Web Radio Jesus Cristo Gospel: 2014-03-02

terça-feira, 4 de março de 2014

Giro Gospel

Pastor Marcos Pereira preso por estupro será solto diz jornal

Pastor Marcos Pereira preso por estupro será solto diz jornal
Pastor Marcos Pereira preso por estupro será solto diz jornal
Pastor Marcos Pereira, líder da igreja Assembleia de Deus dos Últimos, que preso desde março de 2013 sob acusação de estupro, pode ser solto a qualquer momento.
O pastor foi condenado a 15 anos de prisão pela 2ª Vara Criminal de São João de Meriti, (RJ). Nesta sexta-feira (21) a Vara de Execuções Penais emitiu uma ordem para que o pastor Marcos Pereira cumpra a pena em regime semiaberto, segundo informações no site do jornal o Globo.
Recentemente, havia sido negado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) um pedido de habeas Corpus feito pela defesa do pastor. Agora, segundo o jornal, a ordem para libertar o religioso partiu da Vara de Execuções Penais, e acaba de chegar ao Complexo Penitenciário de Bangu.
Segundo a publicado pelo site do jornal o Globo, o pastor pode ganhar a liberdade a qualquer momento.

Polícia prende suspeitos de matar adolescente em ritual de magia negra em BH

Polícia prende suspeitos de matar adolescente em ritual de magia negra em BH
Polícia prende suspeitos de matar adolescente em ritual de magia negra em BH

Polícia prende suspeitos de matar adolescente em ritual de magia negra em BH. A Polícia Civil apresentou nesta segunda-feira três suspeitos de matar uma adolescente de 17 anos durante um ritual de magia negra no Bairro São Bernardo, Região Norte de Belo Horizonte.

O crime brutal aconteceu no dia 31 de outubro de 2013, data escolhida pelos assassinos por ser Dia das Bruxas. A menor teve o pescoço cortado e o corpo jogado do segundo andar de uma casa onde funcionava o centro de candomblé.
Camilla Christina Oliveira de Souza se interessou pela religião e passou por um ritual de iniciação para começar a frequentar o centro. De acordo com a delegada Cristiana Angelini, a jovem recebeu uma guia – um colar – preto que deveria usar sempre. Incomodada com a peça, ela resolveu retirar, o que gerou a raiva do pai de santo Raony Dias Miranda. Ele combinou com outros dois frenquentadores do centro de matar Camilla e “fechar o corpo” dos três. Eles consideraram falta de respeito a adolescente não aceitar a guia.
No dia 31, os assassinos armaram uma emboscada para a jovem, atraindo Camilla para a casa onde funcionava o centro de candomblé. Quando ela chegou, foi atacada com uma “gravata” por Warley dos Reis Valentin da Silva, que teve ajuda de Kliver Marlei Alves dos Santos. Os dois seguraram a menor e Raony cortou o pescoço dela com uma faca. Em seguida, os três beberam o sangue da adolescente, arrastaram o corpo e o jogaram do segundo andar da casa. O corpo de Camilla foi encontrado na calçada da casa cheio de fraturas.
Os envolvidos fugiram logo depois do crime. Policiais foram até o local para recolher o corpo e fazer perícia, mas acharam estranho o cadáver estar sem sangue. Ao entrar no imóvel acharam o sangue dentro de uma bacia, junto com a faca usada no crime. Testemunhas informaram aos policiais que ouviram muitos gritos quando a menina foi morta e que os assassinos colocaram som alto para disfarçar. O irmão de Camilla, também ouvido pela polícia, disse que recebeu uma ligação no dia do assassinato com alguém se identificando como lúcifer e avisando que algo ruim aconteceria.
Quando foram presos, os envolvidos negaram o crime. Disseram que um rapaz matou Camilla e os obrigou a jogar o corpo. Os três já tem passagens na polícia por tráfico de drogas e Kliver foi preso recentemente por porte ilegal de arma.

Pastor Marco Feliciano será julgado pelo STF por estelionato

Pastor Marco Feliciano será julgado pelo STF por estelionato
Pastor Marco Feliciano será julgado pelo STF por estelionato

Pastor Marco Feliciano será julgado pelo STF por estelionato. Uma ação impetrada contra o deputado federal pastor Marco Feliciano (PSC-SP) pelo crime de estelionato está próxima de ser julgada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

A ação tem como relator o ministro Ricardo Lewandowski. Feliciano é acusado de ter subtraído, em março de 2008, R$ 13,3 mil de uma produtora de shows evangélicos do interior do Rio Grande do Sul. A expectativa é que a ação seja julgada no primeiro semestre deste ano.
O caso começou a ser investigado pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPE-RS) em 2008, mas a ação subiu para o Supremo em 2011, após ele assumir uma cadeira na Câmara Federal.
“O processo já passou pela Procuradoria-Geral da República que pediu a absolvição do pastor”
Em maio do ano passado, a Procuradoria-Geral da República (PGR) apresentou as alegações finais do processo, pedindo a absolvição de Feliciano, afirmando que “não se provou que o acusado pretendeu obter para si vantagem ilícita, mediante simulação de contrato”.
“Para a caracterização do crime de estelionato é necessário que o agente obtenha vantagem ilícita, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante meio fraudulento. [...] Não se provou que o acusado pretendeu obter para si vantagem ilícita”, afirmou o então procurador-geral Roberto Gurgel. O ministro Ricardo Lewandowski pede desde outubro do ano passado para que o caso seja julgado pelo Supremo.
Pela denúncia inicialmente formulada pelo MPE-RS, Feliciano foi contratado para participar de um show gospel na cidade de São Gabriel, distante 320 quilômetros de Porto Alegre, mas não compareceu. A apresentação deveria ter acontecido dia 15 de março de 2008 e Feliciano era apontado como a atração principal da noite.
No processo, Feliciano alegou “motivos de força maior” para não comparecer ao show e durante a investigação, o MPE gaúcho descobriu que, no mesmo dia, ele havia previamente marcado uma outra apresentação no Rio de Janeiro. A empresária responsável pela contratação de Feliciano, Liane Marques, alegou no processo que teve um prejuízo de R$ 100 mil pelo não comparecimento do deputado federal no show.
O deputado federal afirmou no processo que fora convidado para fazer uma palestra, não um show. Além disso, ele disse que não compareceu ao show evangélico porque estava doente.
A ação contra Feliciano é um dos 38 processos criminais contra parlamentares que estão prontos para serem julgados pelo Supremo Tribunal Federal em 2014. Atualmente, correm na corte aproximadamente 250 processos contra políticos. Alguns deles, desde julho de 2003. Alguns ministros, como Marco Aurélio Mello, têm pressionado o presidente Joaquim Barbosa para que sejam pautados os processos mais antigos com receio de que alguns crimes prescrevam.

Grupo de evangélicos evangelizam sobre duas rodas no sertão de Alagoas

Grupo de evangélicos evangelizam sobre duas rodas no sertão de Alagoas
Grupo de evangélicos evangelizam sobre duas rodas no sertão de Alagoas

Um grupo de evangélicos, da Igreja Santa de Jesus Cristo, utilizam motocicletas, algumas delas até importadas e de alta resistência, para levar o evangelho a lugares remotos no Agreste e no Sertão de Alagoas.

Denominados “Centuriões do Rei”, pastores e seguidores da Igreja Santa de Jesus Cristo (ISJC), com sede oficial na cidade de Arapiraca e ramificações em outras localidades de Alagoas, estão realizando um trabalho diferente, chamando a atenção de moradores de toda a região.
Periodicamente, a Igreja mobiliza devotos e faz o trabalho de evangelização sobre rodas, utilizando o grupo Centuriões do Rei, com suas potentes motocicletas, distribuindo panfletos com mensagens escritas, CDs com músicas religiosas e até alimentos para pessoas carentes.
Com 26 anos de fundação, a Igreja Santa de Jesus Cristo é comandada pelo pastor Marcelo Oliveira e conta com milhares de seguidores por toda a região.
Além da utilização das motocicletas para levar as mensagens da igreja e dos escritos e ensinamentos da Bíblia, os devotos mantêm um programa de rádio em uma emissora de Arapiraca.
A igreja ainda lançou uma página no Facebook, para ocupar mais espaços nas redes sociais e ampliar a divulgação de seus trabalhos.
De acordo com o pastor Marcelo Oliveira, o ministério começou apenas com 16 pessoas e teve sua primeira reunião realizada na residência do casal Cícero e Eunice Bernardino, onde permaneceu cerca de três meses, sendo realizadas reuniões diárias.
Ele revela que, com o passar do tempo, o número de pessoas aumentava a cada dia, ao ponto de já não poder comportar o grupo na residência.
Após esse período, o templo mudou-se para um salão alugado, e a partir daí o salão passou a estruturar-se com a compra de um terreno e a construção do seu primeiro templo na cidade de Arapiraca.
Com ajuda dos seguidores, o pastor conseguiu recursos para construir a sede própria – um grande templo localizado no bairro Brasiliana.
Polêmicas à parte, em uma de suas recentes declarações, o pastor Marcelo voltou a agradecer ao casal que o ajudou a fundar a Igreja.
“Essa obra não é minha é do senhor Jesus, sem ele esse ministério não teria chegado aonde chegou”, disse ele.

Jovem é assassinada pelo ex-namorado ao voltar de igreja no (DF)

Jovem é assassinada pelo ex-namorado ao voltar de igreja no (DF)
Jovem é assassinada pelo ex-namorado ao voltar de igreja no (DF)

Jovem é assassinada pelo ex-namorado ao voltar de igreja no (DF). Uma jovem de 19 anos foi assassinada no meio da rua ao voltar de uma igreja na quadra 407 em Samambaia (DF) na manhã deste domingo (26).

De acordo com a polícia, o crime ocorreu após uma discussão da vítima com o ex-namorado. Depois de discutir com a jovem, o suspeito, de 35 anos, teria sacado a arma e disparado três tiros na cabeça da mulher.
A confusão chamou a atenção do marido da jovem que correu para ajudá-la quando viu o suspeito correndo do local do crime. Antes de fugir, ele ainda teria disparado contra o marido da vítima, que não foi atingido.
O caso está sendo investigado pela 26ª DP e pelo Departamento de Criminalística da Polícia Civil. O suspeito tem passagens na polícia por homicídio.

Pastor no RJ é condenado a 78 anos de prisão por pedofilia

Pastor no RJ é condenado a 78 anos de prisão por pedofilia
Pastor no RJ é condenado a 78 anos de prisão por pedofilia

A 1ª Vara Criminal de Volta Redonda (RJ), condenou o pastor Reginaldo Sena dos Santos, de 59 anos, 78 anos de prisão por ter abusado sexualmente de 14 meninas que frequentavam sua igreja e a casa dele, no bairro Retiro, em Volta Redonda.As vítimas tinham idades entre 8 e 15 anos.

O pastor foi sentenciado pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Volta Redonda, Cláudio Gonçalves Alves. O mesmo juiz também condenou a 16 anos de prisão, em regime fechado, a missionária Maria de Fátima Costa da Silva, de 58 anos. Ela foi responsabilizada por dopar e preparar as vítimas para serem abusadas pelo pastor.
O juiz justificou a sentença alegando que Reginaldo e Maria de Fátima se aproveitaram da autoridade que mantinham sobre as crianças e das condições de pastor e missionária da igreja.
Os dois foram presos no dia 4 de fevereiro de 2012. Na época, a polícia apurou que o pastor e a missionária eram amantes e que uma das vítimas era a própria neta de Maria de Fátima. Eles foram condenados pelos crimes de pedofilia, estupro de vulnerável e formação de quadrilha. As penas foram agravadas porque a maioria das vítimas era menor de 14 anos.
A advogada da missionária, Irani Martins, disse que vai recorrer da sentença no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. Ela alega que o juiz não analisou as provas colhidas pela defesa que foram anexadas ao processo.
- O juiz analisou apenas as provas da acusação (Ministério Público) – disse.
Reginaldo que estava preso na Casa de Custódia de Volta Redonda será transferido para um presídio do Rio. O mesmo vai ocorrer com a missionária que está presa na Casa de Custódia do Complexo Penitenciário de Gericinó, na capital fluminense.
Segundo o Ministério Público, o pastor, que era conhecido pelo apelido de Ungido e estava fundando uma Igreja Pentecostal, tinha a confiança dos adultos do bairro onde morava, que deixavam seus filhos sob os cuidados dele para terem aulas de religião e música. As crianças também ganhavam doces do pastor. A denúncia do MP também confirmava que missionária Maria de Fátima mantinha um relacionamento amoroso com o pastor e o auxiliava na prática dos abusos. Na época, as vítimas confirmaram que eram abusadas, acariciadas e beijadas por Ungido.
Na casa de Reginaldo, a polícia apreendeu cinco calcinhas infantis, três tubos de pomada vaginal com aplicador, lubrificantes íntimos e duas seringas de nove milímetros, usadas para dopar as vítimas. Ainda foram encontrados dois preservativos contendo esperma, nove pen drives, três HDs, sacos de biscoito, material escolar e refrigerantes, que segunda a Justiça eram oferecidos as crianças.

Mulher roubava dinheiro de fiéis em igreja durante a oração

Mulher roubava dinheiro de fiéis em igreja durante a oração
Mulher roubava dinheiro de fiéis em igreja durante a oração

Mulher de 39 anos, distraidamente aproveitava, do momento em que os fiéis se concentravam em oração para assaltá-los, em uma igreja no estado do Kentucky, sudeste dos EUA.

Segundo relatos de membros da igreja, o dinheiro das pessoas começou a sumir de forma repentina a cada culto, sem nenhuma pista do que poderia explicar o mistério. “Os fiéis vinham com 60 dólares e saíam com 20 dólares, ou até sem nada”, afirmou Stephen Manecke, CFO da Igreja do Evangelho de Cristo de Clark County.
Com a suspeita, os diáconos passaram a ficar em estado de alerta e passaram a assistir de forma atenta o que acontecia durante todo o culto, até perceber que Andrea Washburn era a pessoa responsável pelo sumiço do dinheiro.
Quando os membros da igreja iam para a frente em um momento de entrega espiritual, a mulher se aproveitava para vasculhar qualquer bolsa que estivesse sob descuido de seus donos, ou para capturar algum objeto de valor deixado ao acaso em algum lugar.
Para o promotor regional Jeremy Mull, este tipo de crime contra a igreja não é algo incomum e a atitude de Washburn é mais um caso para as estatísticas, além de ser mais uma passagem em sua ficha na polícia, que inclui quatro acusações de roubo e mais quatro por tentativa, sempre justificada por seu vício em drogas.
Entre algumas curiosidades do assalto, Andrea Washburn não teve nenhuma piedade e chegou a roubar até mesmo sua mãe. Para completar, por conta de seu vício, ela subtraiu remédios vendidos apenas com prescrição médica, para tomá-los sem nenhuma orientação.
A polícia contou que os furtos contabilizaram um total de 400 dólares desfalcados, além dela ter levado cartões de crédito durante os saques. Todo o dinheiro foi gasto em drogas, enquanto não foi relatado se ela chegou a utilizar os cartões.

Governo de Uganda aprova lei contra homossexualidade com prisão perpétua

Governo de Uganda aprova lei contra homossexualidade com prisão perpétua
Governo de Uganda aprova lei contra homossexualidade com prisão perpétua

Governo de Uganda aprova lei contra homossexualidade com prisão perpétua. – O governo de Uganda aprovou nesta segunda-feira (24), uma lei que torna a homossexualidade um crime que pode ser punido com prisão perpétua.

A lei assinada nesta segunda pelo presidente de Uganda, Yoweri Museveni, não é a primeira do continente.
Segundo a Anistia Internacional, 38 dos 54 países africanos consideram a homossexualidade ilegal. Mas a nova legislação de Uganda é a mais severa de todas. Pessoas que praticarem atos homossexuais podem ser condenadas até à prisão perpétua.
O parlamento ugandense já havia aprovado em 20 de dezembro de 2013 por ampla maioria uma lei que aumenta consideravelmente a repressão contra os homossexuais e que prevê a prisão perpétua para reincidentes, considerados culpados de “homossexualidade agravada”.
Segundos os termos da lei, passa a ser proibido qualquer “promoção” da homossexualidade e obrigatório a denúncia de qualquer pessoa que se identifique como homossexual.
Os defensores dos direitos humanos e os governos ocidentais, em especial os Estados Unidos, criticaram duramente a lei, apesar de os trechos mais polêmicos da lei, que previam a pena de morte em caso de reincidência, relações com menores ou para as pessoas com Aids, finalmente serem abandonados.
O presidente americano Barack Obama chamou de “passo atrás” a lei, cuja aprovação “complicaria” a relação entre Uganda e Washington.
Apesar das advertências, o presidente ugandês assegurou que não se deixará impressionar.
“Os estrangeiros não podem nos dar ordens. É o nosso país (…) Eles devem nos apoiar, ou senão guardar sua ajuda”, declarou, acrescentando que “eu aconselho aos amigos ocidentais que não façam deste assunto um problema, porque eles têm muito a perder”.
“Impor valores sociais de um grupo a nossa sociedade é um imperialismo social”, insistiu Museveni, cujo governo já vem sofrendo críticas por sua corrupção endêmica.
Ele acusou uma parte dos homossexuais de ter feito essa opção sexual “por razões mercenárias”, enquanto os outros se tornaram assim por uma “mistura inata – de elementos genéticos – e adquiridos”.
O presidente de Uganda, no poder desde 1986, indicou em um primeiro momento que não promulgaria a lei, mas finalmente mudou de opinião depois de consultar um grupo de cientistas que, segundo ele, explicaram que a homossexualidade “não era uma conduta genética”.
Nesta segunda-feira ele também rejeitou o sexo oral, prática que segundo ele é encorajada pelo mundo ocidental. “A boca serve para comer, ela não é feita para o sexo. Quero proteger nossos filhos”, disse.
Os homossexuais são alvos frequentes de perseguições e agressões, e mesmo assassinato em Uganda, país homofóbico e amplamente influenciado pela Igrejas evangélicas.
Museveni já havia aprovado no início do mês uma lei antipornografia, proibindo as pessoas de se vestirem de maneira “provocadora”, os artistas de aparecerem com pouca roupa na televisão e vigiando a internet.
O prêmio Nobel da Paz sul-africano Desmond Tutu pediu no domingo a Museveni que não promulgasse a lei, por considera que legislar contra o amor entre adultos recorda o nazismo e o apartheid, e a Anistia Internacional chamou de “uma horrível extensão da homofobia de Estado” em Uganda.
A chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, declarou temer que esta lei “conduza Uganda ao passado”.
Em 2011, David Kato, símbolo da luta pelos direitos dos homossexuais em Uganda, foi morto em sua casa, três meses após seu nome ser divulgado em uma revista junto a outros sob o título “Prendam-nos”.

Deputado do PT contrário ao aborto presidirá comissão de Direitos Humanos

Deputado do PT contrário ao aborto presidirá comissão de Direitos Humanos
Deputado do PT contrário ao aborto presidirá comissão de Direitos Humanos

Deputado do PT contrário ao aborto presidirá comissão de Direitos Humanos. O deputado federal Assis do Couto (PT-PR) é integrante da “Frente Mista Em Defesa da Vida – Contra o Aborto”, que é composta principalmente por católicos e evangélicos que são contrários ao aborto.

O deputado federal Assis do Couto foi eleito nesta quarta-feira (26) presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. O ex-ministro da Secretaria de Direitos Humanos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, deputado Nilmário Miranda (PT-MG) é um o 1º vice-presidente da comissão.
O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) apresentou candidatura avulsa, mas perdeu o pleito para Couto. Dos 18 membros da comissão, Bolsonaro recebeu oito votos.
Couto é integrante da “Frente Mista Em Defesa da Vida – Contra o Aborto”, que é composta principalmente por católicos e evangélicos que são contrários ao aborto. Sua biografia política está mais ligada à defesa da agricultura familiar.
O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) disse que seu posicionamento contrário ao aborto é uma opinião pessoal de Couto. “Eu não acredito que ele trará esse tema para a comissão”, disse o deputado. “Acredito que ele será um bom presidente.”
“O deputado [Assis do Couto] como uma pessoa religiosa pode ter qualquer posição. Tenho clareza que ele como petista e presidente desta comissão vai respeitar o que pensa o PT e o partido defende a descriminalização do aborto”, opinou a deputada Janete Pietá (PT-SP). Ela é suplente da comissão e tem um histórico de luta pelos direitos das mulheres.
Um coletivo feminista que dialoga com a comissão criticou a escolha do deputado.
“Eu penso que essa pessoa não deveria ser indicada. [Ele integra uma frente que] tem defendido o Estatuto do Nascituro. Uma frente absolutamente intolerante, que está tentando retroceder nos direitos das mulheres”, defende Sonia Coelho, 54, integrante da comissão técnica da SOF (Sempreviva Organização Feminista) de São Paulo.
O Estatuto do Nascituro é um projeto que estabelece garantias ao bebê em gestação e aos embriões congelados. A proposta também prevê um bolsa se auxílio como pensão alimentícia para crianças concebidas em ato de violência sexual. Se o agressor não for identificado para pagar a pensão, o Estado arcará com o valor. Os críticos ao texto apelidaram a proposta de “bolsa-estupro”.
Para Sonia, a comissão deveria ser presidida por uma pessoa com “mais sensibilidade e visão” para os direitos das mulheres. “Eu espero que ele não transfira os projetos que retrocedem direitos das mulheres para a comissão. Eu acho que devem assumir pessoas que tenha sensibilidade para todas as situações de violação de seus direitos das mulheres, como para nós é a criminalização pelo aborto.”
A comissão é composta por quatro deputados do PT, dois do PSC, do PSB e do PDT, um do PRB, do PSOL, do PMN, do bloco PV e PPS, do Pros, do PR, do SDD e do PP.
Índios terena e guarani-caiová participaram da sessão, que estava lotada.
Gestão Feliciano
O PSC presidiu a comissão durante o ano passado, sob a conturbada gestão do pastor e deputado Marco Feliciano (PSC-SP). A presidência nas mãos do PSC foi marcada por protestos de representantes de entidades que defendem os direitos humanos.
À frente da comissão, Feliciano defendeu uma proposta conhecida como “cura gay”, um projeto de lei que pretende derrubar trechos de uma resolução do CFP (Conselho Federal de Psicologia) que proibia que psicólogos ofereçam tratamento para a cura da homossexualidade, como se ela fosse uma doença. O texto acabou arquivado.
O pastor também aprovou na comissão a convocação de plebiscito para consultar a população sobre a realização do casamento entre pessoas do mesmo sexo, e a suspensão da resolução do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) que abriu caminho para o casamento gay. O colegiado rejeitou um projeto de lei que pretende consolidar a oferta de benefícios previdenciários para parceiros do mesmo sexo.
Antes de entregar a presidência da comissão Feliciano afirmou que sofreu perseguição durante sua gestão.
“Meu nome foi achincalhado, duas filhas minhas tiveram que receber acompanhamento psicológico. Uma delas sofreu bullying. Mas tudo isso é passado, não resta nenhum tipo de mágoa, eu gostaria que houvesse respeito pelos parlamentares hoje”, disse Feliciano.








Noticias Gospel no Mundo

Pastor morre afogado durante batismo junto a crente que batizava em uma represa

O local do batismo em Uganda já havia deixado outras pessoas mortas por afogament

Durante um batismo sob a presença de duzentas testemunhas, em Uganda, leste da África, um pastor pentecostal e uma vítima do sexo feminino se afogaram, vindo a óbito de forma inesperada, sem possibilidade de resgate.

  • batismo
Uma represa na costa de Mugoya Dam, local escolhido para o batismo, já é conhecido por vários crentes terem perdido a vida no momento de outras cerimônias de batismo, mas ainda assim é uma escolha popular para o sacramento de inúmeros cristãos.
No momento em que o Pastor Wilber Mukisa celebrava a graça da entrega de Jennifer Mugolofa, uma "enorme massa de água" veio por cima dos dois e todas as testemunhas foram obrigadas a assistir os dois lutando e infelizmente sucumbindo às águas.
"O pastor principal estava na linha costeira e prosseguia com a cerimônia de batismo. Ele (Mukisa) segurou a cabeça da mulher e a empurrou para as águas. Na terceira vez em que a lançava, perdeu o equilíbrio e os dois se afogaram", disse Abbas Zikulabe, testemunha do caso.
Até hoje, cerca de sete pessoas já morreram na represa durante cerimônias de batismo e nenhuma providência mais dura foi tomada como medida de segurança para impedir novos acidentes, a não ser os funcionários do local que investigaram o acidente.
Muitos fiéis da igreja e cidadãos de Uganda se manifestaram com palavras de apoio às vítimas do acidente, com mensagens de "descanse em paz", além de pedidos para que Deus possa guardar a alma de ambos.

Surfista que teve braço arrancado por tubarão diz que fé em Jesus Cristo faz superar adversidades

O presidente dos EUA, Barack Obama, esteve presente na palestra da surfista Bethany Hamilton


Depois de perder um de seus braços em um ataque de um tubarão, a surfista profissional Bethany Hamilton relatou que sua confiança no poder de Jesus Cristo é o melhor caminho para obter forças que a conduza a superar as adversidades em sua recuperação.

  • Bethany Hamilton
    A surfista Bethany Hamilton, que teve seu braço arrancado por tubarão, diz que sua fé em Jesus Cristo faz superar adversidades.
Bethany teve a chance de abordar sobre sua experiência durante o tradicional evento National Prayer Breakfast, em Washington D.C. (EUA), que conta todos os anos com a participação de convidados ilustres da elite política e social americana, como é o caso do presidente Barack Obama, em prol do valor da oração matinal.
A surfista revelou que, durante o acidente, seu medo de perder as esperanças foi muito maior do que a angústia de não ter mais seu braço esquerdo. Contudo, ao perceber que teria Jesus para se inclinar, ganharia força para compreender o que estava vivenciando e passar por cima.
Logo depois do ocorrido, ela sentiu que Deus queria encaminhá-la para algo maior que seus sonhos, ao transformar algo "terrível em algo incrivelmente extraordinário", já que ela agora tem a oportunidade de entrar em contato com ações sociais da Fundação Make-A-Wish (Faça Um Desejo), que cuida de crianças com condições médicas potencialmente fatais.
Ela conta que recentemente levou dez crianças do projeto ao Havaí, para navegar e fazê-los entender do valor do amor de Cristo. "Quando submetemos nossas vidas a Cristo, Sua graça, misericórdia, paz e amor traz a verdadeira satisfação para o nosso cotidiano", resume.
Bethany possui 24 anos e teve seu braço arrancado quando ainda era jovem, aos treze anos. Na ocasião mesmo com o receio e as limitações que surgiram sob seu caminho, ela veio ultrapassar as fronteiras da dificuldade para vencer seu primeiro título de surf nacional.

Pastor se suicida e deixa sua igreja em estado de choque nos EUA

A polícia local ainda suspeita de que talvez não tenha sido suicídio

Um pastor da cidade de Dunkerton, centro-oeste dos EUA, conhecido por ler a Bíblia constantemente, foi encontrado morto com a suspeita de suicídio, deixando sua congregação bastante confusa e em estado de choque.

  • Rev. Allen "Tommy" Rucker
    Rev. Allen "Tommy" Rucker, da Primeira Igreja Batista de Dunkerton
O Rev. Allen "Tommy" Rucker da Primeira Igreja Batista de Dunkerton, veio a óbito por conta de uma ferida a bala, mas ainda sem a certeza de que o tiro tenha partido dele mesmo, de acordo com Tim Schultz, chefe da polícia local que investiga o caso, ainda indefinido.
Muito popular na região, o pastor recebeu homenagens de diversos fiéis e companheiros de trabalho e de vocação para o ministério, como é o caso de Dick Ede, membro da congregação de Rucker como tesoureiro.
Segundo Ede, o que mais o espantou era o fato de que Rucker tinha um comportamento exemplar. "Eu fiquei chocado. Ele era um homem de Deus. Ele era um resumo de tudo que representava um cristão. Ele lia a Bíblia constantemente", avaliou o tesoureiro.
Ede ainda complementa que Rucker lidava com casos de suicídios de forma muito segura, com a posição de quem não achava certo tirar a própria vida. "Ele era tão jovial e sempre se mostrava seguro em relação a fatos como esse. Não havia nenhuma indicação de qualquer coisa de errado", declarou Ede.
O pastor vai deixar um grande vazio na rotina da igreja, principalmente em relação ao trabalho voluntariado, já que executava um programa da igreja chamado Awana Club, para crianças do ensino fundamental da Dunkerton School District.

Execução pública de norcoreanos por ter biblias


Execução pública de norcoreanos por ter biblias

 
Execução pública de norcoreanos por ter biblias
Acto de homenaje a la dinastía Kim en marzo de 2013 / Huffington Post
 
Como em um moderno circo romano, o regime de Kim Jong Um fez que um grupo de condenados fossem metralhados diante de um público de 10.000 pessoas.
12 DE NOVEMBRO DE 2013, SEÚL
Kim Jong Um, o jovem ditador que domina a Coréia do Norte, tem levado a cabo sua primeira execução em massa e pública de supostos “dissidentes”. Segundo tem informado o diario surcoreano JoongAng Ilbo ,80 pessoas teriam perdido a vida a mãos do Estado em 7 cidades.



Acusava-se-lhes de crimes” tão diversos como ter visto programas de televisão estrangeiros, distribuir pornografía ou estar em posse de uma Biblia; todos considerados materiais subversivos para a ditadura comunista.



O diário, que tem dado a conhecer a informação em sua portada, se baseia em uma fonte interna de confiança que esteve no país no momento dos fatos e afirma que sucederam o fim de semana do 2 e o 3 de novembro. Outros rumores que chegam desde o fechado sistema norcoreano confirmariam estas informações.



Kim Jong Um teria ordenado levar a cabo sua primeira execução pública em massa como severo aviso a toda a população. Esta era uma prática habitual de seu pai Kim Jong Il, de quem tomou o controle do regime quando morreu.



EXECUÇÕES: SHOW DE TERROR PARA Os CIDADÃOS

Wonsan é uma das 7 cidades nas que se teria organizado esta demonstração de terror. Ali obrigou-se a 10.000 pessoas (entre eles meninos) a reunir no estádio esportivo local para ver como eram metralhados com armas de fogo um total de 80 acusados. Atou-se-lhes a postes com a cabeça tampada com carteiras brancas. Os espectadores “viram aterrorizadas como os corpos eram ametrallados até o ponto de que passaram a ser dificilmente reconhecidos”, explica a fonte.



Os supostos cúmplices dos executados e seus familiares foram enviados a campos de concentração.



 Wonsan é uma cidade portuaria que o dirigente Kim Jong Um está planificando converter em um destino turístico, com hotéis, um aeroporto e uma estação de esquí. O objetivo da execução pública teria sido frear as mostras de descontentamento de parte da população e evitar qualquer tentación dos cidadãos de unir à fita-cola capitalista que poderia acompanhar a chegada destes projetos turísticos.


EXECUÇÃO POR ATIVISMO RELIGIOSO

O governo considera que é um ato de traição ver filmes ou programas produzidos no estrangeiro, especialmente na Coréia do Sur. Também se castiga severamente a corrupção da moral pública, como as condutas sexuais que se consideram desordenadas.



Neste sentido, a lei castiga com a morte as tentativas de conspirar contra o poder e o terrorismo. Mas o regime ganhou-se a fama de executar também a seus cidadãos por crimes menores como o ativismo religioso.



Nenhuma destas execuções públicas deram-se em grandes cidades, onde Kim Jong Um quer manter um clima de tranqüilidade agradável às elites do país, que vivem em seus próprios complexos residenciais com um nível de vida muito superior ao resto da população.
 

 

Evangélicos marcham e jejuam pela reforma migratória

 
Evangélicos marcham e jejuam pela reforma migratória
Alumnos y profesores del seminario Fuller marchando por la reforma migratoria. / Walt Mancini, Pasadena Star News.
 
Apesar do escasso avanço político nos últimos meses, segue adiante o movimento evangélico pró-reforma que beneficiaria a 11 milhões de indocumentados.
25 DE NOVEMBRO DE 2013, CALIFÓRNIA
O passado 13 de novembro John Boehner, presidente republicano da câmera de representantes, jogou um jarro de água fria à pretensão de chegar a um acordo que desbloqueie no Congresso a reforma migratória neste ano.



Ainda que Boehner tem enfatizado posteriormente que as negociações privadas continuam e poderia se dar o acordo definitivo, os líderes cristãos que encabeçam o movimento pró-reforma mostraram sua decepção.



“Estou muito decepcionado por estes comentários”, dizia Samuel Rodríguez, presidente da Conferência e Líderes Cristãos Hispanos em Norteamérica (NHCLC), “mas ao mesmo tempo estou comprometido agora mais que nunca com esta causa e farei todo o possível para alentar um movimento de ativismo profético que impulsione a nossos líderes a permanecer firmes em aprovar uma reforma migratoria integral”.



Desde o 5 de novembro, Samuel Rodríguez está realizando um jejum de quarenta dias para apoiar a reforma migratória, um jejum ao que se uniram outros líderes e ministérios. Jim Wallis, fundador da revista “Transeúntes” realizou um chamado a orar na contramão da crescente polarização e o partidismo crescente nos Estados Unidos que, em sua opinião, afetam ao desenvolvimento de qualquer iniciativa.”Estamos aqui – disse em um encontro para motivar aos cristãos a comprometer na defesa do imigrante - para orar por um milagre”.



Barbara Williams Skinner, co-presidenta da Rede Nacional Afroamericana Cristã, uniu-se ao jejum. “Estamos jejuando com um espírito de esperança... Sabemos que Martin Luther King Jr., se estivesse aqui hoje, estaria conosco”.



MARCHA NO SEMINÁRIO FULLER

Desde o histórico Seminário Fuller dos Estados Unidos convocou-se na passada segunda-feira uma vigília de oração e uma marcha a favor da reforma migratória.



“Pela primeira vez em seus mais de 60 anos de existência o seminário organizou uma marcha oficialmente apoiada pela administração. Não só isso, senão que nosso novo presidente, Mark Labberton, foi parte finque da atividade”, conta Juan Francisco Martínez em seu blog em Protestante Digital.



Na marcha encontravam-se várias comunidades étnicas representadas no seminário, ao todo uns 250 estudantes, professores e pessoal do seminário que “cantaram, oraram e marcharam juntos”, conta Juan Francisco Martínez.



O seminário também tem admitido que aceita estudantes sem documentação legal. No ato, uma família deu depoimento sobre sua experiência de indocumentação. “Recordou-nos que há milhões de pessoas que precisam que alguém fale a seu favor e que outros estudantes em Fuller seguem estudando sem autorização legal”, explica o professor.



“Seguimos clamando para que Deus toque os corações dos políticos que não fazem por interesses políticos, ainda que muitos declarassem informalmente que sabem que se precisa uma reforma migratória”, finaliza Martínez.

Billy Graham ingressa por problemas respiratórios

 
Billy Graham ingressa por problemas respiratórios
 
O pastor Billy Graham foi levado neste 20 de novembro a um hospital em Asheville, com problemas respiratórios, segundo informou um porta-voz da família.
21 DE NOVEMBRO DE 2013, ESTADOS UNIDOS
Graham celebrou seu 95 aniversário a princípios deste mês com uma festa em Asheville. O evento reuniu a centenas de simpatizantes.



Seu filho, Franklin Graham, que é quem agora dirige a Associação Evangelística Billy Graham, disse antes do aniversário que seu pai tinha tido as doenças típicas da velhice, mas "não tem tido doenças graves em vários anos", senão só problemas de visão e audição (usa audífonos)”, e até seu rendimento tinha permanecido alerta, comprometido, e ao dia com as notícias e sua obra.



Billy Graham já foi hospitalizado neste passado mês de agosto, também por problemas respiratórios e no mesmo centro. Foi cadastrado 48 horas depois. A equipe médica que lhe tratou informou então que para sua idade gozava de um excelente estado de saúde.



UM HOMEM PROFUNDAMENTE ESPIRITUAL

Em um video que se emitiu -gravado no ano passado- Graham deu uma mensagem familiar sobre o poder salvador de Jesus cristo, e expressou sua preocupação a respeito da direção da nação norte-americana. "Nosso país tem a grande necessidade de um acordar espiritual", declarou. "Tem tido vezes que tenho chorado quando tenho viajado de cidade em cidade e tenho visto até que ponto as pessoas se afastaram de Deus."



Graham tem pregado a quase 215 milhões de pessoas em mais de 185 países através de multidão de reuniões, entre elas a Missão Mundial e Missão Global. Sua pregação tem chegado a centenas de milhões mais através da televisão, o vídeo, o cinema e as webcasts.



Graham começou a construção de um ministério internacional em 1949, quando uma campanha sua de três semanas em Los Angeles atraiu a uma multidão que desbordou todas as expectativas.

A cada hora assassinam onze cristãos por sua fé em Jesus

 
A cada hora assassinam onze cristãos por sua fé em Jesus
Una mujer ora en un templo cristiano en Sudán / CNS
 
Ante esta “onda mundial de violência” pedem a Obama que exija liberdade religiosa, especialmente a países que recebem dinheiro de EE.UU. como Paquistão, onde um muçulmano pode ser injustiçado se se converte ao cristianismo.
22 DE OUTUBRO DE 2013, WASHINGTON
Durante a primeira década do século XXI, mais de 100.000 cristãos morreram anualmente. Isto é, são 11 pessoas martirizadas a cada hora. Segundo os grupos não religiosos que lutam pelos direitos humanos, 80% de violações da a liberdade religiosa de hoje, são contra dos cristãos.



Os senadores norte-americanos Rand Paul e Ted Cruz, têm feito duras acusações ao presidente Obama. A principal delas é que se pronuncie sobre a “a guerra mundial contra os cristãos”.



RAND PAUL e TED CRUZ

Rand Paul, afirmou que “dezenas de milhões de muçulmanos radicais estão livrando uma guerra global contra o cristianismo” e os EE.UU., considerada a nação cristã maior no mundo, é necessário que intervenha. Depois citou à imprensa uma lista dos últimos ataques contra os cristãos na Síria, Egito, Paquistão, Nigéria, Guiné, Tanzania, Kenia, Indonésia e Líbia, entre outros.



Seu desejo é que Obama, exija maior liberdade religiosa, especialmente nos países que recebem dinheiro de EE.UU. Paquistão, onde um muçulmano pode ser castigado com a morte se se converte ao cristianismo.



Ele terminou dizendo: “Não te deixes enganar, ajudamos a estabelecer estes novos regimes islâmicos”, em clara referência à situação no Afeganistão e Iraque, onde os EE.UU. ainda hoje lutam contra extremistas. Para ele, a situação é ainda mais grave na Síria, onde os rebeldes com armas militares são aliados da o-Qaeda nos Estados Unidos. “O dinheiro de nossos impostos não deve ser utilizado para apoiar uma guerra contra os cristãos”, concluiu.


Esta postura tem todo o apoio de Ted Cruz, filho de um pastor evangélico. Ambos são pré-candidatos à presidência nas próximas eleições. No mesmo encontro, durante a Cimeira Votantes de Valores, o 11 de outubro em Washington, Cruz falou na contramão da política exterior de Obama e suas medidas para restringir a liberdade de culto dos cristãos dentro de seu próprio país.


GUERRA GLOBAL CONTRA OS CRISTÃOS?

 A princípios deste mês, o jornalista John Allen Jr., lançou seu último livro: “The Global War on Christians” [A guerra global contra os cristãos]. A maioria de seus sinais encontram-se no mesmo tom das declarações dos senadores.


Allen, detalhou o que ele chama onda mundial de violência” que tem feito que os cristãos de hoje sejam o grupo mais perseguido por causa da religião.



“A defesa dos cristãos perseguidos no mundo deve ser a prioridade número um pois é parte de seus direitos humanos”, diz Allen. Para ele, a imprensa mundial tem evitado a apresentação dos relatórios por “outros interesses”.



O jornalista disse que de acordo a sua investigação, durante a primeira década do século XXI, mais de 100.000 cristãos morreram anualmente. Isto é, são 11 pessoas martirizadas a cada hora. Segundo os grupos não religiosos que lutam pelos direitos humanos, 80% de violações da a liberdade religiosa de hoje, são contra dos cristãos.



Allen, faz qüestão de que há que “pôr fim ao silêncio sobre a perseguição contra os cristãos”. Para ele, esta situação se dá em todos os continentes, ainda que em diferente intensidade. Também deixa claro que os conflitos se produzem não só entre cristãos e muçulmanos, os radicais indianos também matam na Índia e no sul da Ásia, a justificativa de alguns massacres é meramente política.



Em seu livro, assinala a existência da perseguição que implica a violência e o assassinato, cujo exemplo mais extremo são os campos de concentração na Coréia do Norte. No entanto, não se esquece de mostrar que há um movimento secular em Occidente que se opõe a todo tipo de manifestação de pensamento cristão, sobretudo por sua postura contrária ao aborto e ao casal gay.

 

A cada seis minutos uma menina sofre mutilação genital

 

A cada seis minutos uma menina sofre mutilação genital

 
A cada seis minutos uma menina sofre mutilação genital
 
 cada seis minutos, uma menor de idade sofre a ablação, uma prática consistente na extirpação forçada e sem razão médica da parte externa dos genitais.
07 DE FEVEREIRO DE 2014
Três milhões de meninas e adolescentes são mutiladas a cada ano no mundo, isto é, que a cada seis minutos, uma menor de idade sofre a ablação, uma prática consistente na extirpação forçada e sem razão médica da parte externa dos genitais.



Kenia, como outros tantos países, o proibiu por lei, mas se trata de um costume cultural fortemente ancorada na sociedade, pelo que a erradicação ainda fica longe.



Segundo World Vision Espanha, 140 milhões de mulheres de todo mundo têm seus genitais mutilados.



Ainda que a incidencia depende do país, da tribo e inclusive dentro desta, da própria família, há lugares como Malí onde o 98% das cidadãs tem sofrido a ablação. Exercem-no uma sorte de curanderas e em uma cerimônia ritual com a conivencia dos pais da menina, que crêem estar fazendo o melhor para ela.



A idade das vítimas também varia. Geralmente entende-se que a mutilação dos genitais é um passo prévio ao casal, uma preparação para a idade adulta: pratica-se a meninas de oito ou nove anos.

Em alguns paises, como Espanha fazem antes para que nesta idade não sejam impedidos.


Abundam casos de meninas de três, dois anos e inclusive bebês.



MULHERES SEM DIREITOS

A mutilação tem relação direta com muitas outras práticas que partem da falta de reconhecimento de direitos às mulheres, como o casal forçado, geralmente infantil, a mudança de uma dote.



Para erradicá-la não basta, por tanto, com oferecer informação e sensibilização sobre suas conseqüências, o empoderamento das mulheres e o desenvolvimento de seus próprios meios de vida é parte fundamental do
processo.

Nigéria: país onde mais cristãos têm morrido por sua fé neste ano

 
Nigéria: país onde mais cristãos têm morrido por sua fé neste ano
 
Um painel de experientes analisa a situação no norte da Nigéria, onde 1.200 pessoas poderiam ter perdido a vida por uma perseguição para suas crenças no último ano.
19 DE NOVEMBRO DE 2013, WASHINGTON
Segundo a experiente Ann Buwalda, diretora da organização pró direitos humanos Jubilee Campaign, os cristãos que têm morrido por sua fé na Nigéria no passado ano superam em número ao total dos demais países do mundo.



“Temos documentado uns 1.200 cristãos nigerianos no norte da Nigéria que foram assassinados, alguns por Boko Haram, outros pelos pastores Fulani. Estes dois tipos de ataques são persistentes em vários estados do norte da Nigéria”, disse Buwalda.



A experiente, cujos números disse que coincidiam com os da organização Open Doors, afirmou que cerca de “60 por cento” dos cristãos assassinados no mundo por sua fé têm morrido na Nigéria.



 Buwalda fez estas declarações no contexto de um evento realizado pelo Centro do Instituto Hudson para a Liberdade Religiosa em Washington, no que se tratou a perseguição sobre os cristãos no norte da Nigéria, especialmente de parte de grupos islâmicos como Boko Haram.

Participavam também no painel Emmanuel Ogebe, advogado internacional de direitos humanos, e Adamu Habila, um cristão nigeriano que sobreviveu a um massacre cometido por militantes de Boko Haram.



HABILA: "DEUS ME SALVOU A VIDA"

Em seu discurso, Habila contou sua experiência, quando um grupo de militantes chegou a seu bairro disposto a massacrar à comunidade cristã. Um dos militantes – contou Habila - lhe perguntou se se ia converter ao Islã. Quando Habila se negou, lhe dispararam na cabeça a curta distância e o deram por morto.



“Dou graças a Deus Todopoderoso por manter-me com vida até o momento. Sei que se não fora por Deus, seria um homem morto”, disse Habila. “Mas devido a sua graça, sigo vivo com o fim de dar depoimento da bondade e a obra de Deus em minha vida”.



AVANCES NA LUTA CONTRA O EXTREMISMO

Na passada quarta-feira,  o Departamento de Estado de EE.UU. designou oficialmente a Boko Haram e um grupo similar chamado Ansaru como organizações terroristas extranjeiras. Para o advogado Ogebe, que participava no painel, a designação é um passo acertado ainda que tardio. “Temos perdido uma grande quantidade de horas para poder chegar a este ponto”, disse Ogebe. Trata-se de “o primeiro de doze passos” que devem se dar para que o processo seja significativo.



O advogado agora tem posto seu esforço em conseguir que a USAID pesquise a violência na Nigéria baseada no extremismo religioso em lugar dos fatores econômicos. “A USAID tem um projeto que explora o extremismo e Nigéria não é um dos países que têm designado para esta investigação”, se lamentou Ogebe




Desde maio, alguns dos estados do norte da Nigéria vivem em  estado de emergência, o que supõe uma forte presença militarizada que tem limitado o transporte e as comunicações, o que dificulta o trabalho da ONG e organizações internacionais. Os membros do painel admitiram que é “difícil” ter dados contrastados a respeito do que possa estar sucedendo pára muitos cristãos nesta zona de conflito.
 

Arqueologia certifica existência de Ai, cidade que cita Josué

 
Arqueologia certifica existência de Ai, cidade que cita Josué
Um pequeno amuleto achado ao norte de Jerusalém confirma a autenticidade de uma cidade mencionada no Livro de Josué de cuja existência se duvidava.
06 DE FEVEREIRO DE 2014, ISRAEL
Um pequeno amuleto achado enquanto faziam-se excavações nas ruínas da fortaleza de Khirbet o- Maqatir , 9 km ao norte de Jerusalém confirma a autenticidade de uma cidade mencionada no Livro de Josué de cuja existência se duvidava.



Uma equipe dirigida pela Associação de Investigação Bíblica (ABR, por suas siglas em inglês) descobriu em uma gruta subterrânea, as ruínas de uma casa e mais de 100 moedas e um objeto de menos de duas polegadas em forma de escarabaixo.



Segundo um relatório publicado por ABS, dito objeto é uma peça decorativa que provavelmente se usou em um colar. Tem sido denominado scarabée por sua forma de besouro, inseto que os antigos egípcios veneravan porque o relacionavam com o deus sol.



Este besouro tem inscrições que levam a concluir que o objeto provavelmente pertenceu ao último rei de Ai. Determinou-se que esta peça e os demais os objetos encontrados nesta escavação datam do final da era de bronze, entre 1550 e 1450 aC, período que concorda com o tempo do narrado no livro de Josué.



Considerado como a descoberta arqueológica mais importante de 2013, o besouro, junto com outros objetos encontrados em Khirbet o-Maqatir, estarão expostos no Museu da Universidade Bautista de Houston. O próximo 8 de fevereiro se celebrará nesse mesmo lugar um simposio para destacar a importância desta descoberta da arqueologia bíblica.



TEXTOS SAGRADOS MUITO REAIS

A história que menciona a cidade de Ai ao ser conquistada pelos israelitas está no capítulo 8 do Livro de Josué. No entanto a localização desta cidade até agora não tinha sido demonstrada com o que alguns duvidavam de sua existência real.



Conquanto na zona já se tinham encontrado algumas evidências que apontavam a que esse era o lugar onde a cidade de Ai tinha estado localizada, ainda existiam dúvidas para a comunidade científica Com esta última descoberta se tem a certeza de que este é o lugar de seu assentamento arqueológico.


Segundo o Dr. Henry Smith Jr., diretor de ABR: " Nossa tese é que a fortaleza [de Ai] foi destruída ao final da Idade de Bronze. Tudo isto baseado na evidência arqueológica encontrada... A Biblia relata que a cidade de Ai foi invadida no final do século 15 aC e destruído pelos israelitas. O besouro encontrado coincide e apoia esta afirmação".



"Muitas descobertas arqueológicas estão diretamente relacionados com as Escrituras e confirmam a historicidade do relato bíblico", afirma o material publicado pelo Abr.


Obama pede a libertação dos presos por sua fé no mundo

 
Obama pede a libertação dos presos por sua fé no mundo
Barack Obama, durante su discurso en el Desayuno Nacional de Oración, celebrado este jueves. / White House Blog
 
Exigiu a liberdade na Coréia do Norte do missionário cristão Kenneth Bae, e no Irã do pastor Saeed Abedini. Yolanda Adams e Steve Green levaram o louvor, e a surfista Bethany Hamilton deu seu depoimento.
07 DE FEVEREIRO DE 2014, WASHINGTON
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, tem participado na jornada desta quinta-feira no tradicional Café da manhã Nacional de Oração, um evento que a cada ano congrega a representantes de igrejas, ministérios e entidades cristãs com a máxima autoridade política do país.



O líder norte-americano esteve acompanhado de sua esposa Michelle Obama e o vice-presidente Joe Biden. O Presidente de EE.UU. sempre tem assistido ao Café da manhã Nacional de Oração desde que se iniciou no ano 1953. O evento contou com a participação a mais de três mil pessoas, provenientes de todo o país.



No desenvolvimento do ato, Obama expressou sua intenção de lutar pela liberdade religiosa no mundo.



PARTICIPAÇÃO DE OBAMA

“A história demonstra que as nações que defendem os direitos de seu povo, incluída a liberdade de religião, são em última instância, mais justos, mais pacíficos e mais exitosos. As nações que não respeitam estes direitos semeiam as sementes amargas da instabilidade e a violência e o extremismo”, expressou o presidente estadounidense.



A liberdade religiosa é “importante para nossa segurança nacional”, disse Obama, comprometendo-se a continuar trabalhando “com governos que não sempre cumprem com nossos estándares, mas estão trabalhando conosco nos interesses fundamentais, como a segurança do povo estadounidense”.



“Ao mesmo tempo, estamos também profundamente convencidos de que é de nosso interesse defender os direitos humanos universais. De modo que a promoção da liberdade religiosa é um objetivo finque da política exterior do país”, agregou Obama.



Durante o discurso, o presidente também reforçou a importância da religião em sua vida. "Estou muito agradecido não só porque estava afundado e a Igreja me ajudou, senão porque deu lugar a tudo o demais. Levou-me a abraçar a Jesus Cristo como meu Senhor e Salvador. Levou-me a Michelle, o amor de minha vida, e abençoou-nos com duas filhas extraordinárias", disse Obama.



ORAÇÃO POR SAEED ABEDINI E KENNETH BAE

O presidente ainda elevou uma oração pela libertação de Saeed Abedini, exortando a seguir a Irã a tramitar sua libertação imediata.



“Oramos pelo pastor Saeed Abedini... E enquanto seguimos trabalhando por sua liberdade hoje, uma vez mais, fazemos um chamado ao governo iraniano para libertar ao Pastor Abedini, para que possa regressar aos braços amorosos de sua esposa e filhos em Idaho”, expressou com contundência Obama.



Trata-se da primeira declaração pública do mesmo presidente sobre este caso. Saeed Abedini, faz aproximadamente um ano, foi condenado a oito anos de prisão por proselitismo no Irã. Suas condições de saúde não são as adequadas e desde então sua família tem iniciado uma campanha para pedir sua libertação.



  Assim mesmo, pressionou a Coréia do Norte para libertar ao misionero cristão Kenneth Bae."Oramos por Kenneth Bae, um missionário cristão que está retido na Coréia do Norte desde faz 15 meses", disse Obama. "Sua família quer-lhe em casa" e indicou que o país "continuará fazendo todo o possível para assegurar sua libertação".
 
  REAÇÕES

O presidente do ministério Portas Abertas (Open Doors), David Curry, presente ao ato, disse sentir-se satisfeito pelo enfoque do presidente Obama sobre a liberdade religiosa.



"Sinto-me alentado pelo apoio do presidente Obama para os cristãos perseguidos e outros grupos religiosos em lugares como Coréia do Norte, Irã e em todo mundo. Com o número de mártires cristãos quase duplicados no ano passado, segundo os pesquisadores de Open Doors, é de ânimo este novo enfoque no Departamento de Estado e todo nosso governo para apoiar o valor da liberdade religiosa no mundo e em nosso próprio país".



Desde o Centro Americano para a Lei e a Justiça (ACLJ), mostravam sua satisfação pelas palavras de Obama, que se unem ao clamor já realizado pelo Departamento de Estado. O caso de Abedini apresentou-se também no Parlamento Europeu e na ONU, com a esperança de que Irã possa o libertar.



LOUVOR E TESTEMUNHO

Os cantores cristãos de gospel Yolanda Adams e Steve Green estiveram presentes. Eles dirigiram um tempo de adoração para a o grande número de pessoas reunidas no Washington para o Café da manhã de Oração.



A surfista Bethany Hamilton compartilhou seu testemunho. Ela fez parte dos convidados na mesa principal. Hamilton leu dois textos do Novo Testamento e depois compartilhou sua história de recuperação após que perdeu seu braço em um ataque de tubarão em sua adolescencia.

Atentado terrorista contra cristãos sul-coreanos no Egito


 
Atentado terrorista contra cristãos sul-coreanos no Egito
 
Um ônibus que ia repleto de cristãos sul-coreanos que visitavam os lugares bíblicos de Israel, Egito e Turquia sofreu o ataque de um terrorista suicida.
19 DE FEVEREIRO DE 2014, CAIRO
Quatro pessoas morreram no atentado, incluído o motorista egípcio do ônibus, um membro da igreja, e duas guias da Coréia do Sul. Ao menos outras 14 pessoas resultaram feridas.



Os turistas, cristãos evangélicos da Coréia do Sul, tinham poupado dinheiro durante muitos anos com o fim de realizar esta viagem de 12 dias por Israel, Egito e Turquia.



O grupo acabava de visitar um antigo monasterio no Monte Sinaí, e estava a ponto de atravessar a fronteira de Israel, desde a cidade fronteiriça egípcia de Taba.



Os 31 fiéis que iam no ônibus proviam de uma igreja presbiteriana localizada no sul de Seul, e esta gira pelos lugares bíblicos a realizavam celebrando o 60º aniversário da fundação de sua igreja.



O SELO DA O-QAEDA

"Ninguém se atribuiu a responsabilidade da explosão, que leva a marca dos ataques atribuídos a grupos militantes da o-Qaeda, que têm estado lutando contra as forças governamentais no norte do Sinaí, inquieta desde faz anos" informa AP.



CORÉIA DO SUL E AS MISSÕES

Esta não é a primeira vez que os cristãos evangélicos da Coréia do Sul têm sido o alvo da violência em um país estrangeiro. Em 2007, após uma situação com reféns retidos durante 43 dias, dois missionários sul-coreanos foram assassinados no Afeganistão. Posteriormente, Coréia do Sul proibiu aos cidadãos viajar a determinados países, onde a maioria de sua população é muçulmana.



Alguns líderes cristãos coreanos vêem esta proibição não como um obstáculo para a obra missionária, senão como uma oportunidade para missões coreanas enfocadas nas áreas onde os missionários são mais aceitados e onde têm mais probabilidades de resultados”.



Segundo o meio digital "Christianity Today", Coréia do Sul durante muito tempo tem sido conhecida por sua fita-cola pela obra missionária, com quase o 30 por cento da população do país proclamando sua fé cristã (a maioria evangélicos). Têm 20 mil missionários em 177 países, e ocupam o sexto lugar no mundo quanto ao número de missionários enviados.
 

Um de cada três cristãos sírios tem fugido

 
Um de cada três cristãos sírios tem fugido
 
A força de grupos extremistas islâmicos imersos no conflito tem afetado à comunidade cristã perseguida.
10 DE FEVEREIRO DE 2014
Ainda que representam cerca do dez por cento da população síria, os cristãos são um dos coletivos mais ameaçados em um conflito no que as principais hierarquias eclesiasticas se mantiveram neutras.



A entrada e fortalecimiento de grupos extremistas muçulmanos no país, vinculados à o Qaida, tem provocado que a ameaça sobre os cristãos tenha aumentado consideravelmente. Seqüestros, destruição de igrejas ou extorsões contínuas provocam o medo e, finalmente, a fugida de milhares de cristãos da Síria.



A situação da Síria, segundo alguns observadores internacionais, começa a parecer-se à do Iraque, onde após a guerra só ficaram 400.000 cristãos de uma comunidade de mais de milhão e meio de fiéis que tinha em 2003.



“As pessoas teem que fugir das zonas que dominam os grupos rebeldes porque se enfrentam ao exterminio sectario. Ou vêm a lugares que controla o regime ou se vão ao estrangeiro, não há outra opção. Em províncias como Idlib o punhado de cristãos que resiste ora como nos primeiros anos do cristianismo, a escondidas e sem símbolos de nenhum tipo, em Raqqa as igrejas se têm reconvertido em centros de comando do EIIL (Estado Islâmico do Iraque e Levante, um grupo muçulmano militarizado) e em Deir Ezzor têm sido diretamente saqueadas e destruídas”, denuncia o pai Gabriel, sacerdote católico na cidade velha de Damasco, em um resumem da trágica situação padecida pela comunidade cristã no norte do país.



Nestes quase três anos de guerra, seis religiosos têm sido assassinados e dezessete permanecem seqüestrados, entre eles o bispo metropolitano de Alepo e Alejandría, Bulos Yaziji, e o siriaco ortodoxo de Alepo, Yuhanna Ibrahim, capturados por um grupo armado quando viajavam em carro perto da fronteira com Turquia a começos do ano passado. Também um grupo de treze freiras foram seqüestradas. Para sua libertação os captores exigem que sejam soltadas mil prisioneiras dos cárceres do regime, o levantamento dos cercos do Exército sobre os bastiones opositores e um comunicado público por parte da hierarquia eclesiástica no que se pronunciem de forma oficial contra o atual Governo da Síria.



São abundantes as histórias pessoais daqueles que têm fugido buscando refúgio, já seja no estrangeiro ou na capital. A situação tem sido denunciada por organismos internacionais e pela Igreja Católica, a Ortodoxa, a Siríaca, e entidades como a Aliança Evangélica Mundial. Todas falam da possibilidade de extinção” da comunidade cristã de um dos lugares onde começou o cristianismo faz quase dois mil anos. 

O lado escuro de Israel, ‘hostil’ aos cristãos

 
O lado escuro de Israel, ‘hostil’ aos cristãos
Portada del boletín de febrero de 2014 de VOM
 
Há uma atividade de perseguição aos cristãos em Israel que com freqüência se ignora com uma imagem idílica desta nação, denuncia A Voz dos Mártires.
09 DE FEVEREIRO DE 2014, JERUSALEM
A Voz dos Mártires (The Voice Of Martyrs, VOM), uma ONG cristã que saca à luz a perseguição aos cristãos em todo mundo, tem posto sua atenção neste mês nas hostilidades às que se enfrentam os cristãos em solo israelense, adiantando que dão por fato que alguns poderiam encontrar sua "posição de destacar a Israel como uma nação hostil, como uma postura desagradavel e ofensiva".



"Mais de 120.000 cristãos vivem em Israel, incluindo uns 17.000 crentes judeus mesiânicos. Calcula-se que há 8.000 crentes evangélicos árabes palestinos, com 1.400 em Cisjordânia e 300 em Gaza", segundo esta organização.



"Não há perseguição em Israel... a não ser que compartilhes tua fé", reza cita-a na portada do boletim de fevereiro de 2014 de VOM. Cita-a atribui-se a Steven Khoury, um cristão árabe israelense que pastorea várias igrejas em Jerusalém e Belém. O pastor Khoury afirma nos meios de comunicação ter sido testemunha de como membros de suas igrejas têm sido atacados devido a sua fé, e inclusive do assassinato de um tio seu, mártir por sua fé cristã.



De fato, A Voz dos Mártires, fundada em 1967 por um casal judeu, inclui a Israel em seu mapa de nações que restringem" a liberdade religiosa e como uma "nação hostil" ao cristianismo.



É verdadeiro, diz VOM, que muitos cristãos em Israel hoje em dia vivem livres de toda perseguição. Mas aqueles que compartilham sua fé e o depoimento em “primeira linha de campo de batalha espiritual” da nação se enfrentam a uma experiência totalmente diferente. Rami Ayyad, gerente de uma loja de livros da Sociedade Bíblica na Faixa de Gaza, foi seqüestrado e assassinado por testemunhar de sua fé em Cristo.



Não há que esquecer, diz VOM, que a maior perseguição contra os cristãos em Terra Santa se realiza desde os setores muçulmanos radicais, mas isso não óbvia que os crentes também são perseguidos por ativistas judeus anti-missionarios



Os ativistas judeus com freqüência pintam graffitis nas paredes exteriores das igrejas cristãs. Faz em uns meses, pintaram "Jesus é um macaco" em uma igreja que é um importante lugar de peregrinação para os cristãos.



UM CASO DE TERRORISMO

O boletim de fevereiro de VOM de 2014 compartilha a história do judeu mesiânico Ami Ortiz, quem foi ferido de gravidade quando era um adolescente em 2008, ao abrir um pacote bomba que chegou como se fosse um presente a seu domicílio. Tinha sido enviado por Yaakov "Jack" Teitel, definido como "terrorista judeu", que foi condenado em 2013 a mais duas correntes perpétuas 30 anos pelo ataque com bomba, e o assassinato e tentativa de assassinato de outros em Israel. Teitel confessou querer em realidade matar ao pai do adolescente, o pastor David Ortiz, por sua posição na comunidade judia mesiánica.



O pastor Ortiz, apesar do ataque, chamou aos cristãos a permanecer apoiando a Israel, porque Teitel não representava ao conjunto dos israelenses. "Deveriam continuar orando por Israel, apoiando a Israel. Estes radicais são menos do um por cento da população. Eles não representam a opinião pública israelense", disse após a explosão.



CRISTÃOS PRÓ ISRAEL

Esta situação contrasta com a realidade de uma opinón acrítica para Israel, à que com freqüência se idealiza. Influi que as livrarias cristãs estão cheias de publicações sobre Israel, especialmente sobre temas que vão desde a rica história da nação em torno da profecia bíblica aos tempos finais, com diferentes opiniões e inclusive controvérsias. Mas rara vez lê-se ou escuta a respeito de Israel como nação hostil para os seguidores de Cristo que vivem ali.



A Voz dos Mártires não deixa de pensar que Israel está "no coração de nossa fé cristã", e admite que o país tem um papel importante nos acontecimentos futuros, mas recorda que "como seguidores de Cristo hoje, estamos chamados a ser suas testemunhas" evangelizando, inclusive no meio de ameaças de tortura, o encarceramento e a morte.



"O chamado de VOM também se mantém sem mudanças - aos que sofrem por causa de seu depoimento de Cristo, já seja em Colômbia, Irã, Nepal ou inclusive Israel", assinala a ONG.



Apesar da oposição ao trabalho de evangelização cristã por parte de alguns israelenses, o país desde faz muito tempo desfruta de um claro trato de favor por parte de muitos grupos estadounidenses evangélicos e de líderes prominentes, como o pastor de Texas John Hagee ou o comunicador Pat Robertson, que silenciam a faceta negativa de presença de intolerância e inclusive perseguição religiosa em Israel.



No entanto, alguns cristãos estão pressionando pára o que entendem como um enfoque mais equilibrado de como os evangélicos estadounidenses participam no conflito de Médio Oriente. Todd Deatherage do Grupo Telos, anima aos evangélicos estadounidenses para ajudar a transformar positivamente o conflito palestino-israelense, e opina que ele e outros grupos religiosos e ativistas cristãos devem persuadir aos evangélicos "para afirmar e apoiar a dignidade de todo o povo da Terra Santa, para ser verdadeiramente pró-Israel e pró-palestino, ao mesmo tempo".



A OPINIÃO E POSTURA DE ESTADOS UNIDOS

O Departamento de Estado de EE.UU. revela em seu Relatório 2012 sobre Liberdade Religiosa Internacional com respeito a Israel e os Territórios Ocupados, que conquanto "as leis e as políticas do país prevêem a liberdade religiosa e o governo geralmente respeita a prática da liberdade religiosa, ante as atividades missionárias “a atitude dos judeus é negativa”.



"A maioria dos judeus opõem-se à atividade missionária dirigida a judeus, e alguns deles são hostis aos judeus convertidos ao cristianismo", segundo o relatório do Departamento de Estado. "Os judeus messiânicos e as Testemunhas de Jehová foram hostigados regularmente por Yad L'Achim e Lev L'Achim, organizações religiosas judias que se opõem à atividade missionária."
 
 
 

Estudioso diz que cristãos podem recusar trabalhar casamentos gays sem ser hipócritas


  • Casamento gay
O discurso do teólogo vem logo após as críticas de jornalistas que dizem que um casamento heterossexual pode apresentar pecados da mesma forma que um casamento não convencional, entre duas pessoas do mesmo sexo. Logo, quem critica um casamento gay é supostamente hipócrita, por não olhar sua própria relação.
Presidente de Ética e Comissão de Liberdade Religiosa da Convenção Batista do Sul dos EUA, Russell D. Moore escreveu um artigo em resposta direta aos jornalistas Jonathan Merritt e Kirsten Powers, que o criticaram por meio do jornal The Daily Beast.
Ao explicar o direito dos cristãos de dizerem o que pensa, Moore esclarece que o casamento entre heteossexuais é diferente dos homossexuais pela simples condição de um parceiro preencher ao outro, ou seja, um casal heterossexual tem mais condições de se ajustar por simplesmente completar ao outro.
Ele acrescenta ainda que casamentos heterossexuais só manifestam falha quando você pesquisa minuciosamente, o que está errado moralmente dentro da relação. No entanto, o casal perdura realmente como um casamento de verdade.
Já o casamento gay "não é diferente em termos de moralidade, mas em termos de realidade", segundo Moore. Para ele, a homossexualidade não é uma espécie de pecado sexual "totalmente diferente ou imperdoável", mas o cristianismo vê o casamento como algo complementar sexualmente, o que só ocorre entre um homem e uma mulher.

Pastor agradece Daniela Mercury por ajudar a comprovar que homossexualidade é comportamento

Ele aproveita a situação para apresentar a visão bíblica sobre homossexualidade

Internautas estão compartilhando um texto de um líder evangélico após o anúncio de Daniela Mercury sobre seu casamento homossexual. O pastor presbiteriano Ageu Magalhães publicou em seu blog o texto intitulado ‘Daniela Mercury, obrigado...’, que a cantora baiana auxilia na comprovação de que a homossexualidade é uma opção de comportamento, e não uma predeterminação genética.

  • Daniela Mercury capa da Veja

A postagem começa citando o relacionamento gay de Daniela Mercury assumido publicamente nas redes sociais. “O que achei muito interessante (e por isso meu agradecimento no título do post) foi que Daniela, sem querer, mostrou que homossexualismo não é predeterminação genética, mas opção de comportamento”, justifica. Ele acrescenta a informação de que Daniela já foi casada durante 15 anos com duas pessoas do sexo masculino.
“A questão é: Se Daniela Mercury nasceu homossexual, por que insistiu tanto na heterossexualidade, vivendo durante 15 anos com homens? Teria ela agido contra a própria natureza, violentando seus desejos homossexuais e submetendo-se a uma união infeliz? Certamente não”, o pastor questiona.
Na sequência ele apresenta o ponto de vista bíblico sobre homossexualidade. “A natureza caída potencializa o ser humano à prática pecaminosa sexual”, diz Ageu. “Aliás, do ponto de vista bíblico, é mais que escolha. É condenação, por consequência do afastamento de Deus”, escreve citando o livro de Romanos (Rm 1:26-27).
“A natureza caída nos tornará propensos a determinados pecados, mas nem por isso devemos nos render a eles. A comunhão com Deus nos liberta destas propensões e nos dá uma vida de castidade e santificação”, ele explica na sequência.
O pastor Ageu Magalhães finaliza apresentando a visão cristã sobre a santidade através de um ponto de vista bíblico. Para isso, ele acrescenta vários versículos na conclusão do artigo em seu blog. Trechos bíblicos como no capítulo seis de Romanos e nos livros de Colossenses, Tessalonicenses, 1 Coríntios e 1 João.