Web Radio Jesus Cristo Gospel: 2015-11-01

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Produção de lenha em área reflorestada protege natureza, diz especialista

fazenda_sustentavel_madeira (Foto: Acervo/Ed. Globo)
A crescente produção de lenha e carvão a partir da implantação e regeneração de florestas (silvicultura) vem contribuindo para a diminuição da pressão sobre as florestas nativas do país, disse o pesquisador do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
(IBGE), Luiz Celso Lins.
Dados da pesquisa Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura (Pevs 2014), divulgados nesta quinta-feira (5/11) pelo IBGE, mostram que a produção de extrativismo vegetal e de regeneração florestal no país registrou o valor de R$ 20,8 bilhões, em 2014.
Do total, a atividade econômica que se ocupa das atividades ligadas a implantação e regeneração de florestas – a silvicultura – contribuiu com 77,7%, o equivalente a R$ 16,1 bilhões. Já a extração vegetal (coleta ou retirada de produtos em matas e florestas
nativas) participou com 22,3% do total, o equivalente a R$ 4,6 bilhões.
"[Os números mostram que] o carvão e a lenha vêm sendo substituídos por madeira advinda da silvicultura, principalmente o eucaliptos e o pinus,  diminuindo a pressão sobre as florestas: o setor de carvão, por exemplo, hoje já tem os seus próprios plantios", disse o técnico.
Celso Lins lembrou que, em 1990, a extração vegetal chegava a responder por 67% de toda a madeira produzida, enquanto a silvicultura era responsável por apenas 33% do produto obtido em florestas brasileira. Cinco anos depois, esse percentual inverteu-se: a extração vegetal respondia por apenas 47% da madeira produzida, enquanto a silvicultura correspondia a 53%.
Em 2000, as florestas plantadas já respondiam por 77% da produção total de madeira.
Para Celso Lins, no entanto, o processo de inversão é decorrente da fiscalização, que tem atuado com mais eficácia, com alguns estados, que tornaram obrigatório o uso de madeira proveniente da silvicultura para a indústria moveleira e olarias.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Mulher é apedrejada até a morte por cometer adultério no Afeganistão

Mulher é apedrejada até a morte por cometer adultério no Afeganistão

(Foto: Thinkstock)(Foto: Thinkstock)
Uma jovem afegã foi apedrejada até a morte por talibãs e chefes de guerra por tentar fugir com o seu amante, informaram nesta terça-feira (3) as autoridades do Afeganistão.

Um vídeo do incidente, confirmado como verdadeiro pelo governo provincial, circula nas redes sociais e foi divulgado na televisão.

O apedrejamento ocorreu “há cerca de uma semana” em Ghalim, área montanhosa e de deserto na província de Ghor, informou à agência France Press (AFP) a governadora Sima Joyenda, uma das duas mulheres que governam províncias do Afeganistão.

No vídeo, vê-se uma jovem de pé, em um buraco aberto no chão, apenas com a cabeça de fora, enquanto um homem vestido de preto pega uma pedra e atira em sua direção. Em seguida, três homens atiram pedras. Um deles sugere à jovem que recite a shahada, a profissão de fé muçulmana.

Abdul Hai Katebi, porta-voz da governadora, assegurou à AFP que as imagens são autênticas.

A vítima “foi apedrejada até à morte por talibãs, por clérigos e chefes de guerra irresponsáveis”, reagiu Sima Joyenda, acrescentando que a jovem tinha entre 19 e 20 anos e foi casada contra a sua vontade. “Tinha fugido com outro homem da sua idade”, explicou.

A governandora condenou a morte e pediu ao governo central de Cabul que liberte a região do controle dos talibãs.

Menino de sete anos cuida de seu pai paralisado após mãe abandoná-los

Menino de sete anos cuida de seu pai paralisado após mãe abandoná-los

(Reprodução/Daily Mail)(Reprodução/Daily Mail)Ou Tongming, um trabalhador de 37 anos de idade, da aldeia Wangpu, na província de Guizhou, localizada na região sudoeste da China, despencou do segundo andar de uma construção em 2013. O resultado do acidente foi uma lesão medular que acabou o paralisando da cintura para baixo.
A família vive em condições de pobreza e gastou todas as economias que possuía em tratamentos médicos para o pai. Mesmo nesta situação, a esposa de Tongming decidiu fugir com a filha mais nova, de apenas 3 anos de idade. Desde então, nunca mais se ouviu falar da mulher. Isso fez com que Ou Yanglin fosse o único familiar próximo ao pai paraplégico.
Há mais de um ano, Yanglin acorda todas as manhãs às 6h para dar comida ao pai antes de ir para a escola, aprendeu sozinho a cozinhar arroz e fazer compras no mercado local. Na hora do almoço ele corre de volta para casa para alimentar seu pai novamente.
(Reprodução/Daily Mail)(Reprodução/Daily Mail)
Tongming confessou que ele estava à beira do suicídio por tanto pensar no fardo que colocou em cima do filho devido à debilidade. Porém, ele achou melhor não deixá-lo sozinho.
"Eu não estava tão determinado a ponto de deixar meu garoto órfão", disse o homem em entrevista ao Shanghaiist.
Yanglin, que só agora começou a frequentar a primeira série, vasculha as ruas em seu caminho depois da aula para coletar algumas sucatas a fim de revendê-las e fazer algum dinheiro. Em média ele consegue recolher material suficiente para trocar por uma quantia de 20 yuans por dia. Fora isso, os dois sobrevivem graças a uma pensão destinada a pessoas em condições carentes, com objetivo de evitar pedidos de esmola pelas ruas.
(Reprodução/Daily Mail)(Reprodução/Daily Mail)
As circunstâncias chocantes da fuga da mãe são conhecidas pelos vizinhos da família, que têm se esforçado para oferecer ajuda sempre que possível dentro dos que eles conseguem, já que são igualmente pobres.
'Meu pai precisa de remédio, mas eu não tenho dinheiro ", disse Yanglin à mídia local.
Depois de voltar para casa a criança ainda ajuda a virar o seu pai na cama para que um remédio possa ser aplicado na parte de trás de seu corpo, com objetivo de evitar a formação de feridas devido aos longos períodos deitado.
Yanglin disse que mais do que qualquer outra coisa ele que ele espera "crescer rapidamente", a fim de conseguir ganhar dinheiro para curar as aflições de seu pai.
A história da família se espalhou e pessoas bondosas que se comoveram com as condições de vida do pai criaram um fundo de caridade em seu nome para oferecer ajuda financeira.