Web Radio Jesus Cristo Gospel: 2014-05-11

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Pastor Cesino Bernardino admite que pastores pregavam bêbados e se prostituíam com cantoras no Gideões Missionários; Assista


Pastor Cesino Bernardino admite que pastores pregavam bêbados e se prostituíam com cantoras no Gideões Missionários; AssistaAs denúncias feitas pelo pastor e rapper Juninho Lutero sobre os bastidores do Gideões Missionários da Última Hora foram confirmadas pelo líder do ministério, pastor Cesino Bernardino.
Durante uma das reuniões do 32º Congresso dos Gideões, que está sendo realizada em Camboriú (SC), Bernardino admitiu que havia pastores que compareciam ao evento embriagados e que ao final do dia, se encontravam com cantoras gospel em motéis.
“[Teve] gente que brincou muito, e vinha para esse púlpito fedendo a uísque, entendeu? Gente que vinha a esse púlpito e saía daqui e ia pro motel, brincando com gente que canta bonito também… Não brinque, porque Deus está tratando com cada um”, disse o pastor Cesino.
A denúncia sobre uso de drogas e prostituição foi feita pelo rapper Juninho Lutero através da música “Gideões: Prostitutas de Terno e Gravata”, onde o pastor acusa ainda a organização do evento de cobrar R$ 50 mil dos interessados em pregar no evento.
“Congresso dos Gideões é uma farsa, composta por pastores que cheiram pó e bebem cachaça. É claro que não falo de todos, mas homens de Deus ali dentro são bem poucos. Na verdade, Camboriú visa lucro e não missões. Zombam da fé alheia no palco dos Gideões”, diz trecho da música.
Ao tomar conhecimento da fala do pastor Cesino Bernardino, o rapper comentou o fato em sua página no Facebook: “Depois de provas e convencimento pelo Espírito Santo: o próprio líder dos Gideões admitiu publicamente que muitos pregadores subiram bêbados no altar e que se prostituíam com cantoras em motéis durante o congresso. Agora, vamos orar para que Deus sustente o pastor Cesino e lhe dê forças para dar um basta à babilônia eclesiástica que se tornou o GMUH. Vamos orar para que DEUS tome a direção mais uma vez deste congresso”, escreveu Lutero.

Drogas e prostituição nos Gideões - Pr Cesino Admite

A Natureza em Furia


Travessia de Salvador até Mar Grande é suspensa; ventos são de 40 km/h

Segundo Astramab, interrupção ocorre pelos fortes ventos nesta segunda.
Associação indica que travessia só retornará se houver melhora no tempo.

Do G1 BA
A travessia marítima Salvador-Mar Grande foi suspensa na manhã desta segunda-feira (12) devido às condições impróprias para navegação na Baía de Todos-os-Santos, com fortes ventos e mar agitado. A informação é da Assciação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab).
A Astramab afirma que também não operam nesta segunda as escunas de turismo que fazem o passeio pelas ilhas. Segundo a associação, o serviço só será retomado se houver melhora do tempo. No domingo, os ventos de até 40 km/h também provocaram a suspensão do serviço.
Somente a linha marítima entre Salvador - Morro de São Paulo é realizada. No entanto, a travessia é feita com conexão em Itaparica. Os catamarãs saem do Terminal Náutico, no Comércio, e atracam em Itaparica, onde os passageiros desembarcam e seguem via terrestre até a Ponta do Curral, em Valença. De lá, atravessam para Morro.

Justiça Seja Feita

12/05/2014 14h50 - Atualizado em 12/05/2014 16h52

Joaquim Barbosa revoga trabalho externo de Delúbio Soares

Presidente do STF alegou que petista ainda não cumpriu um sexto da pena.
Ex-tesoureiro do PT trabalha na sede da CUT em Brasília desde janeiro.

Mariana OliveiraDo G1, em Brasília
O presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, decidiu nesta segunda-feira (12), monocraticamente, revogar o trabalho externo do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, condenado no julgamento do mensalão do PT a seis anos e oito meses de prisão pelo crime de corrupção ativa. A defesa do petista anunciou que irá recorrer ao plenário da Suprema Corte.
Delúbio Soares trabalha na sede da Central Única de Trabalhadores (CUT) em Brasília desde janeiro último. Ele exerce a função de assessor da direção nacional da central sindical, com salário de R$ 4,5 mil.
Não se pode permitir que o condenado escolha como executará sua pena, tampouco franquear-lhe meios de frustrar o seu cumprimento, sob pretexto de estar a executar 'trabalho externo'"
Autor
A exemplo do que já havia decidido na semana passada em relação a outros três condenados (José Dirceu, Romeu Queiroz e Rogério Tolentino), Joaquim Barbosa entendeu que, embora no regime semiaberto, Delúbio Soares não pode trabalhar porque ainda não cumpriu um sexto da pena, conforme estabelece a Lei de Execução Penal (LEP).
As decisões da semana passada já indicavam que outras autorizações de trabalho externo seriam revogadas. Mais seis condenados do processo do mensalão ainda deverão perder o direito de deixar o presídio, como os ex-deputados Valdemar Costa Neto e João Paulo Cunha.
Segundo Joaquim Barbosa, a legislação estabelece o cumprimento de um sexto da punição antes da autorização de saída dos detentos do regime semiaberto do presídio durante o dia para exercer atividade remunerada. Antes disso, eles podem trabalhar somente dentro da prisão. Especialistas divergem sobre a decisão de Joaquim Barbosa, uma vez que vários entendimentos do Superior Tribunal de Justiça (STJ) autorizam a saída para trabalhar.
Com base na decisão de Barbosa, Delúbio Soares só poderá pleitear o trabalho externo a partir de dezembro deste ano, quando terá cumprido um sexto da pena. A defesa do ex-tesoureiro ainda poderá recorrer ao plenário do Supremo para reverter a decisão.
Na decisão que revogou o trabalho do ex-tesoureiro, Joaquim Barbosa lembrou que, embora tenha delegado à Vara de Execuções Penais (VEP) a execução das penas, ficou decidido que todas as deliberações seriam enviadas ao relator da ação do mensalão para reexame. O trabalho externo de Delúbio Soares havia sido autorizado pela VEP do Distrito Federal.
Barbosa destacou que os entendimentos do STJ "violam" o que está previsto na Lei de Execução Penal. Segundo ele, "ao eliminar a exigência legal de cumprimento de uma
pequena fração da pena total aplicada ao condenado a regime semiaberto, as VEPs e o Superior Tribunal de Justiça tornaram o trabalho externo a regra do regime semiaberto, equiparando-o, no ponto, ao regime aberto, sem que o Código Penal ou a Lei de Execução Penal assim o tenham estabelecido". "Noutras palavras, ignora-se às claras o comando
legal, sem qualquer justificativa minimamente aceitável."
O presidente do Supremo destaca também que, para obter autorização para deixar o presídio, é preciso que a empresa tenha convênio com o Estado. Para Joaquim Barbosa, não há controle em relação às atividades de Delúbio Soares na CUT. "Verifico que a fiscalização a cargo dos órgãos estatais é praticamente inexistente, uma vez que, até o presente momento, foi realizada apenas uma fiscalização no local de trabalho do sentenciado."
Joaquim Barbosa destaca que Delúbio trabalha na mesma "agremiação política de que sempre foi militante".
"No caso sob exame, o apenado Delúbio Soares foi autorizado a trabalhar na CUT, entidade manifestamente vinculada à agremiação política de que sempre foi militante. Não se tem notícia de qualquer controle do Poder Público sobre a atividade por ele desenvolvida; não se
sabe quais são os requisitos para o controle de sua produtividade; tampouco há registro de quem controla a sua frequência e a sua jornada de trabalho, muito menos de como se exerce a indispensável vigilância."
Para o presidente do Supremo, "não se pode permitir que o condenado escolha como executará sua pena, tampouco franquear-lhe meios de frustrar o seu cumprimento, sob pretexto de estar a executar "trabalho externo'".

A Natureza Contra Ataca


Ondas invadem área de ferry durante travessia; passageira registra vídeo

Situação ocorreu na tarde de domingo (11), no ferry Maria Bethânia.
Empresa responsável por travessias afirma que mar estava revolto.

D
A passageira de um ferry-boat que fazia a travessia entre a Ilha de Itaparica eSalvador, na tarde de domingo (11), gravou o momento em que ondas provocadas pelo mar revolto fizeram a água do mar invadir o local onde os veículos são transportados.
Segundo relato de Regiane de Souza, houve bastante pânico entre os passageiros e muitas pessoas caíram por causa do balanço forte do ferry. "Tivemos a sensação de que ia virar. As pessoas correram para pegar o colete salva-vidas", conta em entrevista ao G1.
De acordo com informações da Internacional Marítima, empresa que administra o transporte pela Baía de Todos-os-Santos, a situação ocorreu na viagem das 15h30 do domingo e o mar estava realmente muito revolto. No entanto, a empresa afirma que a travessia foi realizada até o final e não houve registro de feridos.

As Mudanças São Feitas e o Povo Sofrendo

Cadastro para acesso de moradores durante a Copa inicia nesta segunda

Vias localizadas no entorno da Arena Fonte Nova serão fechadas.
Moradores cadastrados receberão adesivos para ter acesso às ruas.

D
Comente agora
Viaduto de acesso a Arena Fonte Nova, Bahia (Foto: Lílian Marques/ G1)Viaduto de acesso a Arena Fonte Nova, Bahia
(Foto: Lílian Marques/ G1)
Os moradores dos bairros localizados dentro do perímetro de isolamento da FIFA poderão realizar o cadastro para o credenciamento de acesso a essas áreas a partir desta segunda-feira (12), no site da Transalvador.
Cada residência só poderá cadastrar, no máximo, dois automóveis. O morador cadastrado receberá adesivos que devem ser colados no para-brisa do carro, em local visível. Os adesivos serão entregues em datas e horários informados através de e-mail fornecido no credenciamento.
Apenas os moradores de áreas que não possuem acesso alternativo terão direito aos adesivos. Caso a residência do morador não esteja entre as listadas para cadastramento, ele deve procurar vias alternativas ou acessar as ruas até 5 horas antes do início das partidas, e regressar 1 hora após o término. A única exceção é a Av. Presidente Costa e Silva, localizada ao redor do Dique do Tororó, que será interditada às 20h do dia anterior aos jogos.
De acordo com a Transalvador, ainda não há data marcada para o encerramento do credenciamento.
Confira abaixo alternativas de acesso às ruas bloqueadas em dias de jogos:
Jardim Baiano, Rua Santa Clara (Desterro), Travessa Desterro, Rua do Carro – acesso deverá ser realizado pela Av. Joana Angélica.
Rua da Cova da Onça, Ladeira da Fonte das Pedras – o acesso fica condicionado aos horários das partidas, em virtude do acesso dos torcedores pelo portão norte.
Av. Joana Angélica, trecho entre o Campo da Pólvora e a Travessa Marquês de Barbacena– acesso exclusivo pelo Vale de Nazaré ou pelo bairro de Nazaré. O acesso não será possível pela Piedade, Ladeira de Santana ou Ladeira da Fonte das Pedras.
Av. Guarany, Vila Platina, Rua Maria Dusá e Rua Dique Pequeno – acesso e regresso pela Avenida Vasco da Gama.
 
Av. Presidente Costa e Silva (Quadra Apache) – acesso e regresso pela Praça João Mangabeira.
Região da Mouraria - deve-se utilizar o acesso através da Baixa dos Sapateiros, Ladeira de Santana, Travessa Gravatá e Mouraria.

Região da Saúde – deve-se utilizar o túnel Américo Simas, Sete Portas, Vale de Nazaré e Travessa Marquês de Barbacena.

Tororó e adjacências – Baixa dos Sapateiros, Ladeira de Santana, Rua do Tinguí, Av. Joana Angélica, Rua José Duarte ou Vale dos Barris, Estação da Lapa e acesso ao Tororó.

Ruas que margeiam o Dique, sentido Bonocô – o acesso se dará pelo bairro do Engenho Velho de Brotas. Para sair das referidas ruas, poderá ser utilizada a Avenida Vasco da Gama (Dique), no contra fluxo.

Jardim Baiano – o acesso será pela Rua Arquimedes Gonçalves e a saída pela Rua Boulevar Américo.
 
Rua do Carro – o acesso e saída será pelo Campo da Pólvora.