Web Radio Jesus Cristo Gospel: 2016-03-27

quarta-feira, 30 de março de 2016

Saiba quais os tipos de câncer mais comuns em crianças e adolescentes

O câncer infantil em estágio inicial costuma ser difícil de ser identificado, principalmente porque os sintomas muitas vezes podem ser confundidos com o de doenças comuns na infância.

O câncer é uma doença temida e que atinge grande parte da população mundial. No entanto, poucas pessoas sabem como identificar os sintomas (quando ocorrem), principalmente em crianças e adolescentes.
Embora rara entre crianças e adolescentes – atinge 1 entre 600 – o câncer é a principal causa de morte por doença em pessoas de zero a 15 anos. Nesse grupo, em apenas 10% dos casos é possivel associá-lo à genética.
O câncer infantil em estágio inicial costuma ser difícil de ser identificado, principalmente porque os sintomas muitas vezes podem ser confundidos com o de doenças comuns na infância, como viroses e resfriados.
Os sinais que todos precisam ficar atentos são os sintomas que permanecem, como hematomas sem explicações, nódulos e caroços, cansaço extremo, palidez, mudança na visão e nos olhos, febre sem associação com inflamações e perda de peso excessiva. Ao menor sinal de quaisquer um desses sintomas, deve-se imediatamente procurar um médico.
Para tornar o diagnóstico ainda mais eficaz, o Instituto Ronald McDonald desenvolveu o Programa Diagnóstico Precoce, que consiste em qualificar profissionais da saúde para que possam fazer o reconehcimento de sintomas de maneira mais rápida e assertiva, o que ajuda a diminuir o tempo entre o diagnóstico e o início do tratamento.
“Desde o início de tudo, há 17 anos, sempre tivemos como principal objetivo aumentar as chances de cura do câncer em crianças e adolescentes. E é para isso que trabalhamos todos os dias: acreditamos que além dos projetos e programas que o Instituto Ronald McDonald apoia e desenvolve, é preciso levar informações para o maior número de pessoas, sempre”, afirma Francisco Neves, superintendente do Instituto Ronald McDonald.
“O câncer infantil e juvenil precisa estar nas pautas dos canais de comunicação e principalmente, nas conversas em família. Somente tendo informações é possível aumentar a chance de cura e diminuir a mortalidade de crianças e adolescentes”, finaliza.
Os principais tipos de câncer em crianças e adolescentes são:
-- Leucemia Linfocítica (ou linfoide) Aguda: LLA é o câncer mais comum na infância e representa 30% do total de casos.
-- Tumor de Wilms: pode afetar um rim ou ambos e é mais comum entre crianças na faixa dos 2 a 3 anos de idade. Representa de 5% a 10% dos tumores infantis.
-- Retinoblastoma: é um câncer que tem origem nas células que formam parte da retina, cujo sinal mais comum é o brilho ocular chamado de “reflexo do olho de gato”. Existem duas formas da doença, a hereditária e a esporádica. Costuma aparecer em crianças entre 2 e 3 anos de idade.
-- Neuroblastoma: é o tumor sólido extracraniano (isto é, fora do cérebro) mais comum nas crianças, geralmente diagnosticado durante os dois primeiros anos de vida. Ele pode aparecer em qualquer parte do corpo, mas é mais comum nas supra-renais e mediastino.
-- Rabdomiossarcoma: é o câncer de partes moles mais comum em crianças. O tumor tem origem nas mesmas células embrionárias que dão origem à musculatura estriada esquelética ou voluntária, ou seja, músculos que se prendam aos ossos ou a outros músculos.
-- Tumores do Sistema Nervoso Central (encéfalo de medula espinhal): são os tumores malignos sólidos mais comuns em crianças, ficando atrás apenas das leucemias e linfomas. Adultos tendem a ter câncer em diferentes partes do cérebro, geralmente nos hemisférios cerebrais. Tumores da medula espinhal são menos comuns que os de encéfalo tanto em adultos como nas crianças.
-- Tumores Ósseos Primários: são raros. O mais comum é o que o câncer dos ossos seja resultado de outro tumor que se espalhou e atingiu o osso. A despeito de raro, é o sexto em incidência nas crianças, sendo mais frequentes na adolescência. Os mais comuns são o osteossarcoma e o Sarcoma de Ewing.
-- Linfoma de Hodgkin: anteriormente chamado de doença de Hodgkin, é um câncer do sistema linfático (que inclui gânglios, timo e outros órgãos do sistema de defesa do organismo). O linfoma de Hodgkin pode atingir crianças e adultos, mas é mais comum em dois grupos, jovens adultos (dos 15 aos 40 anos, geralmente dos 25 a 30 anos) e pessoas acima dos 55 anos. É raro antes dos 5 anos de idade, mas entre 10% e 15% dos casos ocorrem em adolescentes e crianças com menos de 16 anos.
-- Linfoma não-Hodgkin: também tem origem no sistema linfático e são mais comuns que os linfomas de Hodgkin nas crianças, sendo o terceiro câncer mais comum entre crianças.

Saúde Câncer de pele

Oncologista e presidente da Sociedade Brasileira de Cancerologia alerta para o uso de protetor solar durante o outono/inverno, além de atentar para todas as pintas ou lesões novas ou aquelas que mudarem de características (tamanho, espessura e cor)

O câncer de pele continua sendo o mais incidente entre a população brasileira. Mais de 200 mil casos devem ser registrados em 2016, segundo estimativa do INCA (Instituto Nacional do Câncer), com expectativa de que a doença faça ao menos duas mil vítimas fatais.
Essa alta incidência acontece pela exposição excessiva aos raios nocivos do sol. O estrago é cumulativo e, ao longo dos anos, ele pode se consolidar como um tumor.
De acordo com o oncologista e presidente da Sociedade Brasileira de Cancerologia, Dr. Robson Moura, o câncer de pele é geralmente um tipo de tumor que poderia ser combatido com medidas simples, como usar o protetor solar corretamente e evitar exposição nos horários de sol forte.
“Outro passo essencial para prevenção deste tipo de câncer é a visita periódica ao dermatologista para um exame de rotina. Desta forma podemos evitar a maioria dos tumores cutâneos que acometem a nossa população”, salienta Dr. Robson Moura.
Neste ano, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) divulgou um consenso sobre fotoproteção voltado para brasileiros, em vez de apenas replicar dados de outros países.
Com isso, a entidade passou a recomendar que fosse usado protetor solar diariamente com fator 30 no mínimo. A decisão foi baseada na miscigenação da população e no clima do país, considerando suas diferenças entre regiões.
Pintas que merecem atenção redobrada:
Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Cancerologia, as pintas que merecem atenção são aquelas que tem pigmentação irregular, bordas assimétricas e aquelas que mudam de características com o tempo, aumentando de tamanho, espessura ou cor. Qualquer lesão cutânea que apareça deve ser sempre avaliada por um médico.
“É importante limitar ao máximo a exposição ao sol, usar protetor solar e chapéu, além de atentar para todas as pintas ou lesões novas ou aquelas que mudarem de características (tamanho, espessura e cor)”, alerta Dr. Robson.
Fatores de risco:
O principal fator de risco para o câncer de pele é a exposição solar associada diretamente com a radiação ultravioleta, considerada a principal causadora de alterações genéticas que, ao se acumularem, levam ao desenvolvimento de neoplasias (crescimento anormal e progressivo de tecido).
Prevenção primária:
É importante reduzir a exposição solar, em especial, nos horários de pico de incidência solar (das 10h às 16h), além do uso de protetor solar, roupas com fotoproteção, chapéus, óculos escuros e restrição da exposição à radiação UV adicional (sendo as câmaras de bronzeamento artificial a fonte mais comum).
Prevenção secundária:
O principal rastreamento de câncer de pele é o exame clínico. É feito por meio de uma intervenção não invasiva, de baixo custo e com ampla aceitação entre os pacientes.
Pacientes de alto risco:
Pacientes com pele e olhos claros, e sardas, em conjunto com a elevada exposição solar, são fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de pele. Pacientes com história familiar de melanoma também merecem atenção especial.

Bahia é líder em casos de tuberculose no Nordeste

A Bahia é o 3º estado com maior número de registros no país e o primeiro no Nordeste

A OMS-Organização Mundial da Saúde promove hoje uma mobilização global visando o combate à tuberculose, na data mundial consagrada ao combate à enfermidade. Segundo a OMS, o Brasil ocupa a 18ª posição entre os 22 países que detêm os piores índices da doença, com aproximadamente 70 mil casos novos e cerca de quatro mil mortes por ano. Salvador é a 3ª capital em número de casos da patologia, com uma média de duas mil novas notificações a cada ano. A Bahia é o 3º estado com maior número de registros no país e o primeiro no Nordeste.
Em 2014, foram notificados 4.900 casos novos de adoecimento e 351 óbitos por tuberculose, significando uma taxa de incidência de 33 casos por 100 mil habitantes, e de mortalidade, com 2,3 casos por 100 mil habitantes. O IBIT-Instituto Baiano de Investigação da Tuberculose - referência internacional sobre a enfermidade, notificou no ano passado 236 pacientes em Salvador, número que corresponde a 11% dos casos do município, com índice de cura de 87,7% e 3% de abandono do tratamento, índice superior ao exigido pela OMS.
Para alertar a população sobre a importância da realização do exame para detecção precoce do agravo, a Secretaria Municipal da Saúde promove durante essa semana uma série de atividades em alusão à data mundial nos postos da rede. Segundo Sandra Pereira, coordenadora do Programa Municipal de Combate à Tuberculose, “realizaremos a busca ativa de pessoas com sintomas respiratórios nas comunidades, além de ações educativas nas unidades básicas a fim de encaminhar de imediato o maior número de pacientes acometidos pela patologia para iniciar o tratamento”. Conforme a coordenadora, “as unidades básicas estão aptas para o acompanhamento integral dos acometidos pela doença, por uma equipe multidisciplinar, num tratamento totalmente gratuito que dura seis meses, em média”.
Visando “detectar, diagnosticar e curar, prevenindo a drogarresistência”, a Sesab também assinala hoje o dia consagrado ao combate à endemia com uma série de atividades, por meio do PCT-Programa de Controle da Tuberculose, em conjunto com entidades parceiras, como o IBIT, Fiocruz, Instituto de Saúde Coletiva da UFBA e Obras Sociais Irmã Dulce. Segundo a coordenadora do PCT, Rosângela Palheta, “a data é um estímulo à mobilização mundial, nacional, estadual e municipal para a realização de ações que deem visibilidade ao problema da tuberculose”.
Entre as atividades previstas estão palestras no IBIT, que acontecem desde segunda-feira e serão concluídas hoje. Ontem, houve uma Sessão Científica Especial no auditório da instituição, sob o tema “Teste Rápido Molecular no diagnóstico da tuberculose: impactos e novas perspectivas”. O teste de alta precisão apresentado é capaz de detectar a doença em até duas horas, enquanto o exame usado até hoje pode demorar mais de um mês para dar o resultado e sob maior margem de erro. Na segunda-feira, 28, às 14 horas, na Assembleia Legislativa da Bahia, acontece debate sobre o tema “Em tempo de Zika, a tuberculose fica” e, na quarta-feira, 30, também às 14 horas, no auditório do ISC-Instituto de Saúde Coletiva, da UFBA, acontece o seminário “Tuberculose: o que há de novo?”, enfocando questões como tuberculose e diabetes, tuberculose na infância, tecnologias da informação e da comunicação no controle da doença.    
O cenário epidemiológico da tuberculose na Bahia não apresenta mudanças significativas, dada a existência de bolsões de pobreza em todas as regiões do estado, fator determinante para a ocorrência da patologia. Apesar disso, observa-se redução no número de casos e na taxa de incidência a cada ano, conforme situação também notada nos dados de âmbito nacional. Os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia permanecem com o maior número de casos, representando 44,5% do total de casos novos do Brasil em 2013. Comparando com os demais estados do Nordeste, a Bahia contribuiu com 24,8% dos casos novos em 2013, ocupando o 1º lugar na região.
Os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia permanecem com o maior número de casos, representando 44,5% do total de casos novos do Brasil em 2013. Comparando com os demais estados do Nordeste, a Bahia contribuiu com 24,8% dos casos novos em 2013, ocupando o 1º lugar na região. No Brasil, entre as populações mais vulneráveis estão pessoas em situação de rua, as privadas de liberdade, indígenas e as contaminadas por HIV.

Giro da Noticia e agora Aércio

PF vai investigar morte de policial que acusava Aécio de ligação com tráfico.





Encontrado enforcado com gravata, Lucas Gomes Arcanjo fazia diversas acusações contra presidente do PSDB, como lavagem de dinheiro, compra de habeas corpus e até homicídio

Arcanjo ficou conhecido pelas críticas e acusações ao ex-governador e senador Aécio Neves
Reprodução/Facebook
Arcanjo ficou conhecido pelas críticas e acusações ao ex-governador e senador Aécio Neves

A pedido do ministro da Justiça, Eugênio Aragão, a Polícia Federal vai acompanhar as investigações sobre a morte do investigador da Polícia Civil de Minas Gerais Lucas Gomes Arcanjo, encontrado enforcado com uma gravata em sua casa em Belo Horizonte no sábado (26).
Arcanjo ficou conhecido por fazer críticas e acusações ao ex-governador de Minas e atualmente presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, divulgadas em seus perfis nas redes sociais.
O Ministério da Justiça informou que vai apoiar a investigação "tendo em vista as circunstâncias de óbito repentino do policial". Seguido no Facebook por quase 23 mil usuários, em diversos vídeos o policial acusava o tucano de ligação com narcotráfico, compra de habeas corpus, lavagem de dinheiro, corrupção e até homicídio.
Araújo criticava ainda a corrupção na própria Polícia Civil. Em uma das gravações, o policial diz que um corpo foi achado na propriedade de um primo do tucano, em Cláudio, onde o governo Aécio construiu um aeroporto. "Mas nada é investigado", afirmava Araújo, que estava de licença para fazer tratamento psicológico.
A Polícia Civil informou que não vai comentar o caso. A assessoria de Aécio divulgou nota dizendo que o caso "não guarda relação com política". "Trata-se de assunto da competência das polícias. É lamentável a irresponsável exploração que vem sendo feita pelo PT e seus aliados", diz o texto.

Cientistas japoneses fazem operação para tentar salvar satélite fora de controle

O Hitomi que foi projetado para estudar objetos espaciais pode estar sofrendo com explosão de bateria ou vazamento de gás

Satélite foi lançado em fevereiro
Jaxa
Satélite foi lançado em fevereiro
Dezenas de cientistas e engenheiros japoneses estão lutando para salvar um satélite - e milhões de dólares em investimento – que está fora de controle no espaço.
O satélite Hitomi, que significa a "pupila", foi lançado no mês passado.
Ele foi projetado para estudar objetos espaciais como buracos negros supermaciços, estrelas de nêutrons e aglomerados de galáxias, observando comprimentos de onda de energia de raios-X para raios gama.
Mas o tempo para salvar a missão está se esgotando.
O que aconteceu?
No último sábado, o Centro de Operações Espaciais dos Estados Unidos, que rastreia detritos espaciais, detectou cinco pequenos objetos ao redor do satélite.
O Japão até conseguiu um breve contato com a nave espacial depois disso, mas, em seguida, essa comunicação foi perdida.
O satélite também teria sofrido uma súbita mudança de rota. E observadores já o viram como uma luz piscando, o que sugere que ele possa estar caindo.
No dia seguinte, o Centro americano de Operações se referiu ao incidente como um "rompimento", apesar de que especialistas já esclareceram que o Hitomi pode estar praticamente intacto.
Mas, então, o que aconteceu com o satélite?
A Agência Espacial Japonesa (Jaxa) disse à BBC que não sabia, até o momento, o que teria acontecido com o Hitomi e que ainda está tentando reestabelecer a comunicação com ele.
Jonathan McDowell, um astrônomo do Centro de Astrofísica de Harvard, disse à agência de notícias AP que há duas possibilidades: uma explosão de bateria ou um vazamento de gás, colocando o satélite em um giro e o deixando incomunicável.
"É muito triste saber que isso aconteceu. Eu sei como a missão foi feita e sei que poderia ter acontecico conosco. O espaço não perdoa."
Mas o diretor de projetos do programa de satélite da Universidade Nacional de Singapura, Goh Cher Hiang, afirmou à BBC que graças ao sistema de monitoramento e de backup, as explosões de bateria eram "muito raras", enquanto um vazamento dos tanques pressurizados de combustível em satélites poderiam causar problemas.
Fatores externos poderiam também ser uma razão, explicou ele. "Pode ser também de uma colisão, seja algo do espaço mesmo ou um objeto feito pelo homem que estivesse lá."
Segundo ele, pequenos objetos não são necessariamente detectados por radares, e com peças ainda menores "uma colisão pode causar prejuízos graves" por causa da alta velocidade.
É raro perder um satélite?
"É raro", afirmou Goh. "Mas não é impossível – e é o motivo pelo qual muita gente adquire seguro de satélite, só para esses casos."
Uma falha completa da operação, em que nada poderia ser salvo da missão original, é ainda mais rara, especialmente quando parte de "instituições com reputação".
O satélite foi um investimento de US$ 273 milhões do governo japonês
Jaxa
O satélite foi um investimento de US$ 273 milhões do governo japonês
E agora?
Se for comprovado que é impossível salvar o satélite, a missão terá criado um imenso buraco negro em suas finanças. Os US$ 273 milhões investidos pelo governo japonês ainda não incluem os instrumentos fornecidos pela Nasa, pela Agência Espacial Canadense, ou pela Agência Europeia Espacial.
Seria também o terceiro satélite de raio-X japonês perdido ou criticamente afetado. Em 2000, o foguete que levava o satélite Astro-E caiu no mar e, quando seu sucessor, Suzaku, alcançou o espaço, seu instrumento principal acabou desativado por um vazamento de hélio em 2005.
Mas a Jaxa conseguiu recuperações pouco prováveis antes. Os engenheiros conseguiram obter a sonda Akatsuki na órbita de Vênus em dezembro do ano passado, depois de cinco anos que a nave espacial estava à deriva no espaço.
Existem razões para se ter esperanças?
O fato de a agência ter tido contato com o Hitomi por um curto período mesmo depois que os detritos foram encontrados próximo ao satélite é visto por alguns como um sinal de esperança, já que poderia indicar que a nave não está completamente destruída. A localização dela também é pouco conhecida.
Mas a recuperação rápida seria essencial. Se o satélite estiver caindo no espaço, como se pensa que está, ele pode não ser capaz de captar energia solar suficiente para se manter até ser encontrado.
Tudo depende de três fatores, segundo Goh. "Uma é comunicação; a segunda é energia; a terceira é o computador. Mas o mais importante agora é conseguir se comunicar com o satélite."
Se conseguirem fazer isso, a Jaxa tem a chance de descobrir o que houve de errado e como consertar. Mas se isso não for possível, "eles estarão perdidos".

Multas crescem 43% em um ano na capital

Multas crescem 43% em um ano na capital

No ano passado foram aplicadas 4 milhões a mais de infrações na comparação com 2014
Por: Diário SP Online
portalweb@diariosp.com.br
Em 2015, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) emitiu quatro milhões de multas a mais do que no ano anterior. Os dados foram divulgados na noite de terça (29), no site Mobilidade Segura, lançado em fevereiro para apontar todas as infrações de trânsito cometidas na capital.
Segundo a companhia, no ano passado foram anotadas 13,3 milhões de multas contra 9,3 milhões em 2014. O número é 43,3% maior.
Coincidentemente, a partir de julho de 2015 passou a vigorar a redução de velocidade em São Paulo. O limite máximo, nas pistas expressas das marginais Pinheiros e Tietê é, desde então, de 70 km/h.
O balanço também aponta que subiu o número de multas eletrônicas, ou seja, geradas por radares. Do total, passou de 66,52% em 2014 para 71,94%.
Dados da própria CET, publicados pelo DIÁRIO no mês passado, mostraram que o número de radares saltou de 573 equipamentos em 2014 para 806 no ano passado, um crescimento de 40%, ou seja, pouco menor que o crescimento no total de multas aplicadas.
Balanço também aponta que subiu o número de multas eletrônicas, ou seja, geradas por radares/ Divulgação 
Em 2015, a capital contava com 8,1 milhões de veículos contra 7,9 milhões no ano anterior. Ou seja, o crescimento de veículos nas ruas (de 2,5%) foi muito menor que o de multas aplicadas.
Os carros foram responsáveis por 71,7% das autuações, seguido por utilitários (18,73%), ônibus (0,43%), caminhões (4,62%) e motos (3,79%). Outros veículos levaram 0,74% das multas. Fábio Pescarini

Veja se você pode sacar o abono do PIS

Benefício, equivalente a um salário mínimo vigente na data do pagamento, é sacado em agências da Caixa Econômica Federal

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) identifica, todo ano, milhões de trabalhadores e trabalhadoras aptos ao recebimento do abono salarial do Programa de Integração Social (PIS).
Pagamento do abono do PIS é feito em todas as agências da Caixa Econômica Federal e lotéricas
Agência Brasil
Pagamento do abono do PIS é feito em todas as agências da Caixa Econômica Federal e lotéricas
O benefício, equivalente a um salário mínimo vigente na data do pagamento, deve ser sacado pelo trabalhador de acordo com o calendário (ordenado por nascimento) divulgado anualmente pelo MTE. Mas quais são os critérios que dão direito ao saque?
Quem tem direito ao Abono Salarial?
- Estar cadastrado no PIS/PASEP há pelo menos cinco anos;
- Ter recebido de empregador contribuinte do PIS/PASEP (inscrito sob CNPJ) remuneração mensal média de até dois salários mínimos durante o ano-base que for considerado para a atribuição do benefício;
- Ter exercido atividade remunerada, durante pelo menos 30 dias, consecutivos ou não, no anobase considerado para apuração;
- Ter seus dados informados pelo empregador corretamente na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) do ano-base considerado.
Quem NÃO tem direito ao Abono Salarial?
- Trabalhadores urbanos vinculados a empregador Pessoa Física;
- Trabalhadores rurais vinculados a empregador Pessoa Física;
- Diretores sem vínculo empregatício, mesmo que a empresa tenha optado pelo recolhimento do FGTS;
- Empregados domésticos;
- Menores aprendizes.
Quando é possível o saque das quotas do PIS?
- Aposentadoria;
- Benefício Assistencial à pessoa portadora de deficiência e ao idoso;
- Doenças listadas na Portaria Interministerial MPAS/MS 2.998/2001(do participante ou dependente);
- Idade igual ou superior a 70 anos;
- Invalidez (do participante ou dependente) / Reforma militar;
- Morte do participante;
- Neoplasia maligna - câncer (do participante ou dependente); 
- SIDA/AIDS (do participante ou dependente); 
- Transferência de militar para a reserva remunerada.
Como sacar
O saque do benefício pode ser feito nas agências da Caixa Econômica Federal (CEF) ou por meio do Cartão do Cidadão nos canais de autoatendimento do banco, casas lotéricas e correspondentes Caixa Aqui. Também serão pagos os rendimentos do saldo de quotas do PIS para os trabalhadores cadastrados no programa até 04/10/1988.
Para saber se tem direito ao recebimento de um salário mínimo, o trabalhador pode ligar no 0800 726 0207 ou fazer a consulta pelo site da Caixa. Correntistas da banco recebem o crédito do pagamento diretamente nas suas contas. 

Aprovação ao governo Dilma vai a 10% e reprovação chega a 69%, aponta CNI/Ibope

Divulgação de pesquisa da CNI-Ibope ocorre em meio a processo de impeachment e desembarque do PMDB

Presidente Dilma Rousseff durante entrevista para veículos da imprensa internacional
Presidência da República/Divulgação - 24.03.2016
Presidente Dilma Rousseff durante entrevista para veículos da imprensa internacional
A mais nova pesquisa CNI/Ibope, divulgada na manhã desta quarta-feira (30) pela Confederação Nacional das Indústrias, mostra que a avaliação ao governo Dilma Rousseff permaneceu estável nos principais índices, com pequenas oscilações, para cima ou para baixo, dentro da margem de erro. No total, foram ouvidas 2.002 pessoas de 142 municípios, entre os dias 17 e 22 de março.
A aprovação ao governo – aqueles que o consideram bom ou ótimo – teve pequena evolução: enquanto, na última pesquisa da CNI/Ibope, divulgada em dezembro, ela foi de 9%, o novo levantamento mostra que subiu para 10%. A popularidade de Dilma continua baixa. Na avaliação de 69% da população, o atual governo é ruim ou péssimo, número similar aos 70% registrados em 2015.
A popularidade é um pouco melhor na região Nordeste, onde 18% avaliam o governo como ótimo ou bom. Na região Sudeste, o percentual cai para 7%.
Entre os entrevistados, 80% não confiam na presidente e 82% desaprovam sua maneira de governar. Entre as pessoas que têm até a quarta série do ensino fundamental, 70% desaprovam e 24% aprovam a maneira de governar de Dilma. Entre os que têm educação superior, 87% desaprovam e 9% aprovam a maneira do governo atuar.
80% dos brasileiros dizem que o segundo governo Dilma está sendo pior que o primeiro e 68% acham que o restante do mandato da presidente deverá ser ruim ou péssimo.
Esse é o quarto trimestre consecutivo que o governo de Dilma alcança o maior percentual de desaprovação registrado desde o fim do governo Sarney, aponta a pesquisa CNI-Ibope
Insatisfação
A principal insatisfação dos brasileiros é com as políticas para impostos de juros. Segundo a pesquisa, 91% desaprovam a atuação do governo na área de tributos e 90% reprovam a taxa de juros. Na área da saúde, o governo aparece com 87% de desaprovação. O combate ao desemprego e controle da inflação aparecem em seguida com 86% de reprovação.
As áreas com menor insatisfação das pessoas são: combate à fome e à pobreza (69% de desaprovação) e meio ambiente (68% de desaprovação). Em seguida, vem a educação, com 74% de reprovação.
Veja imagens da manifestação contra Dilma em todo o País
Na Avenida Paulista; manifestante criticou o regime comunista. Foto: André Tambucci/ Fotos Públicas - 13.3.16
Manifestantes fizeram o enterro simbólico do ex-presidente Lula durante o ato na Avenida Paulista. Foto: André Tambucci/ Fotos Públicas - 13.3.16
Manifestante propõe ressuscitar 1964 durante ato na Avenida Paulista. Foto: André Tambucci/ Fotos Públicas - 13.3.16
protesto pixuleco - impeachment - 13-03-2016 - avenida paulista - são paulo. Foto: Renato Ribeiro Silva/Futura Press - 13.03.2016
São Paulo: Vale até malabarismo para registrar a participação no ato do 13 de março. Foto: André Tambucci/ Fotos Públicas - 13.3.16
O pedalinho no sítio de Atibaia (SP), usado pela família de Lula, serviu de inspiração no ato contra o governo, em São Paulo. Foto: Rovena Rosa/ Agência Brasil - 13.3.13
Manifestantes favoráveis a presidente Dilma fizeram um churrasco de coxinhas de frango no Parque Farroupilha, em Porto Alegre. Foto: Daniel Isaia/ Agência Brasil - 13.3.16
Ato esvaziado no Rio de Janeiro defendeu a presidente Dilma; manifestante tira o nome do vice, Michel Temer, da bandeira. Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil - 13.3.16
Lula retribui manifestação de apoio feita em frente ao prédio onde mora, em São Bernardo do Campo (SP). Foto: Adonis Guerra/ SMABC/Divulgação - 13.3.16
Protesto contra Dilma Rousseff em São Luís (MA). Foto: Honório Moreira/Futura Press - 13.03.16
Protesto contra o governo Dilma Rousseff (PT), na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte (MG). Foto: Alberto Wu/Futura Press - 13.03.16
Em ato no Rio, cariocas também pediram intervenção militar. Foto: Alessandro Buzas/Futura Press - 13.03.16
Artistas também participaram dos protestos. No Rio de Janeiro, Susana Vieira se manifestou contra Dilma Rousseff. Foto: Delmiro Junior/Futura Press - 13.03.16
Manifestante pró-PT tirou a roupa para protestar em apoio a Dilma Rousseff na Avenida Paulista e foi retirada por policiais militares. Foto: Kevin David/Futura Press - 13.03.16
Manifestantes tiram fotos com militares e tropa de choque em protesto em SP. Foto: Kevin David/Futura Press - 13.03.16
Bonecos infláveis de Lula e Dilma Rousseff na Avenida Paulista. Foto: Newton Menezes/Futura Press - 13.03.2016
Manifestantes protestam contra a presidente Dilma Rousseff e o ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva neste domingo (13) em Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro.. Foto: Luciano Belford/Estadão Conteúdo - 13.03.16
Manifestantes de Brasília fazem menções à ações da PF e do MP-SP contra o ex-presidente Lula. Foto: Charles Sholl/Futura Press - 13.03.16
Em Brasília, manifestantes levaram o Pixuleco – boneco de Lula vestido de presidiário – para o protesto. Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo - 13.03.16
Deputado Jair Bolsonaro compareceu à manifestação anti-Dilma em Brasília. Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo - 13.03.16
Ações contra o ex-presidente Luiz Inácio da Silva levam às ruas do Recife movimentos anti-PT. Foto: Pablo Kennedy/Futura Press - 13.03.16
Movimentação do protesto contra o governo Dilma Rousseff (PT) em Salvador. Foto: Fabio Bouzas/Futura Press - 13.03.16
Manifestação em Salvador foi organizada pelo movimento Vem Pra Rua. Foto: Fabio Bouzas/Futura Press - 13.03.16
Manifestações contra Dilma Rousseff no centro de Belém. Foto: Raimundo Paccó/Estadão Conteúdo
Manifestação no Rio de Janeiro. Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo - 13.03.16
Paulistas pedem o fim da corrupção e apoiam o juiz federal Sérgio Moro, na Avenida Paulista. Foto: J. Duran Machfee/Futura Press - 13.03.16
No entanto, movimentos pró-Dilma e pró-Lula passaram pela Avenida e colocaram cartazes de apoio aos petistas. Foto: J. Duran Machfee/Futura Press - 13.03.16
Na Avenida Paulista; manifestante criticou o regime comunista. Foto: André Tambucci/ Fotos Públicas - 13.3.16