votação simbólica, marcou a primeira grande derrota dos governistas na comissão, que conseguiram somar apenas cinco votos contrários. Anastasia, segundo os governistas, também teria praticado pedaladas fiscais quando era governador de Minas.

Justiça suspende decreto que adia pagamento de aposentados para maio

Rio - Os desembargadores do Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio suspenderam liminarmente, na tarde desta segunda-feira, o decreto estadual que adiou para maio o pagamento dos salários de março de 137 mil aposentados e pensionistas que recebem acima de R$ 2 mil mensais. Os valores deveriam ter sido depositados no dia 14 deste mês. Em nota, a assessoria de imprensa do governo estadual afirmou que cumprirá a decisão judicial.
De acordo com o tribunal, foram 21 votos pela inconstitucionalidade da medida contra dois votos. Com a decisão, volta a valer a deliberação do pagamento até o 10º dia útil e o governador em exercício, Francisco Dornelles, deverá pagar os salários assim que for notificado.
Em nota, o governo informou que irá cumprir a decisão judicial e pagará a folha de março de parte dos inativos e pensionistas. "Os recursos a serem arrestados para o pagamento estão depositados em contas específicas e são provenientes de empréstimos obtidos junto a organismos nacionais e internacionais para financiamento de programas sociais e obras. Por proibição legal, o governo do estado não pode usar esses recursos para pagamento de pessoal", completou.
De acordo com o governo estadual, o pagamento realizado no último dia 14 abrangeu 71,3 % do total de 479.638 benefícios de servidores ativos e inativos, além de pensionistas. "O Estado não dispõe de recursos suficientes para o pagamento da totalidade de suas despesas devido ao agravamento do cenário macroeconômico nacional, com retração na atividade econômica e impacto negativo sobre a arrecadação estadual", explicou.
Governador em exercício, Francisco Dornelles terá que pagar salários de aposentados e pensionistas assim que for notificado da decisão
Foto: Alexandre Brum / Agência O Dia
A ação foi protocolada pela bancada do Psol na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). O deputado estadual Marcelo Freixo (Psol) disse que a decisão foi uma conquista, até mesmo em relação à dignidade humana. "O governo não pode mais usar o decreto e, como o estado é devedor, terá que pagar os salários com juros e correção monetária. No entanto, ainda não há prazo. A ação não poderia mexer nessa parte", explicou o parlamentar.
LEIA MAIS
Na terça-feira da semana passada, o RioPrevidência e o governo estadual já tinham sido intimados pela Justiça a pagar integralmente a todos os aposentados e pensionistas em até 24 horas. A medida surgiu após uma liminar concedida a pedido da Defensoria Pública.
Na última quarta-feira, a Defensoria Pública anunciou que foram repassados pela Secretaria Estadual de Planejamento os valores corretos que faltam para ser quitados com os inativos e pensionistas. Segundo a pasta, restam pendentes 143.503 créditos bancários, em um total de R$ 661.451.494,79, sendo R$488.579.268,74 referentes às folhas de pagamentos de inativos (110.212 créditos) e R$172.872.226,05 referentes à folha de pensões previdenciárias (33.291 créditos).

População pede a demolição definitiva da ciclovia Tim Maia

io - “Essa ciclovia está condenada. Tem que demolir!”. O veredito é da arquiteta e urbanista Ana Teresa Nadruz, autora de uma petição pública em favor da demolição total da ciclovia Tim Maia, ligando o Leblon a São Conrado, que está conquistando cada vez mais adesões na internet. Segundo a arquiteta, que tem 40 anos de experiência em gerência de projetos, com 22 shoppings centers e mais de 30 prédios construídos, são tantos os erros na concepção ou na execução do projeto que a obra, que custou cerca de R$ 44,7 milhões, deveria virar entulho.
Projeto básico usado na construção da ciclovia, que desabou, não possuía relatório de análise de riscos
Foto: Alexandro Auler / Agência O DIA
Para a arquiteta, a ciclovia que desabou na última quinta-feira, matando duas pessoas, jamais poderia ter sido construída à beira-mar e muito menos ter sido montada com estruturas pré-moldadas. “Isso é para quem tem pressa. Os shoppings são feitos com pré-moldados. Só que não estão sujeitos às intempéries do mar”, critica Ana Teresa. Ela disse ainda que nem se a pista estivesse parafusada resistiria ao “soco no queixo de baixo pra cima, que levou das ondas”. 
Na avaliação dela, a pista é perigosa tanto para pedestres quanto para ciclistas. “Um corredor estreito que tem o precipício de um lado e uma pista de automóveis do outro. Não tem saída, rota de fuga, nada”, alerta. Quem quiser assinar a petição deve acessar o link: http://www.peticaopublica.com.br.
Fora da concorrência
A prefeitura afastou as empresas Contemat e Concrejato, do grupo Concremat, de todos os processos de contratação e licitação de obras de estrutura, enquanto durarem os trabalhos de apuração das responsabilidades técnicas pelo acidente da ciclovia. A decisão será publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial. Além disso, todos os pagamentos destinados às duas empresas estão retidos.
O decreto determina que os responsáveis técnicos do consórcio que trabalharam na obra da via da Niemeyer sejam afastados de qualquer contrato firmado com a prefeitura. O projeto executivo da ciclovia, obtido pelo ‘RJTV’, não possuía relatório de análise de riscos, que previssem o impacto da ressaca. Outra irregularidade foi a ausência de assinaturas dos responsáveis técnicos pelo projeto.
MP investiga improbidade na contratação
O Ministério Público do Rio instaurou nesta terça-feira inquérito para apurar possíveis atos de improbidade administrativa na contratação da Concremat, no acordo feito entre a empresa e a Geo-Rio. A investigação vai apurar as circunstâncias da contratação, por meio de licitação de menor preço, e condições técnicas.
A Concremat possui tradição em obras de reparos e, a ciclovia, era a primeira grande obra na gestão do prefeito Eduardo Paes (PMDB), dos 54 contratos firmados pela construtora com o município desde 2009. Os outros contratos eram de reformas, sendo que 46% foram feitos sem licitação. A vereadora Teresa Bergher (PSDB) entrou ontem com petição civil pedindo a demolição da ciclovia, e a devolução aos cofres públicos do dinheiro pago à construtora.
Músico responsabiliza ciclistas pelo acidente na via
Um comentário feito pelo vocalista Roger, da banda Ultraje a Rigor, sobre o acidente na ciclovia, conforme noticiou o ‘Informe do DIA’, gerou revolta nas redes sociais. “Não quero culpar ou desculpar ninguém, mas os próprios ciclistas não viram a ressaca?”, disse Roger, que tem 635 mil seguidores no Twitter. 
A reação foi imediata. “Não quero culpar e nem desculpar ninguém, mas os sem-terra não viram os policiais chegando armados em Eldorado dos Carajás?”, postou usuário, lembrando o massacre no Pará, em 1996.
Outras mensagens foram feitas em relação ao rompimento da barragem em Mariana, rm 2015, e outras tragédias. 
Roger alegou que foi mal-interpretado. “Deve irritar gentinha como vocês, sem a menor perspectiva de ser alguém ou algo na vida e que mal sabe organizar um pensamento”, diz.