Web Radio Jesus Cristo Gospel: 2013-01-13

sábado, 19 de janeiro de 2013

Olha á Noticia Ai Gente

Encontrada coleção recorde de textos bíblicos antigos

Manuscritos judaicos possuem mais de 1000 anos de idade


Fragmentos de manuscritos hebraicos com mais de mil anos de idade foram encontrados em cavernas do Afeganistão. Eles foram comprados pela Biblioteca Nacional de Israel e possuem grande valor histórico. Mostram a presença da comunidade hebraica no norte da região do Afeganistão, perto da fronteira com Irã e Uzbequistão, ainda dominada pelo grupo Talibã.
O diretor acadêmico da Biblioteca, professor Haggai Ben-Shammai, disse ao jornal Haaretz. “A área remota onde esses documentos foram encontrados foi um importante centro econômico, cultural e político na Idade Média”.
“Nós tivemos muitas fontes históricas de assentamentos judaicos naquela área”, ressaltou Ben-Samai. “Esta é a primeira vez que temos uma grande coleção de manuscritos que representa a cultura dos judeus que viviam ali. Até hoje não tínhamos nada sobre isso”.
São 29 rolos, os quais se acredita que façam parte de um grupo de várias centenas. Eles seriam de uma “genizah”, local de uma sinagoga onde são guardados documentos. O clima seco das cavernas possibilitou sua excelente conservação. Tratam-se de manuscritos de diversos tipos.
Alguns são de teor religioso, outros são contratos e correspondência jurídica e familiares. Estão escritos em hebraico, aramaico, árabe e persa. Parte deles usam um alfabeto com um sistema de vocalização bastante particular, chamado de “babilônico”, que foi muito comum entre os judeus de Bagdá.
Entre as descobertas, a mais importante é um comentário do Livro de Isaías, que seriam de autoria do famoso rabino egípcio Saadia Gaon, que viveu no século X, entre Egito e Bagdá. A biblioteca se recusou a dizer quanto pagou pela coleção, acrescentando que esperava para comprar mais no futuro e não quer aumentar os preços.
Para especialistas israelenses, essa pode ser a descoberta mais importante dos últimos 100 anos. A maior ainda é de 1896, quando foram descobertos mais de 100.000 manuscritos bíblicos antigos em uma sinagoga egípcia. Traduzido de RT.com.

Leia mais...

Descoberta arqueológica pode solucionar “enigma” bíblico

Descoberta arqueológica pode solucionar “enigma” bíblico

Ruínas de antigo templo são descobertas em Israel

Ruínas de antigo templo são descobertas em Israel

Manuscritos do Mar Morto podem ser consultados pela internet

Manuscritos do Mar Morto podem ser consultados pela internet

Arqueólogo diz saber onde está a Arca da Aliança

Arqueólogo diz saber onde está a Arca da Aliança


Descobertas arqueológicas recentes de materiaisDescobertas arqueológicas recentes de materiais e manuscritos reforçam narrativas bíblicas


Duas descobertas arqueológicas movimentaram a comunidade internacional nos últimos dias.
De acordo com informações do site Israel National News, foram encontradas evidências de que uma das narrativas bíblicas, a batalha de Siló, presente no livro de 1 Samuel, quando os filhos de Eli foram mortos e a Arca da Aliança foi levada, realmente aconteceu.
Pesquisadores encontraram fundações, restos de um vaso e cinzas de um incêndio, o que denotaria que uma batalha significativa ocorreu no local.
Houve também a descoberta de manuscritos judeus de mais de mil anos no Afeganistão, está sendo considerada por arqueólogos a mais importante nos últimos cem anos, quando, em 1896, foram descobertos outros manuscritos numa sinagoga egípcia.
Os arqueólogos dimensionaram a importância da descoberta revelando que diversos colecionadores e historiadores europeus fizeram contato manifestando interesse em adquirir os manuscritos.
O departamento de história do governo de Israel teria adquirido 29 desses pergaminhos, por um valor não revelado, informou o site Acontecer Cristiano.
Segundo os cientistas, nos tempos medievais, a região onde foram encontrados havia sido um importante centro cultural e econômico. Para os arqueólogos, a descoberta é a primeira evidência física de que tenha existido uma grande comunidade judaica no antigo Afeganistão. A região hoje é fronteira com o Irã.
Os manuscritos seriam ligados a livros do Antigo Testamento e foram encontrados por fazendeiros numa região que atualmente é reduto do Talibã. Devido às condições de baixa umidade do deserto, o material ficou bem preservado ao longo do tempo.
O conteúdo dos manuscritos não foi revelado por completo, mas conteriam, entre outras coisas, contratos civis escritos em hebraico, aramaico, árabe e persa, além de textos religiosos, como comentários sobre o livro de Isaías.

Sobre perseguição religiosa, especialista afirma que “primavera árabe tornou-se inverno cristão”

Sobre perseguição religiosa, especialista afirma que “primavera árabe tornou-se inverno cristão” A situação delicada e de intolerância por que passam os cristãos do Oriente Médio tem atraído a atenção da imprensa mundial, e em especial, da mídia inglesa.
O jornalista e professor universitário Rupert Shortt voltou ao assunto em mais um artigo, publicado no Guardian, após comentar o relatório de um estudo que prevê a possibilidade da extinção do cristianismo na região. Segundo Shortt, “a primavera árabe se tornou o inverno cristão”.
O especialista falou sobre a forma como os ocidentais encaram as perseguições a cristãos na região, e lembrou que a religião em si é oriunda de lá: “A verdade, é claro, é que o cristianismo é uma importação do Oriente Médio, e não uma exportação para ele. Os cristãos fizeram parte de sucessivas civilizações na região por muitos séculos”.
Shortt ressaltou que deve-se levar em conta que a situação atualmente inspira cuidados: “Hoje, porém, a ecologia religiosa do Oriente Médio parece mais frágil do que nunca, com a Primavera Árabe dando lugar ao inverno cristão. Ignorantes pressupostos [...] espelhados por islâmicos empenhados em purgar outros grupos religiosos de suas terras”.
A origem da atual crise teria se iniciado há mais de uma década, segundo o ponto de vista do professor: “Tal intolerância tem crescido vertiginosamente desde 9/11 é claro, mas as suas raízes muito anteriores as políticas desastrosas de George W Bush”.
Os casos mais extremos listados por Rupert Shortt são a debandada de cristãos coptas do Egito, como fuga de opressão e discriminação legal, pois a nova Constituição do país prevê privilégios para muçulmanos; A “catástrofe” enfrentada por cristãos no Iraque, alimentada pela mídia local, que ressalta conflitos isolados; A vulnerabilidade na Síria, devido a instabilidade política local; e a perseguição aos “apóstatas” na Turquia, onde ex-muçulmanos convertidos ao cristianismo são alvo de discriminação.
Segundo Shortt, é necessário interpretar o que realmente está em jogo nesses locais: “Para alguns secularistas, é claro, estas estatísticas são simplesmente prova do estatuto da religião como uma força maligna. Mas isso é ignorar vários pontos críticos. Entre eles estão o de que a fé é muitas vezes usado como um pretexto para o que são realmente as disputas políticas e guerras territoriais”.

Noticias da Hora

Lançada maior coleção bíblica digital do mundo

Projeto pretende levar a Palavra de Deus a “todas as tribos”
por Jarbas Aragão
Três dos ministérios de literatura mais importantes do mundo, em colaboração com um grupo de filantropos cristãos, anunciou o lançamento do projeto Toda tribo, Toda nação (ETEN na sigla original everytribeeverynation.org).
Trata-se de uma aliança ministerial que vai ajudar mais de seis bilhões de pessoas no mundo a terem acesso à Bíblia.
Usando tecnologias de ponta, o grupo criou a “Biblioteca Digital da Bíblia”, que reúne centenas de traduções da Bíblia em diferentes línguas. Em 2013 a expectativa é de chegarem a mais de 1000 traduções. Nos próximos cinco anos, todas as 2000 traduções conhecidas pelo homem devem estar disponíveis.
Mais de 1.2 bilhão de pessoas no mundo não têm acesso à Bíblia em sua língua materna e calcula-se que ainda existem cerca de 2.000 línguas para as quais ainda que não se traduziu a Bíblia.
Estas estatísticas alarmantes mostram a realidade da “pobreza no conhecimento bíblico” e da urgente necessidade de se fazerem novos esforços para a tradução, distribuição e evangelização através da Bíblia. O ETEN visa atender essas necessidades e conta com a experiência de ministérios conhecidos como a Wycliffe Bible Translators, a Sociedade Bíblica Americana e as Sociedades Bíblicas Unidas, que estão envolvidas em 90% das traduções da Bíblia em desenvolvimento no mundo.
Estas organizações entendem que chegou a hora da Bíblia entrar de vez na “nova era digital”. O elemento central deste esforço é a Biblioteca Digital da Bíblia, que servirá como o maior acervo do mundo das Escrituras.
Através desse sistema, os textos bíblicos estarão disponíveis em um formato padronizado, todos digitalizados e catalogados. O fácil acesso fornecido pela Biblioteca Digital oferecerá a todos os interessados a Palavra de Deus em várias línguas e nos formatos escolhidos por essas audiências.
A Biblioteca Digital pode ser acessada pelo computador ou por meio de dispositivos móveis, como celulares, oferecendo áudio, vídeo, aplicativos, textos nos sites e impressão sob demanda.
Um dos principais parceiros da Biblioteca Digital é o popular aplicativo YouVersion, que já foi baixado cerca de 70 milhões de vezes. Calcula-se que, desde 2008, quando foi lançado, seus usuários passaram mais de 31.000.000.000 de minutos lendo a Bíblia digitalmente.
Outro importante parceiro é o BibleSearch (www.bibles.org), que já oferece 235 traduções em várias línguas.
A “Biblioteca Digital da Bíblia” é totalmente gratuita e espera alcançar, como o nome sugere, todas as nações do mundo.  Traduzido de Cristianos.com.

Muda o perfil da perseguição contra cristãos no mundo

Portas Abertas publica nova lista de classificação de países por perseguição


A missão Portas Abertas, uma organização cristã que publica anualmente uma lista de classificação de países por perseguição, mostrou mudanças no cenário mundial em 2012. A perseguição dos cristãos aumentou no continente africano desde que grupos radicais islâmicos assumiram o poder em alguns países.
As ameaças crescentes contra os cristãos africanos podem ser vistas em ataques como os atentados e assassinatos nas igrejas nigerianas realizadas pelo grupo radical islâmico Boko Haram.
Ao mesmo tempo, o Mali teve um grande salto na lista. O país nem fazia parte da classificação em 2011 e surge em 7º lugar na nova lista. O motivo é um golpe de estado no norte do país, que deixou muçulmanos fundamentalistas no poder. Segundo o porta-voz do Portas Aberta Jerry Dykstra, os cristãos locais e missionários estrangeiros estão em grave perigo.
A Coreia do Norte encabeça a lista de Portas Abertas pelo 11 º ano consecutivo. A missão estima que mais de 70 mil cristãos estão presos simplesmente por se negarem a aceitar o presidente como divindade. O simples ato de carregar uma Bíblia pode resultar em execução.
Uma das surpresas foi a China, um país que estava entre os 10 maiores perseguidores há cinco anos e caiu para n º 21 em 2011 e agora para 37º. Mesmo assim, sabe-se que centenas de cristãos chineses continuam na prisão e o governo ainda mantém um controle rígido sobre os líderes das igrejas. Embora “o confisco de Bíblias e de livros cristãos já não ocorrem mais em grande escala”, de acordo com o ministério missionário.
A Síria, que vive uma sangrenta guerra civil, saltou do nº 36 para 11º este ano, tornando-se um país de preocupação especial. No governo do presidente Bashar al-Assad, os cristãos possuem liberdade de culto, mas não podem evangelizar, de acordo com o relatório da Portas Abertas.
Ron Boyd-McMillan, diretor de estratégia de PA ressalta: “a boa notícia na Síria é que os cristãos estão mostrando uma grande unidade entre as denominações diferentes e o sofrimento os tem unido”.
O ranking anual dos 50 países leva em conta os graus de perseguição (concentrada, moderada, severa, extrema e ilimitada) e divide o contexto da perseguição em diferentes áreas: vida privada, familiar, em comunidade, nacional e com a igreja. Além de casos de violência física e outras informações que contribuem para classificar os países e determinar onde é mais difícil ser cristão.
Esse ano foi usada uma nova forma de classificar os países. O novo relatório está mais aprofundado; leva em conta o contexto e as diferenças de perseguição de acordo com as comunidades hostilizadas. A missão chama atenção para os países novos que entraram na lista depois da mudança: Mali (7ª), Tanzânia (25ª), Quênia (40ª), Uganda(47ª) e o Níger (50ª). Com informações de Religion News e Portas Abertas.
Veja abaixo a lista completa:
Classificação de países por perseguição 2013


Universitários cristãos se unem para combater a escravidão

Estudantes levantam fundos em evento anual para a causa
Trabalho escravo abastece produção de confecção evangélicaMais de 60.000 jovens cristãos lotaram recentemente o ginásio de esportes Georgia Dome, em Atlanta, para a conferência Passion 2013. Havia representantes de 56 países e 2.300 universidades para, segundo os organizadores, “jogar uma luz sobre a escravidão moderna”.
“Nós acreditamos que quando você enche um ginásio cheia de pessoas que dizem seguir a Jesus, deve haver alguma ação concreta”, enfatiza Bryson Vogeltanz, coordenador da iniciativa “Paixão pela Liberdade”. A primeira ação tangível foram dezenas de milhares de toalhas e meias doadas pelos participantes na conferência que foram entregues em abrigos para sem teto.
Vogeltanz e sua equipe também pedem uma iniciativa global. Eles identificaram 19 organizações sem fins lucrativos que trabalham em todo o mundo para erradicar a escravidão moderna e o tráfico de pessoas. As organizações foram mostradas durante a conferência. Assim, estudantes e voluntários tiveram a oportunidade de doar dinheiro para a causa.
A ONU estima que 27 milhões de pessoas vivem em escravidão moderna ao redor do mundo. Um “mercado” avaliado em 32 bilhões de dólares.
No ano passado, a Hagar Internacional foi uma das beneficiadas. Hagar ajuda mulheres e crianças em recuperação do abuso horrível sofrido por quem já foi vítima do tráfico de seres humanos no Camboja, Afeganistão e Vietnã.
“Atendemos meninos e meninas que foram libertas do abuso sexual no Camboja. Elas foram sequestradas ou vendidas para prostituição ainda crianças”, disse Jane Tafel de Hagar. ”As crianças agora têm uma vida nova por causa das ofertas do Passion em 2012.”
“Esta geração tem o potencial não apenas para acabar com a escravidão, mas para fazer qualquer coisa”, disse Maria Frances Vogeltanz , presidente do ministério Wellspring Living,. ”Jesus foi o primeiro abolicionista. Estamos apenas seguindo o que ele já fez em nossas vidas”, disse, referindo-se ao pensamento cristão de que Jesus salvou a humanidade da escravidão do pecado.
O pastor Louie Giglio começou as conferências Passion em 1997, em Atlanta. Desde o início, o objetivo, segundo ele, além de louvar a Deus e ouvir mensagens inspiradoras, era ver os estudantes universitários de todo o mundo “despertar para a realidade de um Criador onipotente e glorioso.”
Sarah Stone, uma universitária que veio participar juntamente com o grupo de jovens da sua  igreja afirmou à CNN que veio à procura de uma maneira de viver a sua fé de forma mais completa. ”O cristianismo não é apenas fazer uma oração ou ir à igreja aos domingos, mas viver para Cristo em cada coisa que você faz”, afirmou.
William Dodd, estudante da Belmont University, disse que é inspirador ficar em meio a tantos outros universitários que estão reunidos para o mesmo fim. Ele está saindo com o desejo de “entrar na luta para acabar com a escravidão.Deus nos fez criaturas poderosas, com uma voz muito grande. ”
Os organizadores do Passion 2013 divulgaram que os estudantes doaram este ano mais de três milhões de dólares para a iniciativa. Além de angariar fundos, os organizadores afirmam que o objetivo maior é discutir esse problema mundial e fazer algo a respeito. Traduzido de CNN.

Pastor vira lutador de MMA para ajudar igreja

Kelly Barcol irá lutar para arrecadar fundos para construção do templo

Pastor vira lutador de MMA para ajudar igreja Pastor vira lutador de MMA para ajudar igreja
Já é comum ouvir lutadores de MMA falando de Jesus. O que não era comum é imaginar um pastor que passa a ser lutador. Mas Kelly Barcol, 44, está treinando a quatro anos para a luta deste final de semana.
Ele lidera a pequena igreja House of Joy [Casa da Alegria], na cidade de Valdosta, Georgia. Hoje com 175 membros, dez anos atrás a igreja era apenas ele e sua família na sala de casa. “Viemos pra cá apenas a nossa família. Não tinha amigos, nem família na cidade, sem o apoio de uma igreja. Começamos do zero”, lembra.
Pode parecer estranho saber que ele irá entrar numa competição de Mixed Martial Arts (MMA), mas ele explica que está fazendo isso pela igreja. Como eles se reúnem atualmente no ginásio de uma escola e tiveram grandes dificuldades para dar entrada em um terreno, Barcol resolveu arriscar.
Ele conhecia James Corbett, um dos promotores de luta da cidade, e pediu para lutar. Tudo o que ganhar irá para ajudar a igreja nesse projeto de construção do templo.  Foram quatro anos de treinamentos na Crossfit antes do grande momento. No sábado, 26 de janeiro, ele irá pisar no octógono como lutador profissional. Pela luta deverá receber entre 10 e 20 mil dólares, dependendo do resultado.
“Eu me preocupo se vou ganhar ou perder. No fundo da minha mente estou pensando se eu der o meu melhor e mesmo assim perder, ainda assim será uma grande vitória para a igreja e para o reino de Deus”, afirma Barcol.
Emilliano Kaku, companheiro de treino do pastor não era evangélico antes de conhecê-lo, mas começou a frequentar a House of Joy e se diz “inspirado” pelo comprometimento que Barcol mostra na academia e na igreja.
“Eu trabalho com o meu pastor, então por que não viver de acordo com o que ele prega no domingo?”, disse Kaku.
Para o pastor Barcol “Tem sido muito emocionante ver a igreja se envolver… sinto que a única coisa que está faltando para nós é a construção, sei que só uma estrutura, mas fará diferença para nossa comunidade “, disse. Com informações de Walb News.


Leia mais...

Anderson Silva diz que seu talento veio de Deus

Anderson Silva diz que seu talento veio de Deus

UFC Rio III: Se for a vontade de Deus, diz Brandão sobre vitória

UFC Rio III: Se for a vontade de Deus, diz Brandão sobre vitória

Campeão do peso-leve do UFC atribui a Deus sua vitória

Campeão do peso-leve do UFC atribui a Deus sua vitória

Renascer promove quarto campeonato de MMA

Renascer promove quarto campeonato de MMA


Silas Malafaia desmente matéria da Forbes sobre sua renda

Pastor afirma que irá processar a revista

Silas Malafaia desmente matéria da Forbes sobre sua renda Silas Malafaia desmente matéria da Forbes sobre sua renda
Pela segunda vez no mês de janeiro, o pastor Silas Malafaia vê seu nome na imprensa brasileira ser associado à arrecadação de dinheiro de maneira negativa.
A edição da Veja São Paulo fez uma matéria sobre os “bastidores” de um encontro promovido por ele. Agora, a versão brasileira da Forbes o colocou como o terceiro pastor mais rico do país, com uma fortuna estimada em US$ 150 milhões.
Embora a Forbes diga que obteve os dados junto ao Ministério Público e Polícia Federal, o pastor Malafaia usou seu site de noticias para publicar um desmentido do que chamou de “safadeza” da revista.
Para ele, trata-se de “um jogo muito bem organizado para denegrir pastores evangélicos a fim de que a sociedade tenha uma ideia de que pastor é um malandro usurpando dinheiro de imbecis e idiotas a fim de se locupletar”.
Silas enfatiza que não tem salário da igreja há mais de 25 anos e que sempre divulgou os dados de sua igreja. A Forbes teria juntado as receitas estimadas da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, da Associação Vitória em Cristo, o faturamento da Editora Central Gospel e as ofertas voluntárias que ele recebe por palestras dadas.
O pastor garante que o cálculo está errado por que ele não é “dono” das igrejas Vitoria em Cristo nem da Associação com o mesmo nome. Além disso, a soma da Forbes seria mais do que o dobro do valor real que seu ministério possui.
Concluiu dizendo que todo seu patrimônio pessoal e renda estão declarados na Receita Federal. Como o Ministério Publico e a Polícia Federal não teriam autoridade legal para dar esse tipo de informação, Malafaia irá processar a revista Forbes Brasil.
Coincidência ou não, no final de 2012 Malafaia usou seu programa de TV para avisar aos evangélicos que seu ministério sofreria uma série de ataques da imprensa. Isso seria parte de uma campanha orquestrada pelo PT com o objetivo de abalar sua credibilidade. O pastor disse que amigos seus, que trabalham em “órgãos de informação, imprensa e política partidária”, o alertaram que poderia ser vítima de boatos e acusações, e que se trata de uma questão política, pois ele participou da campanha de muitas pessoas nas últimas eleições.

Leia mais...


“BBB é a prova da decadência de nossa civilização”, diz Walter McAlister

Pastor da igreja Cristã Vida Nova faz críticas ferozes ao reality show da Globo

“BBB é a prova da decadência de nossa civilização”, diz Walter McAlister “BBB é a prova da decadência de nossa civilização”, diz Walter McAlister
A 13ª edição do reality show Big Brother Brasil iniciou-se com o costumeiro desfile de beldades e corpos malhados na “casa mais vigiada do Brasil”, segundo o slogan da própria TV Globo.
As cenas do programa mostram, mais uma vez, os conchavos e estratégias dos brothers, dispostos a tudo para ganhar o prêmio de R$ 1,5 milhão, passando pelas costumeiras discussões e brigas e chegando até a mostrar os hábitos de (ou falta) higiene dos confinados no espaço cenográfico.
O programa, intensamente criticado pela grande maioria dos evangélicos, encontra apoio de alguns que se valem da passagem bíblica de I Tessalonicenses 5:21, de “examinar tudo e reter o bem”. Mas, para o pastor Walter McAlister, bispo primaz da igreja Cristã Vida Nova, isso não passa de “um pretexto esfarrapado para quem não tem o que fazer e se entretém com algo absurdamente estúpido”.
Para o líder religioso, os que assistem ao reality cometem “um pecado inenarrável contra seu cérebro e sua alma”.  Ele diz que “examinar tudo e reter o que é bom” é diferente de procurar no lixo algo que se possa reutilizar.
Ele explica que a passagem paulina é um mandato cristão, o que é diferente de se viver na miséria cultural. “Culturalmente a grande maioria vive na miséria absoluta. Não leem, não pensam, e vivem a piolhos da cabeça uns dos outros – algo bem próprio de primatas menos desenvolvidos”, diz, contundente.
McAlister diz que não acompanha programas de televisão há anos, mas conhecendo o teor do reality, acredita que ele seja uma prova da decadência de nossa civilização. Em sua ácida critica, ele o qualifica de “absurdamente estúpido”.
“É uma prova clara e evidente da decadência desta nossa civilização. Assistir pessoas não fazerem nada de útil, até que cada um seja eliminado ao bel-prazer do público é o cúmulo da imbecilidade. Quem assiste algo assim está sendo feito de palhaço. É a barbarização de uma cultura que consegue se entreter contemplando o próprio umbigo.”
Ele continua sua análise mordaz dizendo que assistir algo como o BBB é “simplesmente a morte do raciocínio. Este só é cultivado pela leitura e pela interação racional entre pessoas que pensam. Estamos ficando com o QI de um quiabo”, diz.
Concluindo, Mc Alister traça um cenário sombrio do atual momento da sociedade e suas formas de entretenimento.
“As colunas desta civilização estão caindo. Este programa não é a razão, é a prova de que estamos vivendo o fim de uma era”.



Leia mais...

Bispo fala sobre os Illuminati e a Igreja

Bispo fala sobre os Illuminati e a Igreja

Cristão pode ficar deprimido? pastor diz que sim

Cristão pode ficar deprimido? pastor diz que sim

Pastor alerta para a importância da igreja para prática da fé

Pastor alerta para a importância da igreja para prática da fé

Bispo ensina como se desintoxicar do neopentecostalismo

Bispo ensina como se desintoxicar do neopentecostalismo

Noticia do Mundo Internacional

Enchentes deixam ao menos 14 mortos na capital indonésia


Pelo menos 14 pessoas morreram nos últimos dias em consequência das enchentes que acontecem na capital da Indonésia, Jacarta. Somente nas últimas 24 horas, conforme a polícia metropolitana, quatro corpos foram encontrados em meio à água, em diferentes regiões da cidade.
As inundações, que pioraram desde terça-feira (15), forçaram 18 mil pessoas a deixarem suas casas, segundo a Agência de Prevenção de Desastres. As autoridades prepararam mesquitas, hospitais e edifícios públicos da cidade para acolher temporariamente os desabrigados das inundações.

Irwin Ferdiansyah/Associated Press
Policiais indonésios ajudam pessoas a escapar de cheia na capital do país, Jacarta
Policiais indonésios ajudam pessoas a escapar de cheia na capital do país, Jacarta
O governador de Jacarta, Joko Widowo, decretou estado de emergência na cidade até 27 de janeiro, embora o aeroporto internacional opere com normalidade.
As inundações e os deslizamentos de terra assolam a Indonésia todos os anos durante a estação de chuvas, cujo ápice acontece entre dezembro e fevereiro.


Adolescentes abrem a porta e revelam seus quartos em NY; veja


DO "NEW YORK TIMES"
Uma boa maneira de descobrir se você deve entrar no quarto de um adolescente é perguntar a si mesmo: eu sou um adolescente? Se a resposta fosse sim, você já estaria dentro.
Para um grande número, o quarto de adolescente é um pouco como "Terra do Nunca". É possível lembrar com carinho desta época, mas não dá para voltar.
E assim reside o mistério: o que eles fazem lá?
No caso de Emma Orlow, 17, e Cohn Emily, 18, elas estão organizando a estreia de um novo site e uma série na web.
"Melhores amigas", empreendedores de mídia e egressas da escola Trevor Day, no Upper West Side, em Nova York, elas intitulam a série de "The Do Not Enter Diaries" ("O diário do 'não entre'", em tradução livre).
Em episódios semanais, elas prometem mostrar ao espectador o que adolescentes fazem no quarto às portas fechadas.


Em nova posse, Barack Obama repete chamado ao voluntariado

Publicidade
 
DA AFP, EM WASHINGTON
Milhares de americanos começaram a comemorar a posse do segundo mandato do presidente Barack Obama com ações de voluntariado.
Obama repete o gesto que fez ao assumir seu primeiro mandato, em 2009, quando, de calça jeans, pintou as paredes de um abrigo para moradores de rua em Washington. Na ocasião, também visitou os pacientes do hospital militar Walter Reed, no subúrbio da capital.
Centenas de eventos estão programados no país a partir deste sábado. São projetos de limpeza ambiental, de recolhimento de roupas e alimentos para os necessitados, oficinas educacionais para crianças, reparo de escolas, assim como o envio de suprimentos para soldados americanos.

Kevin Lamarque/Reuters
O presidente Barack Obama e a primeira-dama Michelle pintam estante em escola pública para estimular voluntariado
O presidente Barack Obama e a primeira-dama Michelle pintam estante em escola pública para estimular voluntariado
A jornada de voluntariado e ação cívica é dedicada a Martin Luther King Jr., cujo aniversário foi comemorado na última terça feira (15).
À noite, os militares e seus filhos assistirão a um concerto organizado pela primeira-dama, Michelle Obama, em Washington. O evento contará com a participação de várias celebridades, entre elas Katy Perry, três atores da série de TV "Glee", o rapper Usher e a dupla de hip hop Black Violin.
O segundo mandato de Obama começa oficialmente na tarde de domingo (20), como estabelece a Constituição, após uma cerimônia privada de juramento do cargo na Casa Branca.
As festividades públicas acontecerão na segunda-feira (21), quando Obama repetirá o juramento em frente ao Congresso e a milhares de pessoas.

Rapaz invade palco e aponta arma contra político na Bulgária; veja

Publicidade
DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS
Um homem invadiu um palco e apontou uma pistola de pressão para a cabeça do líder de um partido político turco, neste sábado, na cidade de Sófia, na Bulgária. Nenhum disparo chegou a ser efetuado, e o homem foi imobilizado e preso na sequência, por policiais.
Imagens de TV mostram o momento em que Ahmed Dogan, 58, líder do Movimento por Direitos e Liberdades, é surpreendido, durante discurso, por um homem que aponta uma arma contra sua cabeça. O próprio político ataca o rapaz, que é, na sequência, empurrado e agredido a socos e pontapés pelos seguranças. Ele também carregava duas facas, segundo a polícia búlgara.
Horas mais tarde, Dogan voltou ao púlpito, ovacionado pelos presentes.
Não se sabe qual foi a motivação do incidente.
O partido de Dogan representa cidadãos etnicamente turcos e outros muçulmanos. O grupo, que, em sua maioria, imigrou séculos atrás, representa aproximadamente 12% da população da Bulgária, que é de 7 milhões.

France Presse/BTV
Rapaz aponta arma de pressão para cabeça de político durante evento de partido, em Sófia (Bulgária)
Rapaz aponta arma de pressão para cabeça de político durante evento de partido, em Sófia (Bulgária)


Repórter do 'New York Times' é forçado a abandonar China

Chris Buckley trabalhava no país desde 2000, mas as autoridades chinesas não concederam a ele um novo visto de trabalho para 2013 antes do ano começar

s sites do Times em inglês e chinês foram bloqueados na China desde a reportagem
Os sites do 'Times' em inglês e chinês foram bloqueados na China desde a reportagem (Ramin Talaie/AFP)
Um repórter do jornal americano The New York Times foi forçado a deixar a China dois meses após ter publicado uma reportagem crítica à riqueza da família do primeiro-ministro Wen Jiabao. Chris Buckley, que trabalhava na China como jornalista desde 2000, viajou para Hong Kong na segunda-feira, depois que as autoridades não concederam a ele um visto de trabalho para 2013 antes do ano começar. Este é o último de uma série de casos nos quais, segundo os grupos de imprensa, as autoridades obstruíram o trabalho de jornalistas estrangeiros que, por vezes, se mostraram críticos ao regime de Pequim.
O Times publicou em outubro uma investigação que relatava que parentes do premiê reformista Wen Jiabao acumularam grandes riquezas durante seu mandato. Os sites do jornal em inglês e chinês foram bloqueados na China desde a reportagem, que foi criticada por Pequim como uma tentativa de "manchar" a China e seus líderes. "Lamento que Chris Buckley tenha sido forçado a sair da China, apesar de nossos diversos apelos para renovar seu visto de jornalista", afirmou Jill Abramson, editor-executivo do Times, em comunicado. "Espero que as autoridades chinesas concedam a ele um novo visto o quanto antes e permitam que Chris e sua família retornem a Pequim."
David Barboza, chefe do escritório do jornal em Xangai que escreveu o artigo sobre Wen, era um dos outros seis correspondentes na China que tiveram seus vistos renovados. Advogados que defendem a família de Wen rejeitaram as acusações publicadas na reportagem do Times. O caso de Buckley ocorre após uma recusa das autoridades em maio de renovar o visto da repórter da Al-Jazeera Melissa Chan - uma decisão que foi vinculada a um documentário feito pelo canal de notícias internacional sobre trabalhos forçados em prisões da China. Chan foi a primeira correspondente a ser expulsa do país desde 1998.
Saiba mais: 'Só saí da China porque a considero uma prisão', diz escritor


This Year’s Jazz & Heritage Festival Leans Heavily on Pop

Jazz acts are scarce in this year’s New Orleans Jazz & Heritage Festival, the sprawling outdoor event that runs for two weekends in late April and early May. The headliners announced on Thursday include Billy Joel, Fleetwood Mac, Maroon 5, the Black Keys and John Mayer. The city’s spring music festival has become a potpourri of American genres, including pop, blues, jazz, funk, country, rock, gospel, zydeco and salsa. Some of the other big-name acts on the bill are Earth, Wind & Fire; Willie Nelson and Family; the Dave Matthews Band; Jill Scott; Widespread Panic; Jimmy Cliff; the Gipsy Kings; and B.B. King. Among the well-known jazz artists will be Ellis Marsalis, Nicholas Payton, Wayne Shorter and Stanley Clarke. Much of the lineup still includes musicians born in New Orleans or Louisiana, and the list of local heroes appearing this year includes Irma Thomas, the singer and pianist Allen Toussaint, the Preservation Hall Jazz Band, the Nevilles and Dr. John.


Amigo revela que atirador de escola seria adorador de Satanás

FBI continua investigando motivação do atirador


Ainda repercute a massacre da escola em Newtown, quando Adam Lanza, 20, matou a própria mãe e depois atirou em professores e alunos de um jardim de infância.
Ao todo, Lanza matou 20 crianças e seis adultos na escola antes de se suicidar quando a polícia chegou. Posteriormente, sua mãe Nancy Lanza, 52, foi encontrada morta a tiros em sua própria cama.
Um ex-amigo revelou recentemente que o atirador de Sandy Hook adorava o diabo e tinha uma página na internet dedicada a Satanás. Segundo Trevor L. Todd disse ao jornal National Enquirer, que esse site mantido por Lanza tinha a palavra “Diabo” escrita em vermelho, em estilo gótico em um fundo preto,  algo que ele assegura ser ‘estranho’ e que lhe ‘deu calafrios”.
O FBI está tentando recuperar o conteúdo do disco rígido do computador destruído por Lanza antes do tiroteio. Eles buscam alguma indicação do motivo do assassinato, mas já sabem que ele acessava material de culto ao demônio e sites sobre suicídio. Também se gabava de seu plano de assassinato em alguns fóruns que participava.
Os investigadores contam com a ajuda de um geneticista para ver se eles conseguem encontrar algum motivo biológico por trás de massacre realizado pelo “gênio perturbado”, como Lanza passou a ser chamado. Também foram feitos exames toxicológicos para determinar se ele estava sob efeito de alguma droga no momento em que atirou contra as crianças, no que é considerado o pior massacre escolar da história dos EUA. Traduzido de Daily Mail.

Professora evangélica deu a vida para salvar 17 crianças em Newtown

Sacrifício impediu que mais crianças fossem mortas em Sandy Hook

Victoria Soto era professora na escola Sandy Hook, em Newtown, onde ocorreu o massacre na última semana. Ela salvou a vida de 17 crianças no dia em que Adam Lanza invadiu o local e deixou um saldo de 27 mortos.
A professora de 27 anos reagiu rapidamente quando ouviu tiros perto da sala de aula em que lecionava. Ela disse para seus 17 alunos que aquele barulho era parte de um jogo e para ganhar eles deviam se esconder nos armários da sala de aula e permanecer em silêncio. Todos obedeceram.
De acordo com vários meios de comunicação locais, quando Lanza entrou na sala de aula, Victoria disse que as crianças estavam na aula de educação física no ginásio da escola. Porém, sua explicação não convenceu o assassino. Ele abriu fogo contra um dos armários e ela se jogou em frente às balas para proteger as crianças. Isso lhe custou a vida.
O primo de Victoria, Jim Wiltsie, disse que a professora morreu fazendo o que amava. “Ela amava aquelas crianças. Seu objetivo na vida era ser uma professora para formar jovens”, explica.
Uma de seus amigas, Andrea Crowell, disse que a professora “colocou seus filhos em primeiro lugar. Sempre conversávamos sobre isso. Ela queria fazer o melhor para eles, ensinar-lhes algo novo a cada dia.”
Victoria nasceu em Porto Rico e estudou em Connecticut. Estava fazendo um mestrado em educação especial na Southern Connecticut State University. Ela trabalhou por cinco anos na escola Sandy Hook.
“Eles tinham uma professora que estava mais preocupada com seus alunos do que consigo mesma. Sua atitude mostra seu caráter, empenho e dedicação”, afirmou o prefeito John Stratford Harkins, durante um culto memorial realizado onde estavam presentes cerca de 300 pessoas.
Victoria Soto vivia com seus pais e irmãs. A família frequenta a Igreja Lordship Community Church, na cidade de Stratford. Com informações de CBN.

Família é condenada a 15 anos por se converter ao cristianismo

Perseguição aos cristãos no Egito só piorou após a nova constituição ser promulgada
por Jarbas Aragão


  • Família é condenada a 15 anos por se converter ao cristianismo Presidente Mohamed Morsi.
    Uma família inteira foi condenada à prisão por ter se convertido ao cristianismo. A Corte Penal da cidade de Beni Suef, no Egito, deu uma sentença de 15 anos para Nadia Mohamed Ali e seus filhos Mohab, Maged, Sherif, Amira, Amir, e Nancy Ahmed Mohamed abdel-Wahab.
    Havia outras sete pessoas envolvidas no caso, mas elas tiveram apenas cinco anos de condenação. O processo contra Nadia começou porque em 2004 ela e seus filhos decidiram trocar os nomes muçulmanos por nomes cristãos.
    Ela teve ajuda de sete funcionários do Escritório de Identificação. No Egito, a religião da pessoa está escrita em seus documentos. Além disso, eles mudaram de endereço, mas as autoridades descobriram.
    Após passar por um longo interrogatório em 2006, ela confessou sua conversão ao cristianismo e mudança de nome. Ela, os 5 filhos e os 7 funcionários responsáveis pela mudança no documento foram todos acusados de fraude e presos.
    Nadia nasceu em uma família cristã, mas precisou tornar-se muçulmana para casar. Após a morte do marido, em 1991, ela voltou a ser cristã. Com isso, influenciou seus 7 filhos a fazerem o mesmo.
    No Egito, quando alguém abandona o cristianismo e vai para o Islã, não encontra nenhuma dificuldade para mudar os documentos. Mas quando o processo é inverso, as complicações são enormes.
    Samuel Tadros, pesquisador do Centro do Instituto Hudson de Liberdade Religiosa, disse que conversões como a de Nadia eram comuns no passado, mas a nova constituição do Egito, baseada na sharia, “é um verdadeiro desastre em termos de liberdade de religião”.
    “Agora que a sharia tornou-se parte integrante da nova Constituição do Egito, os cristãos do país correm um risco maior do que nunca”, acredita Jordan Sekulow, diretor executivo do Centro Americano para Lei e Justiça. Cerca de 7 milhões dos egípcios são cristãos coptas, quase 10 por cento da população.
    Este caso é o exemplo mais recente da situação calamitosa do país após a chamada “primavera árabe”. Em agosto, a comunidade cristã de Dahshour, com cerca de 100 famílias, foi obrigada a abandonar suas casas depois que os vizinhos muçulmanos os atacaram. Com informações de Fox e Asia News. 


    Projeto Gospel Music: igrejas se organizam em projetos sociais e de evangelismo em

    Projeto Gospel Music: igrejas se organizam em projetos sociais e de evangelismo em Moçambique O projeto Gospel Music Região Norte é uma iniciativa do pastor Agostinho Ricardo Viana, da Igreja Batista Renovada Penil, em Moçambique, e visa a integração de músicos e compositores para uma ofensiva de evangelização no país.
    Baseados na passagem de Apocalipse 10:11, o projeto foi lançado no dia 05/01, e contará com a participação de músicos, cantores e compositores.
    Entre as ações previstas, está o trabalho conjunto com igrejas e emissoras de rádio do país, além da unificação de esforços, para a “transmissão de mensagens do Evangelho de Cristo” e ainda a “sensibilização através de campanhas de comunicação educativas”.
    Segundo relato enviado  pelo pastor, a região norte de Moçambique tem recebido muitos imigrantes e refugiados de países vizinhos, e gerado instabilidades sociais, além de uma barreira à expansão do Evangelho.
    Confira abaixo, a íntegra do relato do pastor Agostinho Ricardo Viana:
    Amados Irmãos,
    Como devem saber, que a Região Norte de Moçambique nestes últimos 20 anos, foi e é um local privilegiado à recepção de refugiados e imigrantes, provenientes dos Grandes Lagos. Nas suas incursões, levam consigo suas religiões, muito embora, sabe-se que esta zona sempre teve a influência do Islã.
    Estes refugiados/imigrantes dominaram as atividades socioeconômicas do mercado informal e estabelecimentos comerciais públicos.
    Oferecem o mercado de emprego aos cidadãos moçambicanos, em particular, aos crentes das Igrejas Cristãs, Evangélicas e Pentecostais. Entretanto, esta dependência de alguma forma, em minha opinião, constitui um dos fatores que tem criado dificuldades de progressão do Evangelho de Cristo na região.
    Outro fato constatado é o individualismo de luta pela supremacia ou grandeza por parte de algumas igrejas, que leva à desnecessária duplicação de esforços, pela falta de cooperação em atividades e ações de campanhas de evangelização nas comunidades!
    O Projeto Gospel Music Região Norte de Moçambique, resume-se num conjugar de esforço de Igrejas Cristãs da mesma fé, para executar único programa de evangelização numa nova era de viver missionária.
    Nesta visão, acredito que Deus está levantando igrejas jovens, com novos recursos para garantir a execução dos programas de evangelização, demonstrando assim a dimensão da responsabilidade neste processo de todo o corpo de Cristo.
    Devo, no entanto deixar uma pergunta aberta às igrejas e missões: o que deveriam estar fazendo tanto para alcançar almas e suas próprias áreas para Jesus?
    Amados Irmãos, é urgente a tarefa de evangelizar, porque existem mais de dois bilhões e setecentos milhões de pessoas, mais de dois terços da humanidade, que ainda não foram evangelizadas. É vergonha ver tanta gente esquecida e abandonada!
    Ao dinamizar o Projeto Gopsel Music, em suas múltiplas expressões, constitui uma estratégia para assegurar a que todos os programas de evangelização da igreja de Cristo, tenham lugar dentro da sua Cultura, com nova criatividade.
    Para finalizar conto com a bênção de Deus, com a participação,  ajuda e a solidariedade  de todos amados irmãos de boa fé!
    Amados Irmãos, participar, ajudar e solidarizar-se com Projeto Gospel Music Região Norte, é:
    1.      Reviver no tempo/espaço a nova geração de jovens líderes o espírito do Evangelismo Pioneiro e seus inovadores;
    2.    Tornar o tesouro de Cristo conhecido no poder do Espírito Santo;
    3.    Evangelizar é difundir as boas novas de Jesus Cristo que morreu por nossos pecados e ressuscitou segundo as escrituras; Ele é Rei e oferece o perdão dos pecados a todos que se arrependem;
    4.    A fé sem obras é morta;
    5.     Desenvolver a educação teológica, formação, treino de líderes locais; pastores/diáconos e edificação de serviços sociais;
    6.    Finalmente, combater o conflito espiritual daqueles que passam a vida orando para impedirem que o Espírito Santo opera maravilhas nas vidas e  nas comunidades.
    Paz em Cristo a nossa Esperança!



    Pastor preso no Irã envia carta relatando ameaças de morte

    A ACLJ está acompanhando o caso tentando trabalhar para que este Saeed Abedini seja solto

    Missionários brasileiros continuam presos no Senegal

    Preso no Irã desde julho de 2012, o pastor Saeed Abedini escreveu uma carta para sua esposa, a americana Naghmeh, relatando o que tem vivido na cadeia. Seu testemunho mostra a coragem de quem resolveu viver para expandir a palavra de Deus na Terra, motivo que o levou à prisão.
    O que Abedini conta é que tem vivido dias difíceis, já que a cada dia as autoridades lhe dizem uma coisa. Tem dias em que ele é ameaçado de enforcamento, em outros é tratado bem e recebe promessas de liberdade.
    “Este é o processo na minha vida hoje: um dia me disseram que eu ia ser liberado e autorizado a ver os meus filhos no Natal (o que era mentira) e no dia seguinte me disseram que eu seria pendurado por minha fé em Jesus.”
    O pastor escreve dizendo que enxerga essa provação como um processo que vai fazer com que ele fique ainda mais forte. “Esses frios e quentes apenas me tornam um homem de aço para avançar na expansão do Seu Reino”.
    Uma igreja Assembleia de Deus dos Estados Unidos publicou esta carta onde Saeed também relata que tem sofrido tortura por ter uma luz muito forte acessa sobre ele constantemente. Nos relatos feitos por ele, o Centro Americano para Lei e Justiça (ACLJ – sigla em inglês), que está acompanhando o caso de perto, percebe que os direitos humanos não estão sendo respeitados e por este motivo eles criticam o governo americano por não estar agindo no caso.
    “O Departamento do Estado dos EUA tem feito muito pouco para ajudar este cidadão dos EUA”, disse o diretor da ACLJ, Jordan Sekulow. Saeed Abedini é iraniano, mas está casado com uma mulher americana conseguindo assim a cidadania daquele país.
    A ACLJ teme pela vida desse jovem pastor de 32 anos que pode ser julgado pelo juiz Pir-Abassi, considerado como um dos notórios “juízes de enforcamento”. Abassi já julgou muitos casos contra ativistas dos direitos humanos sempre condenando a prisão perpétua ou entregando penas de mortes.Com informações Christian Post.

    Ateus e ativistas gays reagem contra concessão de passaportes diplomáticos a pastores


    Ateus e ativistas gays reagem contra concessão de passaportes diplomáticos a pastores evangélicos A concessão de passaportes diplomáticos a líderes evangélicos tem causado reações negativas por parte de alguns setores da sociedade, principalmente entre grupos ateus e ativistas dos direitos dos homossexuais.
    Ao longo da semana foram anunciadas as concessões dos passaportes especiais para pastores como Valdemiro Santiago, R.R. Soares e Samuel Ferreira, o que motivou a Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (ATEA) a criar uma petição pública pedindo ao Itamaraty que cancele os documentos.
    - Exigimos que o Itamaraty cancele o passaporte diplomático do pastor Valdemiro Santiago de Oliveira, já que o mesmo não possui nenhum cargo diplomático ou missão oficial de acordo com o decreto 5.978/2006 – diz um trecho da carta da ATEA, para explicar que o líder da Igreja Mundial do Poder de Deus não tem cargo diplomático, de forma que não teria direito receber este passaporte.
    O Ministro de Estado das Relações Exteriores concedeu o documento aos líderes religiosos sob o argumento de que tal passaporte também pode ser dado “às pessoas que, embora não relacionadas nos incisos deste artigo, devam portá-lo em função do interesse do País”. Seguindo esse mesmo argumento, um grupo de ativistas gays solicitou nessa quinta feira passaportes diplomáticos a 14 de seus membros, como resposta à concessão aos pastores.
    - (A concessão de passaportes diplomáticos) não pode ser privilégio ou de uma religião, ou de um grupo. Senão é discriminação – afirmou Toni Reis, presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT).
    - Vimos solicitar que sejam concedidos da mesma forma passaportes diplomáticos para os/as integrantes da ABGLT relacionados a seguir, para que possam realizar um trabalho de promoção e defesa dos direitos humanos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT) nos 75 países onde ser LGBT é crime e nos 7 países onde existe pena da morte para as pessoas LGBT – escreveu Reis no ofício encaminhado ao Itamaraty, segundo informações do Estadão.
    De acordo com o jornal Estado de Minas, a presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, Perpétua Almeida (PCdoB-AC), também irá pedir explicações ao Ministério das Relações Exteriores (MRE) sobre os passaportes diplomáticos concedidos a líderes religiosos evangélicos.
    - Só usei as prerrogativas do meu passaporte diplomático uma vez, para ‘furar fila’ em um aeroporto, pois estava atrasada para embarcar em um voo para a China, em missão oficial. Não vejo a necessidade da concessão aos líderes religiosos. Cobrarei do Itamaraty as justificativas, que devem estar dentro da legalidade – afirma a deputada.


    Exposição sobre o rei Herodes gera polêmica em Israel e Palestina

    Mais de 30 toneladas de objetos foram achados na Cisjordânia o que faz com que a Autoridade Palestina tenha direitos sobre eles.
    por Leiliane Roberta Lopes


  • Exposição sobre o rei Herodes gera polêmica em Israel e Palestina Exposição sobre o rei Herodes gera polêmica em Israel e Palestina
    O Museu de Israel, sediado em Jerusalém, tem recebido críticas por parte da Autoridade Palestina por organizar uma exposição com peças que contam a história do rei Herodes. As antiguidades foram achadas na Cisjordânia, ponto da disputa entre palestinos e israelenses.
    A exposição estará aberta ao público a partir de fevereiro sendo a primeira em todo o mundo a se dedicar ao rei Herodes que comandou Jerusalém e a Terra Santa há dois mil anos.
    O museu israelense garante que vai devolver as peças assim que a mostra terminar, mas Hamdan Taha, vice-ministro encarregado de antiguidades da Autoridade Palestina, reclama que não houve autorização para a escavação (onde as peças foram achadas) e nem a exposição.
    Herodes era o rei na época em que Jesus nasceu, ao saber do nascimento do Salvador ele ordenou a matança de todos os meninos de até 3 anos de idade.
    herodes3
    Nessa mostra serão apresentadas cerca de 30 toneladas de objetos como o túmulo e o sarcófago do rei. Muitas dessas peças foram reconstruídas juntando pequenos fragmentos achados e unidos novamente.
    A exposição ficará disponível entre os dias 12 de fevereiro e 5 de outubro. As informações são do G1.

    Pastor Abner Ferreira sai em defesa de Silas Malafaia e critica matéria da Veja sobre formação de pastores: “preconceituosa”. LeiaPastor Abner Ferreira sai em defesa de Silas Malafaia e critica matéria da Veja sobre formação de pastores: “preconceituosa”. Leia na íntegra


    O pastor Abner Ferreira, presidente da Assembleia de Deus de Madureira, no Rio de Janeiro, publicou um artigo de desagravo à matéria assinada pelo jornalista João Batista Jr. e publicada pela revista Veja São Paulo.
    O artigo foi veiculado pelo site do pastor Silas Malafaia, e trata a matéria como uma afronta ao povo evangélico: “João Batista Jr. foi descortês, tosco e incivil ao opinar de forma preconceituosa, tendenciosa e discriminatória sobre uma questão religiosa totalmente distante da sua própria realidade. Cometeu uma grande parvoíce”, escreveu o pastor Ferreira.
    A indignação de Abner Ferreira, que é advogado, o levou a classificar a matéria como fruto de “maldade congênita”, ressaltando que o jornalista, que participou da ESLAVEC, tratou o “exercício do ministério pastoral” como uma carreira qualquer, referindo-se ao evento organizado pelo pastor Silas Malafaia como “curso de formação de mão de obra evangélica”.
    O pastor da AD Madureira frisou em seu texto que a iniciativa de repudiar a matéria partiu dele próprio: “De forma absolutamente voluntária, fiz questão de me manifestar. A omissão, em horas como esta, é, no mínimo, aviltante. Minha consciência não me permite ficar calado e inerte, ao perceber que, nitidamente, o novel jornalista João Batista Jr. tenta desconstruir a imagem da igreja evangélica no Brasil”.
    Abner Ferreira destaca que sua manifestação é dirigida apenas ao jornalista João Batista Jr. e não à revista Veja, tida por ele como importante no cenário nacional.
    “Quero ressaltar, de forma clara e inequívoca, que conheço e sou assinante da Revista Veja. Trata-se de um órgão da imprensa escrita da mais alta credibilidade, com serviços prestados a nação brasileira da mais alta relevância. E que tem tratado as organizações e crenças religiosas de maneira imparcial, respeitando a laicidade do Estado brasileiro. Pessoalmente, destaco o excelente jornalista Reinaldo Azevedo, a quem presto solidariedade e respeito, assim como Lauro Jardim, dentre outros renomados jornalistas da Veja Nacional. Tenho inclusive a impressão que, até mesmo os editores desta conceituada revista ficaram pasmos diante da postura tendenciosa e afobada de seu novel jornalista correspondente. Isto não condiz com a maneira isenta com que estas questões tem sido tratadas pela revista Veja, em relação a comunidade religiosa cristã”, disse o pastor Ferreira.
    Uma velha questão de diferença de tratamento para com as religiões foi levantada pelo pastor Abner Ferreira: “O novel jornalista tratou tão bem ao Padre Marcelo Rossi quando deu cobertura a inauguração de seu majestoso templo. Por que ser tão preconceituoso, discriminatório e difamador para tratar os mais de quatro mil participantes da gloriosa ESLAVEC? A questão, obviamente, não está em abordar um assunto religioso, mas pela forma como atuou no levantamento de informações. O novel jornalista João Batista Jr. queria mesmo tratar nossa fé cristã como ‘uma carreira de mercado: promissora e acessível para qualquer pessoa’”.
    Confira abaixo, a íntegra do artigo do pastor Abner Ferreira sobre a reportagem veiculada pela revista Veja SP:
    Jornalista João Batista Jr.: “o homem errado, no lugar errado”.
    Matéria tendenciosa publicada pela Veja São Paulo tentou desconstruir a imagem da igreja evangélica.
    “O que mais preocupa não é o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos sem-caráter, dos sem-ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons”. (Martin Luther King).
    “O mundo espera dos cristãos que elevem suas vozes tão alta e claramente, e formulem o seu protesto de tal forma que nem mesmo a pessoa mais simples fique em dúvida quanto ao que estão dizendo”. (Albert Camus)
    “Para que o mal triunfe basta que os bons fiquem de braços cruzados”. (Edmund Burke)
    A mente humana é a líder ou a precursora de todas as ações.
    Nossas ações são os resultados diretos de nossos pensamentos. O problema de muitas pessoas é que seus pensamentos estão enraizados em influências ativistas e malignas; e, não em informações corretas da verdade.
    O mestre em deturpar essa verdade é Satanás e ele não tem limites para isso. Usa inclusive jornalista.
    Pois é… João Batista Jr. foi descortês, tosco e incivil ao opinar de forma preconceituosa, tendenciosa e discriminatória sobre uma questão religiosa totalmente distante da sua própria realidade. Cometeu uma grande parvoice.
    Falo da reportagem publicada pela revista Veja São Paulo e assinada pelo novel jornalista correspondente João Batista Jr., sob o titulo: “Silas Malafaia: o caçador de pastores”. Por maldade congênita, o novel jornalista, participou da quarta edição da Escola de Líderes da Associação Vitória em Cristo (ESLAVEC) e saiu cheio de opinião tendenciosa, preconceituosa e discriminatória sobre o exercício do ministério pastoral, que chamou — demonstrando sua nítida intenção de tentar macular a imagem do pastor Silas Malafaia — de “curso de formação de mão de obra evangélica”.
    Conheço o Pastor Silas Malafaia há mais de vinte anos. Tenho a honra de ser um de seus vice presidente do COMERJ (Conselho de Ministros Evangélicos do Estado do Rio de Janeiro). É um esposo e pai de família exemplar (casado há mais de trinta anos com a mesma esposa, pastora Elizete Malafaia), ministro do Evangelho, psicólogo, homem honrado, que sabe honrar e respeitar os amigos, árduo e intransigente defensor da liberdade de expressão, de pensamento, de culto e da crença. Pastor de ovelhas, um apaixonado evangelista pregando diariamente uma mensagem eminentemente Cristocêntrica, levando muitos milhares de almas a Jesus Cristo através das Grandes Cruzadas Evangelisticas realizadas em todo o Brasil e no exterior. Homem de mídia, especialmente a televisão, onde há mais de trinta anos mantém diariamente um programa de televisão evangélico (programa Vitória em Cristo). Quem convive com Pastor Silas Malafaia sabe que ele é avesso a mentiras, rótulos e hipocrisia; mas, ao mesmo tempo, trata-se de um homem cordial e humilde, apesar de conhecer a sua posição no reino de Deus e não abrir mão dela por nada. Por isso, de forma absolutamente voluntária, fiz questão de me manifestar. A omissão, em horas como esta, é, no mínimo, aviltante. Minha consciência não me permite ficar calado e inerte, ao perceber que, nitidamente, o novel jornalista João Batista Jr. tenta desconstruir a imagem da igreja evangélica no Brasil, atacando voraz e frontalmente um de seu digno representante.
    Quero ressaltar, de forma clara e inequívoca, que conheço e sou assinante da Revista Veja. Trata-se de um órgão da imprensa escrita da mais alta credibilidade, com serviços prestados a nação brasileira da mais alta relevância. E que tem tratado as organizações e crenças religiosas de maneira imparcial, respeitando a laicidade do Estado brasileiro. Pessoalmente, destaco o excelente jornalista Reinaldo Azevedo, a quem presto solidariedade e respeito, assim como Lauro Jardim, dentre outros renomados jornalistas da Veja Nacional.
    Tenho inclusive a impressão que, até mesmo os editores desta conceituada revista ficaram pasmos diante da postura tendenciosa e afobada de seu novel jornalista correspondente. Isto não condiz com a maneira isenta com que estas questões tem sido tratadas pela revista Veja, em relação a comunidade religiosa cristã.
    Evidencio isto, porque a pouquíssimo tempo (ano passado), o Pastor Silas Malafaia, foi destacado pela revista Veja Nacional, com uma importante e densa entrevista concedida nas “folhas amarelas”, em âmbito nacional, momento em que foi questionado sobre diversos temas nacionais, inclusive sobre os projetos de lei que atualmente estão tramitando na Camara dos Deputados e no Senado Federal, que contrariam os princípios da livre manifestação do pensamento e da expressão, da crença religiosa e do principio da laicidade no Brasil, tais como o PLC 122 e a reforma do Código Penal Brasileiro.
    O Pastor Silas Malafaia tem sido um incansável combatente em defesa da liberdade de culto e da livre manifestação da expressão e do pensamento. Por isto, tem sofrido terríveis e ferrenhos ataques nas audiências publicas em que tem participado como convidado a proferir palestras, sendo sempre tratado de maneira desrespeitosa, jocosa, imoral, discriminatória e preconceituosa pelos ativistas gays e por alguns setores da imprensa brasileira simpatizantes da causa.
    O novel jornalista tratou tão bem ao Padre Marcelo Rossi quando deu cobertura a inauguração de seu majestoso Templo. Por que ser tão preconceituoso, discriminatório e difamador para tratar os mais de quatro mil participantes da gloriosa ESLAVEC?
    A questão, obviamente, não está em abordar um assunto religioso, mas pela forma como atuou no levantamento de informações. O novel jornalista João Batista Jr. queria mesmo tratar nossa fé cristã como “uma carreira de mercado: promissora e acessível para qualquer pessoa”.
    Considerando o histórico dos ativistas em tentar abordar de forma parcial assuntos que não domina, não me surpreendeu os chavões e as frases com a intenção dúbia na abordagem do novel jornalista.
    Se o novel jornalista tinha o real interesse em participar da gloriosa ESLAVEC, pergunto: De que igreja evangélica ele é membro? Qual ministério ele pertence? O que ele sabe sobre consagração, separação e ordenação ministerial? A resposta é, por si, um despropósito. Por obvio e conseguinte, afirmo que o novel jornalista escolheu o pior dos caminhos na busca de sua sanha em tentar desconstruir a imagem da gloriosa ESLAVEC e de seu fundador, idealizador e líder, Pastor Silas Malafaia.
    O novel jornalista preferiu o anonimato. Mais ainda: de maneira mentirosa e ardil, se inscreveu como sendo um líder evangélico. Qual a razão deste jornalista em usar deste artificio? Queria a busca da verdade real? Estaria a participar de apuração de algum fato delituoso, ilícito e/ou criminoso, que exigiria este artificio?. Por que não se apresentou à direção do evento, requerendo seu credenciamento como jornalista da revista Veja?. Não tenho duvidas que receberia seu credenciamento, assim como outros órgãos da imprensa escrita, falada e televisionada pediram e foram prontamente e respeitosamente atendidos. Por que usar deste artificio a margem da ética jornalística minimamente plausível?
    Pois é… Tudo o mais constante, João Batista Jr. foi com a sórdida e má intenção a ESLAVEC e o desconhecimento do assunto religioso confundiu a sua intenção. O que costuma acontecer em casos como esses? A experiência demonstra que suas criticas visaram tão apenas em tentar macular o portentoso evento promovida pela Associação Vitória em Cristo, presidido pelo pastor Silas Malafaia.
    A gloriosa ESLAVEC é uma Escola de Treinamento e Reciclagem para Líderes… Então quem participa? Líderes. Mas o que são líderes? Apenas os pastores presidentes de igrejas evangélicas? Somente os pastores dirigentes de congregações? Definitivamente, não.
    A liderança evangélica compreende também os lideres coordenadores dos diversos departamentos que compõem as igrejas evangélicas, não somente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, mas também e inclusive das diversas denominações ali presentes.
    São os líderes dos departamentos da mocidade, do louvor, dos adolescentes, do departamento infantil, dos esplendorosos círculos de oração, dos professores da escola dominical, dos mestres das classes de novos convertidos, do departamento musical, dos departamentos missionários, dos ministérios de evangelização em massa, evangelização pessoal ou em ar livre, dos capelães hospitalares e, até mesmo do pai e mãe de família tradicional evangélica, pois a igreja começa nas nossas casas.
    O Pastor Silas Malafaia é o único líder evangélico, que tenho conhecimento, no Brasil, que atualmente idealiza e promove este tipo de seminário e/ou escola de ministério, com esta visão e abrangência. Antes dele, apenas o Reverendo Billy Graham e o Rev. David Wilkerson, dos EUA, promoveram algo semelhante em décadas passadas.
    A intenção precípua da gloriosa ESLAVEC é colaborar com as diversas denominações evangélicas brasileiras na reciclagem ministerial de seus obreiros.
    Jamais o Pastor Silas Malafaia teve a intenção de angariar obreiros destas denominações para somar no projeto da igreja onde preside, a Assembleía de Deus da Penha, hoje conhecida como ADVEC. Esta igreja, com mais de setenta anos de história de dignidade, decoro, exemplo e visão missionaria, já foi presidida por grandes e renomados homens de Deus, e, que durante, mais de quarenta anos foi pastoreada pelo meu inesquecível amigo e conselheiro Pastor José dos Santos, de saudosa memória. Após sua promoção ao Céu, o Pastor Silas Malafaia foi eleito por unanimidade pelos membros da ADVEC, como seu novo pastor presidente.
    A gloriosa ESLAVEC, recebeu como inscritos regularmente grandes líderes presidentes de outras denominacões evangélicas, das quais cito alguns: 1) Pastor Jabes de Alencar, pastor presidente da Assembleia de Deus do Bom Retiro e do Conselho de Pastores de São Paulo; 2) Josué Gomes, pastor presidente da Igreja Ministério Plenitude; 3) Marco Gregório, pastor presidente da igreja Ministério Apascentar; 4) Jorge Linhares, pastor presidente da igreja Batista Getsêmani e atual presidente do CIMEB (Conselho Interdenominacional dos Ministros Evangélicos do Brasil); 5) Marco Antonio Peixoto, pastor presidente da Comunidade Internacional da Zona Sul; 6) Samuel Câmara, pastor presidente da Igreja Mãe das Assembleias de Deus no Brasil em Belém, Pará; 7) Estevão Fernandes, pastor presidente da Primeira Igreja Batista de João Pessoa – Paraíba; 8) João Brito, pastor presidente da Igreja Batista de Vitória – Espirito Santo; 9) Flamarion Rolando, Pastor presidente da Primeira Igreja do Evangelho Quadrangular em Governador Valadares, Minas Gerais; 10) Maycon Abud, pastor presidente Igreja Embaixada do Reino, em Balneário Camboriú, Santa Catarina.
    Estes são apenas alguns dos líderes evangélicos que participaram e participam ativamente da gloriosa ESLAVEC promovida pela Associação Vitória em Cristo, presidida pelo seu fundador pastor Silas Malafaia.
    Com certeza, se o novel jornalista tivesse realmente a honrosa intenção de promover uma matéria isenta na busca da verdade real, jamais se esqueceria de, ao menos, citar alguns destes eminentes homens de Deus.
    A VERDADE É QUE A SUA PAUTA JORNALÍSTICA JÁ ESTAVA PREVIAMENTE ACORDADA: VISAVA TÃO APENAS TENTAR DESCONSTRUIR A IMAGEM ESLAVEC E DO PASTOR SILAS MALAFAIA.
    Faço aqui uma nota, à margem, antes que continue: O Pastor Silas Malafaia, através da Associacao Vitória em Cristo, investiu cerca de R$ 4 milhões para promover a gloriosa ESLAVEC, jamais pensando de maneira exclusivista em formar apenas líderes para sua igreja e ministério.
    Na verdade, em temos proporcionais, o número de participantes membros da Assembleia de Deus Vitória em Cristo foi insignificante comparado ao de todas as outras denominações evangélicas.
    Além disso, este evento jamais foi patrocinado pela Assembleía de Deus Vitória em Cristo, pois isto simplesmente seria inexeqüível, mas pela Associação Vitória em Cristo, entidade para-eclesiástica, sabiamente presidida pelo Pastor Silas Malafaia a mais de trinta anos, e, que tem milhares de colaboradores, das mais diversas denominações evangélicas, e até mesmo não evangélicos, que apreciam, respeitam e se solidarizam com os propósitos desta conceituada entidade eclesiástica, que tem prestado relevantes serviços a nação brasileira na area social e evangelística, dentre outras.
    Foram milhares de obreiros evangélicos que participam deste evento sem precisar fazer qualquer investimento financeiro.
    Intuo que o repórter não quis investigar estas questões, por pura malvadeza. Já tinha montado uma pauta em sua mente — buscar desconstruir a imagem do glorioso evento e de seu principal líder e idealizador, pastor Silas Malafaia.
    Atenção, meus caros! Não vou aqui debater como é a formação de líderes em igrejas neopentecostais, mas definitivamente o novel jornalista João Batista Jr. foi o homem errado no lugar errado.
    A ESLAVEC não é a primeira nem a última escola visando a reciclagem de líderes evangélicos. A grande maioria das igrejas promovem estas escolas em suas denominações, dentro de suas particularidades. O objetivo não é qualificar “mão de obra”, mas ajudar a capacitar as pessoas a lidar com conquista de almas para Jesus Cristo.
    Isso não significa que todos são ou serão pastores. Na verdade, tomando por exemplo, as Assembleias de Deus, da qual participo desde meu nascimento, tem vários cargos eclesiásticos, cada um com sua função e area distinta de atuação, e, diga-se de passagem, todos os pastores, via de regra, devem passar por cada cargo e ministério eclesiástico até chegar ao almejado pastorado. Partindo de auxiliar, cooperador, diácono, presbítero, evangelista, até o tão glorioso cargo de pastor.
    É imperioso afirmar, a esta altura, de maneira categórica, que a gloriosa ESLAVEC jamais pretendeu nem pretende substituir os cursos de formação teológica, exigidos para a ordenação de ministros em igrejas sérias, como a Assembleia de Deus Vitória em Cristo. Aliás, o Pastor Silas Malafaia foi professor de diversas matérias teológicas no IBP (Instituto Bíblico Pentecostal), um dos mais antigos e respeitados Seminário Maior de ensino teológico no Brasil.
    Pois é… João Batista Jr. escreve sobre os evangélicos como se conhecesse e frequentasse uma igreja cristã no seu dia a dia.
    Na verdade, o novel jornalista parlapatou cheio de opinião sobre um tema que não lhe diz respeito e que, de maneira amadorística, demonstrou total desconhecimento. Enganou-se ao supor que ministério pastoral é emprego acessível a qualquer público.
    Um verdadeiro pastor jamais exerce sua chamada ministerial visando amealhar os lucros ou prejuízos financeiros, mas seu enfoque e ênfase busca alcançar a maior quantidade de almas, de vidas transformadas pelo poder regenerador e transformador da Palavra de Deus, — isso o novel jornalista João Batista Jr. só vai entender quando se arrepender e se converter ao genuíno Evangelho de Jesus Cristo.
    Com sua atitude de anonimato, parece que estava indo a um evento ilegal, imoral ou criminoso. Normalmente o repórter usa este artificio de se ocultar, para não ser identificado com medo de represálias… Com esta impensada atitude tentou passar esta ideia.
    Mas o que o novel jornalista presenciou foram pessoas simples, amorosas, honradas, que não bebem álcool nem fumam drogas, com a Bíblia na mão, cheios do Espírito Santo, cantando, testemunhando, compartilhando sua comunhão e conversão a Jesus Cristo.
    Os R$ 700,00, o novel jornalista João Batista Jr. pagou porque quis. Por ventura assinou alguma ficha afirmando que ia a um curso teológico? Recebeu algum diploma ao final do curso atestando que estava graduado e preparado a pretender algum cargo ministerial em alguma igreja evangélica? Ora, senhores leitores, se haviam pastores presidentes de grandes denominações evangélicas, entre os participantes da gloriosa ESLAVEC, logo, então, é crivel, lógico e evidente que aquele não era um curso de formação de pastores. Entendem o meu ponto de vista?
    Por inabilidade e falta de acuidade jornalística, infelizmente, o novel jornalista João Batista Jr. se esmerou tanto em promover a desvalorização da ESLAVEC e de seu idealizador, pastor Silas Malafaia, que confundiu tudo.
    A Associação Vitória em Cristo é quem promove a ESLAVEC, gratuitamente para diversas denominações. A igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, presidida pelo pastor Silas Malafaia, é apenas mais uma participante.
    Enquanto o pastor Silas Malafaia preside a igreja a cerca de 3 anos, quando foi eleito por unanimidade pela assembleia geral da mesma; também é o fundador, idealizador e presidente da Associação Vitória em Cristo há mais 30 anos. Uma é totalmente distinta da outra.
    Não obstante o vexame, João Batista Jr. demonstrou em sua narrativa um forte preconceito e discriminação contra os mais de quatro mil participantes da gloriosa ESLAVEC, com a nítida intenção de ridicularizar os evangélicos.
    Afirmar categoricamente que os participantes da ESLAVEC estavam interessados apenas em transformar a vocação em um trabalho remunerado? De onde ele tirou estas falácias? Por que fez questão de mencionar a “calça tergal”? Qual a intenção em dizer que uma participante “bufava” por conta dos mosquitos? Só há uma resposta: tentar desconstruir a imagem dos participantes. Gente honrada, sérias no seu viver, pais honrados, cristãos sinceros a busca de uma maior comunhão com Deus e aprofundamento no estudo da Bíblia Sagrada, livro guia e regra de fé e prática do verdadeiro cristão.
    O jornalista João Batista Jr., a meu ver, estava na ESLAVEC a serviço de um ativismo. Basta ler suas declarações e filtrar suas intenções.
    Outro fato: Qual evento, seja secular ou evangélico, de grande porte, que não apresentará stands com diversos materiais para exposição e venda? O que quis dizer com “adultério e prática homossexual” serem práticas imperdoáveis? Jamais, em momento algum, este assunto foi tratado na ESLAVEC.
    Fique tranquilo, novel jornalista ativista: este assunto estamos tratando no foro competente: as audiências públicas nas Casas de Leis em Brasília. Não iremos esmorecer. Matérias tendenciosas, preconceituosas e discriminatórias como esta, só estimulam ainda mais nossa caminhada rumo a enterrar estes malfadados e malvados projetos de Lei que tentam instituir o delito de opinião e a cristofobia. O preconceito religioso é o mais vil dos preconceitos. Atitudes discriminatórias serão prontamente respondidas nos foros competentes.
    Outro fato: Qual foi sua real intenção ao comparar, de maneira jocosa, a altura (estatura física) do nobre pastor americano T.D. Jakes, da Potter’s House, de Dallas (um incontestável grande líder eclesiástico dos EUA, e pastor sênior de uma das maiores igrejas evangélicas dos Estados Unidos), com a do tradutor, pastor Gidalti de Alencar, um dos maiores intérpretes que este Brasil tem? A intenção era uma só: tentar desconstruir e desmerecer a imagem dos evangélicos.
    Ora, ficou evidente a maldade e a cristofobia na matéria tendenciosa, preconceituosa e discriminatória assinada pelo novel jornalista correspondente da Veja São Paulo, ao concluir destacando a preocupação com o crescimento da igreja. Se não tem como frear o crescimento dos evangélicos, então tem de tentar desconstruir a imagem dos evangélicos.
    O novel jornalista definitivamente fez uma salada venenosa ao concluir colocando todos, neopentecostais e igrejas tradicionais, em um mesmo balaio. A intenção é, — já disse — desconstruir a imagem dos evangélicos.
    Por derradeiro, proponho e peço, humildemente, aos nobres colegas obreiros desta nação evangélica brasileira, e também, pastores presidentes de outras denominações evangélicas, homens sérios e íntegros, que demonstrem através de pronunciamentos, nosso inconformismo com atitudes preconceituosas e discriminatórias contra a igreja evangélica no Brasil.
    Não esqueçamos do magistério de Agostinho: “Nas coisas essenciais, UNIDADE. Nas coisas não essenciais, LIBERDADE. Em todas as coisas, CARIDADE”.
    “As pessoas nos dão o tratamento que nós autorizamos”. Por isso, de maneira veemente, rechaço totalmente a inverossímil, maldosa, maligna, tendenciosa, preconceituosa e discriminatória matéria jornalística.
    “Tratai todos com honra, amai os irmãos, temei a Deus, honrai o rei” (1 Pe 2.13-17).
    Tenho dito,
    Deus seja louvado.



    quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

    Evangélicos terão destaque na próxima novela das 9

     Amados Irmãos Fujam das Aparencias do Mal

    Aparentemente, o pedido de pastores evangélicos e os boicotes feitos através das redes sociais levaram os autores da Globo a considerarem a hipótese de um personagem evangélico sem caricaturas. Walcyr Carrasco, autor responsável pela próxima novela das 21h, reclamou no Twitter dos protestos contra as atrações da emissora, e defendeu espaço para os autores: “Vamos lutar por liberdade de criação. Digam não à campanha contra o #Canto da Sereia”, publicou.


    Em seguida, Carrasco revelou parentesco com evangélicos e afirmou que crê no poder da fé, e que irá falar de maneira simpática sobre o segmento na próxima novela. “Meu tio era pastor presbiteriano e meu primo missionário na África. Falarei com amor sobre os evangélicos. Seja católico, evangélico, budista, espírita ou rosacruz como eu, a fé transforma. É sobre isso que vou falar na novela”, escreveu.
    A novela que Walcyr está escrevendo se chamará “Em Nome do Pai”, e estreia logo após o término de Salve Jorge. De acordo com o autor, a história se baseará num triângulo amoroso: “O Paulo Vilhena vai ter uma das tramas mais originais da novela, em triângulo com a Danielle Winits e o Marcelo Anthony, se Deus quiser”.

    Carlinhos Cachoeira se converte e casa na igreja

    Carlinhos Cachoeira se converte e casa na igreja

    Nesta sexta-feira (28) o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, 49, se casou com Andressa Alves Mendonça, em uma cerimônia evangélica realizada na residência do casal, em Goiânia. A celebração foi feita por um pastor da Igreja Evangélica Videira, Cachoeira se converteu depois de ter ficado nove meses preso sob a acusação de comandar esquema de jogos ilegais e corrupção de agentes públicos.


    A prisão do contraventor aconteceu em 29 de fevereiro depois que ele foi condenado em primeira instância a 39 anos de prisão. Em 21 de novembro ele foi solto e deve continuar em liberdade enquanto recorre à decisão da justiça.
    O casamento de Cachoeira e Andressa foi marcado depois que o bicheiro saiu da prisão pela segunda vez, já que em 7 de dezembro ele voltou a ser preso ficando encarcerado por mais quatro dias. Por conta da sua condenação o casal não poderá viajar em lua de mel, pois qualquer viagem que ele precisar fazer terá que ter autorização do Poder Judiciário.
    IG|Pátio Gospel Noticias

    "As igrejas evangélicas só buscam vantagens para si" afirma missionária da Jocum





      Missionária Niguem Muda Niguem  Elas por Si Propria e Que tem Que Si Mudar
     
    A missionária da Jocum Bráulia Ribeiro publicou em seu blog um texto no qual critica a postura atual da igreja evangélica, que tem como único objetivo pregar sobre salvação, o que segundo ela serve apenas para “encher as cadeiras dos templos”. Bráulia afirma que o único fruto produzido atualmente pela igreja é a religião, o que seria, segundo ela, uma fruta podre, por não apresentar resultados verdadeiros na sociedade. A missionária afirma que a influência exercida pela igreja na sociedade e na política tem sido apenas para buscar vantagens para si, e não para promover mudanças verdadeiras na vida das pessoas.


    "Usamos dinheiro público para construir catedrais, beneficiamos os crentes com leis circunstanciais e oportunistas. Se fazemos trabalho social o fazemos na maior parte das vezes para poder “converter” mais pessoas. Todos nossos esforços estão voltados para produzir um único fruto: mais prosélitos em nossos templos", afirma.
    "Mas por enquanto só temos um fruto evangélico que cansamos de usar da mesma maneira sempre e que agora apodrece no chão em meio a pacotes de dinheiro e documentos rasgados e queimados.", finaliza a missionária, chamando atenção para que a igreja passe a exercer seu verdadeiro papel na sociedade que é o de transformar a vida das pessoas, e não apenas encher seus templos com mais membros.
    Tenho um pé de carambola no quintal que dá o ano inteiro. Tenho orgulho deste quintal com sete tipos diferentes de frutas. Custou pra crescer neste solo desértico da Amazônia. Desértico sim, infelizmente, o solo daqui quando se tira a floresta nativa. Sobra nada quase, o sol escaldante, e as plantas teimosas da capoeira. Chegamos nesta terra a mata já havia sido tirada, nos sobrou o capoeiral. Depois de anos o capoeiral virou pomar e olho para sua abundância com uma surpresa constante. Redenção é possível para a terra também. 
    Mas só existe um certo número de coisas que se pode fazer com carambola. Dá pra fazer suco, doce, geléia, com um certo esforço dá pra colocar em pratos salgados. Tentei outro dia imitar o Alex Atala, mestre das misturas inusitadas, e fiz frango com carambola. O resultado saiu no mínimo duvidoso. Lá ficam então as carambolas inusáveis, madurando esperando ser colhidas até que caem desapontadas pelo chão. 
    Fui visitar a cadeia de adolescentes da cidade. Sei que não se chama cadeia, e que não deveria se parecer nem de longe com uma, mas é uma cadeia sim com todas as mazelas que isto significa. Celas cheias e imundas, confinamento integral, violência, sexualidade perversa e inflacionada, falta de opções de aprendizado, de reconstrução pessoal.

    De um lugar destes não se volta. Seu corpo sai, mas sua alma fica lá presa com jovens franzinos, sedenta de ar e respostas. Me chocou saber que uma grande porcentagem deles vieram de famílias evangélicas, as paredes perplexas estão cheias de “Jesus Salva” convivendo com palavrões.

    O que aconteceu com o poder do nosso evangelho? Há algo de podre no reino da Dinamarca. Outro dia pisando numa carambola e noutra que apodreciam doces debaixo do pé, não deu pra evitar uma comparação mental conosco no Brasil de hoje. Do mesmo jeito que o fruto pelo seu excesso me cansou, nós também reduzimos a mensagem do evangelho a um significado só. Apenas a salvação importa, apenas encher as cadeiras dos templos. Tentamos ser relevantes, mas nosso fruto é sempre o mesmo. 
    Temos um sabor só, uma cor, um fruto só: religião. Se vamos ao presídio de crianças falamos de salvação, o que não é nada novo para os presos, se vamos a TV falamos de salvação, se vamos ao congresso achamos que ao colocar a Bíblia na tribuna e evangelizar mais deputados, estamos mudando a sociedade. Usamos dinheiro público para construir catedrais, beneficiamos os crentes com leis circunstanciais e oportunistas. Se fazemos trabalho social o fazemos na maior parte das vezes para poder “converter” mais pessoas. Todos nossos esforços estão voltados para produzir um único fruto: mais prosélitos em nossos templos. Pensamos em nossa tarefa como sendo unicamente a de salvar indivíduos. 
    Usamos o óculos grego para ler a Bíblia. Na cosmovisão greco-cristã influenciada pelo platonismo a alma/espírito do indivíduo é a única matéria prima possível para a ação do Espírito Santo com um produto único mais óbvio, a sua salvação deste mundo material corrupto para o perfeito mundo do espírito. 
    Se restaurarmos a compreensão tribal da mensagem de Deus, recuperamos dois pilares fundamentais na visão de mundo judaico-cristã, a identidade social, e a visão do ser humano como um todo, espírito e matéria. Entendemos que o grupo, assim como o indivíduo, também pode ser ou não “salvo”, refletir ou não os valores de Deus na prática social, nas leis, na forma de ser cidade. Existe a dimensão sociológica do amai-vos uns aos outros. 
    Temos que entender o plano de Deus para a sociedade como um todo. Expressar o amor para a sociedade à partir de nossa identidade coletiva é parte da nossa missão tanto quanto lutar pela salvação de seus indivíduos.
    Se pensássemos o cristianismo além da mera salvação, saberíamos o projeto concreto de Deus para o mundo de negócios, para as artes, para o sistema educacional, para a administração pública. Haveriam outros frutos possíveis para nossa fé evangélica, além de igrejas cheias. Trabalharíamos com a essência divina da sociedade humana antes que ela se desintegrasse, abraçaríamos a cidade antes que nela se instalasse o caos. 
    Olhando as carambolas apodrecidas debaixo do pé, comecei a sonhar com uma cidade melhor, onde as igrejas se uniriam para urbanizar seus bairros. Como prova de amor pelo bairro construiriam praças e áreas de lazer. Imaginei que um arquiteto cristão poderia fazer o projeto de uma ciclovia linda, arborizada, de graça, a prefeitura apoiaria, os crentes mesmo plantariam e cuidariam de muitas árvores nas ruas para sombreá-la como prova de nosso amor pela meio-ambiente e pela cidade. Os jovens poderiam executar o projeto. A ciclovia iria trazer para a população que depende da bicicleta para se transportar um senso de valor e dignidade. 
    Imaginei que se amássemos a cidade, os artistas que se sentam aos domingos em nossos bancos sairiam às ruas e fariam oficinas para crianças ociosas, e na tinta elas encontriam as cores que faltam em suas vidas. Nossos cantores entreteriam nas praças os velhinhos e os pobres com suaves serenatas. Belos jardins seriam construídos a cada três ruas, e que as crianças da rua participem de seu cultivo… 
    Se amássemos a cidade, seríamos capazes de articular nossa visão de mundo tão bem e as pessoas se apaixonariam pelo modelo social exemplificado por nós. Mostraríamos na prática o amor incondicional e integral de Deus para todas as pessoas, independente de cor, classe social, gênero. Não guerrearíamos com a sociedade, mas ao contrário, nos uniríamos a ela para combater problemas e propor soluções. Mas por enquanto só temos um fruto evangélico que cansamos de usar da mesma maneira sempre e que agora apodrece no chão em meio a pacotes de dinheiro e documentos rasgados e queimados.
    Gospel Mais|Pátio Gospel Noticias

     Seja ético, ao reproduzir um artigo nosso cite a fonte. Pátio Gospel